Bolsa

Ibovespa vira para alta de 1% com “recuo de Gleisi” sobre mudança JCP

Índice seguia em queda desde a abertura, mas virou para alta com bancos ganhando força após notícia de que a senadora deve desistir de sua proposta sobre JCP

arrow_forwardMais sobre

SÃO PAULO – Após cair quase 1% pela manhã, o Ibovespa virou para alta com a notícia de que pode ser retirada da Medida Provisória 675 a questão do fim dos juros sobre capital próprio. Segundo informação do Valor Pro, a senadora Gleisi Hoffmann (PT-PR) deve recuar na proposta, o que ocorre em meio à afirmação do líder do PMDB no Senado, Eunício Oliveira (CE), à ex-ministra da Casa Civil de que votará contra a MP, analisada em comissão especial, se ela insistir em propor o fim gradual do benefício fiscal a empresas. Já a mudança da CSLL (Contribuição Social sobre Lucro Líquido) a ser paga pelos bancos, de que seja elevada de 15% para 23% – e não 20% como anteriormente -, ganhou o apoio do PMDB.

Assim, o índice se descolou das bolsas internacionais com as ações de financeiras, Ambev (ABEV3) e operadoras de telefonia empurrando o benchmark. Somadas, Ambev, Bradesco, Cielo, Itaúsa, BB Seguridade, BM&FBovespa, Banco do Brasil, Itaú Unibanco e Telefônica correspondem a 43,9% da carteira teórica do Ibovespa. Às 15h29 (horário de Brasília), o índice tinha alta de 1,28%, a 47.961 pontos. 

Após a notícia, o Ibovespa também deixou para trás o pessimismo por nova desvalorização do yuan e dados fracos da China, com o preço de novas moradias registrando queda de 4,4% em julho. Além disso, o PBoC (Banco do Povo da China, na sigla em inglês) injetou 120 bilhões de yuans (US$ 18,77 bilhões) no sistema financeiro chinês por meio de operações de mercado aberto na terça-feira, em contratos de recompra reversa. Esta é a maior quantidade de dinheiro injetada no sistema financeiro em um único dia em 19 meses, sinalizando os temores crescentes de que haja uma fuga de capitais devido a desvalorização do yuan.

Na direção oposta ao Ibovespa, o dólar comercial acelerava as perdas, para 0,30% a R$ 3,4700 na compra e R$ 3,4717 na venda, ao passo que o futuro para setembro recua 0,33% a R$ 3,486. No mercado de juros futuros, o DI para janeiro de 2017 fica estável a 13,88%, enquanto o DI para janeiro de 2021 fica sobe 2 p.bs. 13,55%.

Ações em destaque
Fator principal para a virada do mercado, as ações dos bancos passaram a subir com a notícia da possível retirada da mudança de proposta sobre o JCP. Itaú Unibanco (ITUB4, R$ 27,55, +4,40%), Bradesco (BBDC3, R$ 26,00, +4,25%BBDC4, R$ 24,67, +3,61%), Banco do Brasil (BBAS3, R$ 20,05, +5,64%) e Santander (SANB11, R$ 14,89, +3,98%) ganharam força após recuarem mais de 1% até o início da tarde. Juntas, as ações de bancos somadas a outras financeiras como Itaúsa (ITSA4, R$ 7,63, +1,60%), Cielo (CIEL3, R$ 41,34, +0,83%) e BB Seguridade (BBSE3, R$ 31,25, +2,80%), respondem por 31,885%. 

Seguem o movimento os papeis da TIM (TIMP3, R$ 9,04, +2,96%) e Telefônica Brasil (VIVT4, R$ 42,00, +3,45%), que também são favorecidas caso a prosposta realmente caia.

Assim como os bancos e as operadoras, vale destacar o desempenho da cervejaria Ambev (ABEV3, R$ 19,14, +3,18%), que responde por 8,6% da carteira teórica do Ibovespa. 

Os papéis da Petrobras (PETR3, R$ 10,27, +0,69%; PETR4, R$ 9,18, +0,66%) viraram para alta depois de cair até o início da tarde. O barril do petróleo Brent volta a recuar nesta terça, caindo 0,41% a US$ 48,54. Além disso, o Conselho de Administração da companhia aprovou a oferta de 25% da BR Distribuidora. No entanto, o presidente do conselho, Murilo Ferreira, votou contra o pedido de registro de companhia aberta e registro de oferta pública da BR Distribuidora, “pontuando, entre outras questões, que sua visão tática é diferente, entendendo haver ainda alguns passos a cumprir ou pelo menos tentar cumprir antes de uma decisão final”.

