Bolsas mundiais

Índices futuros americanos sobem e Wall Street se encaminha para fechar semana com ganhos

Depois de uma segunda-feira turbulenta, índices caminham para registrar quarta sessão seguida de ganhos

Por  Equipe InfoMoney

Os índices futuros americanos sobem nesta sexta-feira (23) em meio à alta de ações do setor de de tecnologia. As bolsas europeias avançam e as asiáticas tiveram desempenhos variados entre si.

Na quinta (22), tanto o Twitter quanto o Snap viram suas ações subirem no aftermarket  após a divulgação de resultados acima do esperado para o segundo trimestre.

As principais bolsas dos Estados Unidos fecharam a sessão de quinta em alta. O Dow subiu 25,35 pontos, ou 0,07%; o S&P subiu 0,2%; e o Nasdaq, composto por uma grande proporção de ações do setor de tecnologia, teve alta de 0,36%.

A Microsoft respondeu pelo maior impacto positivo sobre o S&P e o Nasdaq na quinta, fechando em alta de 1,7%.

Após perdas na semana anterior e fortes vendas na segunda-feira da semana atual, os três indicadores se encaminham para fechar a quarta semana com resultados positivos entre as últimas cinco.

O resultado positivo de ações de tecnologia tem paralelo com o que ocorreu nos momentos mais graves da pandemia. Mesmo com a crise, essas empresas foram capazes de manter resultados positivos, e se mantiveram como uma alternativa importante de investimentos.

Na semana que vem, grandes empresas como Alphabet, dona do Google, Microsoft, Amazon e Facebook devem divulgar seus resultados relativos ao segundo trimestre.

As bolsas asiáticas tiveram desempenhos variados na sexta. Investidores monitoram o desempenho de ações de tecnologia em meio à volta de preocupações quanto a perspectiva de mudanças regulatórias.

A agência internacional de notícias Bloomberg News informou que Pequim está considerando a aplicação de penas fortes sobre o aplicativo de caronas pagas Didi, acusado de supostamente coletar e usar dados pessoais de forma irregular.

Segundo o veículo, as penas podem incluir uma multa que deve ser mais alta do que o valor de US$ 2,8 bilhões pagos neste ano pelo Alibaba; ou mesmo obrigar a empresa a fechar seu capital, pouco após a oferta pública inicial de ações da Didi, que ocorreu em junho.

No início de julho, a empresa já foi obrigada a deixar de cadastrar novos usuários, e teve o seu aplicativo removido das lojas chinesas. Os problemas da Didi ocorrem em meio a um movimento regulatório do governo chinês sobre gigantes de tecnologia, abordando questões que vão da formação de trustes a regulação de dados.

Nos Estados Unidos, as ações da Didi recuaram 11% na última quinta. Na sexta-feira, ações de empresas chinesas de tecnologia listadas em Hong Kong também recuaram. Os papéis da Tencent caíram 2,39%; os da Meituan caíram 2,36%; e os da Kuaishou caíram 10,75%.

Assim, o índice Hang Seng, de Hong Kong, perdeu 1,45% na sexta; na China continental, o Shanghai composto caiu 0,68%; na Coreia do Sul, o Kospi teve alta de 0,13%.

Na Europa, o índice Stoxx 600, que reúne as ações de 600 empresas de todos os principais setores de 17 países europeus, sobe 0,5%, com destaque positivo para o setor de recursos básicos. Todos os setores e as principais bolsas operam no positivo.

Na quinta, o Banco Central Europeu manteve sua política monetária inalterada, mas mudou seu discurso e prometeu manter uma posição “persistentemente acomodativa”, em meio à sua nova meta de inflação.

Também na quinta, a União Europeia rejeitou o pedido do Reino Unido sobre reabrir negociações sobre o Protocolo da Irlanda do Norte, um ponto central do acordo do Brexit de 2020.

No radar econômico, foram divulgados dados sobre vendas no varejo no Reino Unido, que subiram 9,7% em junho em comparação com o mesmo período do ano anterior, frente a expectativa de 9,6%, e à medição anterior de alta de 24,6%. Na comparação mensal, as vendas subiram 0,5%, frente à expectativa de 0,4%, e à medição anterior de queda de 1,3%.

Também foi divulgado o Índice do Gerente de Compras (PMI na sigla em inglês) composto Markit relativo a julho na Zona do Euro, que marcou 60,6 pontos, acima da projeção de 59,5 pontos e do patamar anterior,d e 58,3 pontos. Qualquer valor acima de 50 indica expansão; abaixo, retração.

Nesta sexta, a Mercedes Benz deve divulgar uma atualização de sua estratégia.

Veja o desempenho dos principais indicadores às 6h40 (horário de Brasília):
Estados Unidos
*Dow Jones Futuro (EUA), +0,39%
*S&P 500 Futuro (EUA), +0,44%
*Nasdaq Futuro (EUA), +0,5%
Europa
*FTSE 100 (Reino Unido), +0,77%
*Dax (Alemanha), +0,63%
*CAC 40 (França), +0,81%
*FTSE MIB (Itália), +0,81%
Ásia
*Nikkei (Japão), +0,58% (fechado)
*Shanghai SE (China), -0,68% (fechado)
*Hang Seng Index (Hong Kong), -1,45% (fechado)
*Kospi (Coreia do Sul), +0,13% (fechado)
Commodities e bitcoin
*Petróleo WTI, -0,042%, a US$ 71,88 o barril
*Petróleo Brent, -0,04%, a US$ 73,36 o barril
*Bitcoin, +1,8%, a US$ 32.422,77
Sobre o minério: **Contratos futuros do minério de ferro negociados na bolsa de Dalian com queda de 2,01%, cotados a 1.124 iuanes, equivalente hoje a US$ 173,6 (nas últimas 24 horas).
USD/CNY = 6,47

Entre no grupo do InfoMoney no Telegram para ter acesso a este conteúdo e faça parte de uma comunidade de mais de 170 mil pessoas que acompanham a plataforma.

O Telegram do InfoMoney oferece gratuitamente uma cobertura em tempo real do mercado financeiro. Traz também análises e as principais notícias que movimentam as Bolsas, aqui e no exterior.

Compartilhe