Análise Gráfica

Ibovespa romper os 60 mil pontos não indica novas compras no momento

Dalton Vieira, da InvestMania, salienta que ações do índice não tem gerado pontos de entrada interessantes

SÃO PAULO – O Ibovespa sobe forte na tarde desta terça-feira (18), com alta de 1,47% por volta das 16h55 (horário de Brasília), atingindo os 60.441 pontos. No entanto, o rompimento dessa região pode ser perigoso: embora seja um patamar psicologicamente importante, o efeito pode ser muito curto, com uma alta apenas até o próximo paredão.

A resistência dos 60.000 pontos é considerada bastante importante. Por ser um número redondo – e por isso mesmo, ser chamativa -, acaba atraindo muita gente. “Mas se você for operar por conta disso, não o faça, o rompimento dos 60.000 pontos não está trazendo pontos de entradas em ações”, acredita Dalton Vieira, analista parceiro do InvestMania. Ele destaca que o índice deve buscar a próxima resistência, aos 62.000 pontos, e só sinaliza mudança para o longo prazo se romper os 63.000 pontos. 

“Não vejo isso [o rompimento dos 60.000 pontos] como muito significativo”, avalia. Ele salienta que o Ibovespa está em uma tendência de alta, e rompendo uma área que pode trazer otimismo. Apesar da barreira estar próxima, qualquer sinalização mais forte precisa de uma correção e a formação de um novo fundo ascendente. 

Mas o mercado nacional está prestes a tomar uma “pausa”, diz Vieira, o que pode tirar a “credibilidade” do movimento. “Efetivamente, em termos de volume, só temos esses três últimos pregões no ano, somente quarta, quinta e sexta, parte do mercado até para de acompanhar nesse final de ano “, afirma o analista técnico.

Sem sinais de compras
Um ponto bastante importante para o grafista é a ausência de “pontos de entradas” – o que pode sinalizar que o impulso do índice seja vivido por muito pouco tempo. “No momento não identifico nada, não vejo um alinhamento entre o rompimento dos 60.000 pontos e a criação de pontos de entradas”, diz Vieira.

Ele sinaliza que é possível montar uma operação com a ação da CSN (CSNA3), com um perfil de swing trade – com a manutenção do papel em carteira por diversas semanas. “Ela abriu o pregão bem, mas está acima de uma resistência”, afirma, lembrando que isso pode jogar pressão baixista sobre o papel caso o rompimento não se confirme. 

Para ele, há ações de empresas que estão em patamares importantes, mostrando força, como as da Vale (VALE3; VALE5) – com bastante exposição no índice. Mas mesmo essas ações não estão sinalizando a possibilidade de um impulso no curto prazo, o que pode fazer com que a alta do índice logo vire uma realização.

Para ele, há uma indefinição que continua pesando no índice. “Se você olhar no médio e no longo prazo, o Ibovespa está em uma região indefinida, como podemos ver no gráfico mensal do próprio índice”, salienta.

Vieira acredita que caso o índice venha a romper os 63.000 pontos, aí sim ele deverá ganhar força para buscar a região dos 70.000 pontos. “Mas isso é outra batalha”, finaliza. 

PUBLICIDADE