As maiores altas dentre as ações que compõem o Ibovespa são:

Cód.AtivoCot R$% Dia% AnoVol1
 BBAS3 BRASIL ON20,04+5,58-10,97146,06M
 RUMO3 RUMO LOG ON9,05+4,62-48,178,27M
 BBDC3 BRADESCO ON26,02+4,33-7,6642,00M
 JBSS3 JBS ON14,96+4,32+35,0367,61M
 ITUB4 ITAUUNIBANCO PN EJ27,51+4,24-8,92548,41M

PUBLICIDADE

 

As ações da Vale (VALE3, R$ 17,71, –1,67%VALE5, R$ 14,07, -1,12%) recuam quase 1% apesar da alta do minério de ferro spot no porto de Qingdao de 0,46% a US$ 56,92 a tonelada.

As maiores baixas dentre as ações que compõem o Ibovespa são:

Cód.AtivoCot R$% Dia% AnoVol1
 GOLL4GOL PN N24,73-4,83-68,849,14M
 MRVE3MRV ON6,77-4,65-5,2831,08M
 CSNA3SID NACIONAL ON3,33-3,76-35,5715,28M
 BRKM5BRASKEM PNA13,00-3,70-21,7825,40M
 QUAL3QUALICORP ON19,27-3,17-29,4740,99M

 

* – Lote de mil ações 
1 – Em reais (K – Mil | M – Milhão | B – Bilhão)

 

Dia negativo no exterior
O índice Xangai afundou 6,15%, apresentando a maior queda diária desde 27 de julho, acompanhando o enfraquecimento do yuan contra o dólar. O movimento do câmbio reacendeu temores de que Pequim pode ter a intenção de desvalorizar mais a moeda apesar de declarações do banco central do país, que afirmou não ver motivo para uma queda maior.

“Os investidores estão adotando cautela antes da provável elevação da taxa de juros nos Estados Unidos… As preocupações com a desaceleração na China, que pode prejudicar outros países asiáticos, também pesa”, disse o estrategista sênior da Sumitomo Mitsui Asset Management, Masahiro Ichikawa. Nikkei, por sua vez, teve queda de 0,32%.

Além disso, o PBoC injetou 120 bilhões de yuans (US$ 18,77 bilhões) no sistema financeiro chinês por meio de operações de mercado aberto na terça-feira, em contratos de recompra reversa. Esta é a maior quantidade de dinheiro injetada no sistema financeiro em um dia em 19 meses, sinalizando os temores crescentes de que haja uma fuga de capitais devido a desvalorização do yuan.

PUBLICIDADE

Por último, a China ainda divulgou o preço médio de moradias novas, que caiu menos na China, registrando queda de 4,4% em julho na comparação anual. A queda é menor que a de junho (5,4%) e maio (6,0%). Em julho, os preços apresentaram queda em 29 das 70 cidades pesquisadas, ante 34 junho. Na comparação mensal foi registrado o terceiro mês seguido de alta, com avanço de 0,15%.

Já os mercados acionários europeus fecharam mistos nesta terça-feira, com resultados corporativos sólidos sobrepondo o impacto negativo do comércio mais fraco com a Ásia e com a queda nos preços das commodities por conta das preocupações com a perspectiva de crescimento da China. O índice das principais ações europeias FTSEurofirst 300 teve alta de 0,22%, a 1.535 pontos, enquanto o índice de blue chips da zona do euro Euro Stoxx 50 fechou com leve queda de 0,07%, a 3.495 pontos.

O acumulado das ações do principal índice europeu, FTSEurofirst 300 já caiu 7% desde abril, quando alcançou seu pico. O drama da dívida grega e o nervosismo com a China permitindo a depreciação do seu câmbio têm pesado sobre o programa de compra de ativos do Banco Central Europeu (BCE) e uma das melhores temporadas de resultados corporativos na Europa em 5 anos.

Nos Estados Unidos, índices caem entre 0,25% e 0,3%. Foram divulgados dados do setor imobiliário às 9h30. Inícios de novas moradias foi de 1,206 milhão em julho, ante 1,2 milhão esperados e 1,174 milhão em junho. Já as permissões para construção de novas casas foram de 1,119 milhão em julho, ante 1,257 milhão esperados e 1,337 milhão em junho.