Fechamento

Ibovespa tem leve queda com guerra comercial ofuscando Copom; dólar sobe

Mercado perde força perto do fim do pregão com o cenário externo voltando a ser motivo para baixa

arrow_forwardMais sobre
Painel de ações (Crédito: Shutterstock)

SÃO PAULO – O Ibovespa fechou em leve queda nesta quinta-feira (19) com as tensões comerciais entre Estados Unidos e China se sobrepondo ao otimismo do início da sessão, motivado pela decisão do Comitê de Política Monetária (Copom) de cortar os juros em 0,5 ponto percentual. 

Um jornal chinês reportou que um oficial sênior da Casa Branca disse que as tarifas americanas sobre bens chineses podem chegar a 50% ou até 100%. A CNBC aponta que o assessor de Donald Trump, Michael Pillsbury, avisou que o país está pronto para escalar a guerra comercial se não se chegar a um acordo em breve.  

O Ibovespa teve queda de 0,18% a 104.339 pontos com volume financeiro negociado de R$ 16,688 bilhões. 

PUBLICIDADE

Enquanto isso, o dólar comercial avançou 1,5% a R$ 4,1622 na compra e a R$ 4,1642 na venda. O dólar futuro com vencimento em outubro subia 1,17% a R$ 4,162.

No mercado de juros futuros, o DI para janeiro de 2020 cai cinco pontos-base a 5,12%, o DI para janeiro de 2021 desaba 18 pontos-base a 5,04%, ao passo que o DI para janeiro de 2023 recua seis pontos-base a 6,19%.

Apesar de ser largamente esperada, a decisão do Copom e o comunicado dovish (afeito a mais cortes de juros) animaram muito os investidores, reforçando as projeções de que a Selic termine o ano abaixo de 5% ao ano. 

Uma taxa de juros mais baixa significa que a renda fixa ficará menos atrativa, de modo que o investidor que quiser ganhar mais dinheiro terá que migrar para a renda variável. A consequência direta disso é uma valorização das ações na Bolsa. 

O Copom acabou anulando os efeitos do aumento do risco político no País após a Polícia Federal fazer operação no Congresso para investigar o líder do governo Bolsonaro no Senado, Fernando Bezerra Coelho (MDB-PE). 

Foram cumpridos mandados de busca e apreensão no gabinete de Bezerra e também no do deputado Fernando Coelho Filho (DEM-PE), filho do senador. A autorização para as investigações foi dada pelo ministro do Supremo Tribunal Federal (STF), Luís Roberto Barroso. 

PUBLICIDADE

As suspeitas são de que o dinheiro de contratos superfaturados fictícios nas obras de transposição do rio São Francisco foram desviados para as campanhas dos dois políticos. Na época do ocorrido, Bezerra Coelho era ministro da Integração Nacional no governo da ex-presidente Dilma Rousseff. 

Do lado corporativo, o mercado comemora o reajuste de preços da Petrobras, que elevou o diesel em 4,2% e a gasolina em 3,5% nas refinarias. É uma demonstração sólida de independência da gestão da estatal em relação ao governo e vai na esteira da forte valorização do petróleo em meio a ataques a uma fábrica de processamento de petróleo da Saudi Aramco no domingo. 

Noticiário Corporativo

A alta do preço do petróleo no mercado internacional chegou ao Brasil. Após anunciar que manteria os valores inalterados no início da semana, a Petrobras (PETR3; PETR4) optou por elevar o preço dos combustíveis, seguindo alinhamento com os preços no mercado internacional, em meio à questionamentos sobre uma possível ingerência do governo., reajustou os valores no mercado interno.

Ainda sobre a Petrobras, a empresa informou que o Conselho Administrativo de Recursos Fiscais (CARF) proferiu decisão favorável em processo administrativo fiscal no valor de R$ 16,4 bilhões. Segundo a companhia, o processo se refere à dedutibilidade de gastos incorridos pelo desenvolvimento da produção de petróleo e gás, para fins de apuração IRPJ e CSLL referentes aos exercícios de 2012 e 2013.

A Duratex (DTEX3) anunciou o encerramento da produção de painéis de madeira da unidade de Botucatu (SP), cuja operação está suspensa desde novembro de 2018. Adicionalmente, vendeu imóveis rurais, ativos florestais e cedeu parcerias rurais na região central do Estado de São Paulo, o que deverá gerar um lucro líquido extraordinário ao redor de R$ 230 milhões, com impacto no caixa de cerca R$ 450 milhões líquidos.

Os trabalhadores da Embraer (EMBR3) aprovaram aviso de greve informou o Sindicato dos Metalúrgicos de São José dos Campos e Região, que pode ser deflagrada a partir de segunda-feira. Os metalúrgicos reivindicam reajuste de 6,37%, que corresponde à inflação do período somada a 3% de aumento real. A entidade afirma que a Embraer não aplica aumento real aos salários há quatro anos.

A Usiminas (USIM5) assinou com o governo do Estado de Minas Gerais compromisso de investimentos no valor de R$ 219,8 milhões. O documento, um protocolo de intenções, foi celebrado em conjunto com as controladas Mineração Usiminas (Musa) e Unigal para atividades de siderurgia e mineração..

As maiores baixas, dentre as ações que compõem o Índice Bovespa, foram:

 Cód.AtivoCot R$% Dia% AnoVol1
 CIEL3 CIELO ON EDJ8,50-5,13+0,31256,31M
 UGPA3 ULTRAPAR ON18,26-2,77-29,62100,88M
 BBAS3 BRASIL ON EJ46,77-2,60+4,44454,26M
 BRKM5 BRASKEM PNA30,76-2,47-35,0883,22M
 ELET3 ELETROBRAS ON42,55-2,41+75,61224,16M

As maiores altas, dentre os papéis que compõem o Índice Bovespa, foram:

 Cód.AtivoCot R$% Dia% AnoVol1
 MRFG3 MARFRIG ON10,53+6,80+92,86101,71M
 BTOW3 B2W DIGITAL ON47,48+5,75+14,33213,85M
 VVAR3 VIAVAREJO ON7,40+5,26+68,56332,99M
 MULT3 MULTIPLAN ON N228,17+3,53+17,1395,85M
 ECOR3 ECORODOVIAS ON13,40+3,47+42,8667,87M

As ações mais negociadas, dentre as que compõem o índice Bovespa, foram:

 CódigoAtivoCot R$Var %Vol1Vol 30d1Neg 
 PETR4 PETROBRAS PN N227,29+0,261,16B1,38B53.418 
 VALE3 VALE ON48,32-0,17754,14M896,55M33.119 
 ITUB4 ITAUUNIBANCOPN34,66-1,67626,63M685,48M29.048 
 ABEV3 AMBEV S/A ON19,35+0,47613,30M342,54M27.829 
 B3SA3 B3 ON44,58-0,76496,76M444,40M26.781 
 BBDC4 BRADESCO PN33,59-1,21486,82M592,83M22.770 
 BBAS3 BRASIL ON EJ46,77-2,60454,26M453,11M26.464 
 MGLU3 MAGAZ LUIZA ON35,81+2,14412,07M375,08M28.346 
 JBSS3 JBS ON29,64+0,61355,72M333,07M38.333 
 VVAR3 VIAVAREJO ON7,40+5,26332,99M216,14M36.779 

* – Lote de mil ações
1 – Em reais (K – Mil | M – Milhão | B – Bilhão)
IBOVESPA

Juros

Após a aguardada decisão de cortar em 0,5 ponto porcentual a taxa Selic, agora resta a expectativa sobre os próximos passos do Comitê de Política Monetária (Copom).

Mesmo com a depreciação cambial depois da última reunião, em julho, os economistas avaliam que a inflação deve seguir bastante confortável, uma vez também que é grande a ociosidade na economia.

No comunicado, o Copom reforçou a visão de que o ciclo de corte de juros ainda não acabou, avaliando “que a consolidação do cenário benigno para a inflação prospectiva deverá permitir ajuste adicional no grau de estímulo”. Além disso, o comitê do Banco Central ressaltou que, em seu cenário básico para a inflação, permanecem fatores de risco em ambas as direções.

De um lado, o BC diz que o “nível de ociosidade elevado pode continuar produzindo trajetória prospectiva abaixo do esperado”. Do outro, há ainda o risco de que uma eventual frustração com a continuidade das reformas possa afetar prêmios de risco e elevar a trajetória da inflação, podendo se agravar em caso de piora do cenário externo.

Na esteira da decisão do Copom, bancos privados já anunciaram cortes dos juros de suas linhas de crédito para pessoa física e jurídica. O Itaú pretende reduzir as taxas já a partir de amanhã, de acordo com o perfil do cliente, enquanto o Bradesco anunciou cortes dos juros a partir da próxima segunda-feira.

Quer investir com corretagem ZERO na Bolsa? Clique aqui e abra agora sua conta na Clear!

O presidente Jair Bolsonaro comemorou no Twitter o corte de juros pelo Banco Central. “Em nosso governo, pela segunda vez, a mais baixa taxa de juros da história do Brasil. É a economia dando certo”, escreveu o presidente. A mensagem já teve mais de 2 mil compartilhamentos, 9,9 mil curtidas e 800 comentários.

Economistas afirmaram que o comunicado apresentado pelo Copom sinaliza que há espaço para mais afrouxamento monetário, ou seja deve ocorrer novos cortes na Selic.

O economista do Santander Rodolfo Margato disse que o tom do comunicado reforça a expectativa do banco de que a taxa Selic encerre o ano em 4,5%, com mais dois cortes seguidos de 0,50 ponto.

O Santander também reitera a expectativa de Selic estável em 4,5% ao longo de 2020. “O grande destaque do comunicado foi a questão das expectativas, principalmente no cenário híbrido”, afirma.

A economista-chefe da Ourinvest Investimentos, Fernanda Consorte, disse que, apesar de não fazer projeções para taxa de juros, avalia ser perfeitamente factível a Selic encerrar ano entre 5% e 4,5%. 

Pesa também a favor, diz, da continuidade dos cortes da Selic, o fato de o cenário de baixa atividade pelo qual passa a economia não possibilitar repasses da alta do dólar para os preços.

(Com Agência Estado, Agência Brasil, Agência Câmara e Bloomberg)