Bolsa

Ibovespa Futuro zera perdas antes de anúncio de corte e dólar vira para alta de 0,4%

Índice contraria as bolsas europeias ao mesmo tempo em que o dólar mantém a sua trajetória de valorização; CSLL prejudica cenário para bancos

arrow_forwardMais sobre
Aprenda a investir na bolsa

SÃO PAULO – Após uma abertura em baixa, o Ibovespa Futuro zera perdas nesta sexta-feira (22) com investidores de olho no número que será divulgado do contingenciamento do Orçamento no ajuste fiscal, estimado em R$ 70 bilhões. Hoje foi oficializada mais uma medida do ajuste, que é o aumento da CSLL (Constribuição Social sobre o Lucro Líquido) para os bancos para 20%. O mercado também repercute a divulgação do IPCA-15 (Índice de Preços ao Consumidor Amplo), que desacelerou para 0,60% entre 15 de abril e 15 de maio. Lá fora, as bolsas europeias recuam após a divulgação do PIB da Alemanha.

Às 9h46 (horário de Brasília), o contrato futuro do Ibovespa para junho ficava estável, com leve variação positiva de  0,06%, a 55.745 pontos, enquanto o dólar futuro para o mesmo período subia 0,43%, a R$ 3,062. 

A inflação medida pelo IPCA-15 ficou em linha com o que a mediana dos especialistas esperavam, que era um avanço de 0,59%. Em abril, o índice havia subido 1,07%. Em 12 meses, a inflação acumulada do IPCA-15 está em 8,24% ante estimativas de 8,23%. 

Aprenda a investir na bolsa

Na agenda, às 14h, o presidente do Banco Central, Alexandre Tombini e a presidente do FMI (Fundo Monetário Internacional), Cristine Lagarde, participam de seminário sobre metas de inflação. Além disso, serão divulgados os indicadores de criação de novas vagas no mercado de trabalho brasileiro pelo Caged e o Índice de Preços ao Consumidor os Estados Unidos. Os juros dos títulos soberanos dos EUA caem.

No noticiário corporativo, a Petrobras segue como destaque. Nos destaques, a plataforma P-56 da Petrobras (PETR3PETR4) ficou paralisada ontem até as 14h, por causa de uma explosão de um disjuntor em um painel elétrico, segundo o Sindicato do Petroleiros do Norte Fluminense (Sindipetro-NF), em texto publicado no site da Federação Única dos Petroleiros (FUP). Dois trabalhadores ficaram feridos. Houve um princípio de incêndio e a geração de energia foi suspensa com o acidente.

Além disso, de acordo com documentos enviados à Polícia Federal pelo principado de Mônaco, os ex-diretores da Petrobras, Renato Duque e Jorge Zelada, controlavam contas no país por meio de empresas situadas no Panamá. Segundo as informações publicadas na Folha de S. Paulo, há fichas de abertura de contas com a assinatura dos dois executivos, cópias de passaportes e até uma conta de luz no endereço de Zelada. 

Quem também rouba os holofotes são os bancos depois que o governo anunciou o aumento da alíquota da CSLL (Contribuição Social sobre o Lucro Líquido) de 15% para 20%. 

A Vale (VALE3; VALE5) também deve ser impactada com a forte alta do minério de ferro nesta sexta. O preço da commodity no mercado à vista disparou 4%, para US$ 59,90. “A disponibilidade limitada nos estoques portuários e um movimento de recomposição de estoques pelas siderúrgicas levaram a ganhos de mais de 20% nos preços desde abril, mas o posterior aumento da oferta e a fraca demanda por aço continuam a pressionar a cotações”, lembra a Rico Corretora em relatório. 

Bolsas mundiais
Os índices acionários asiáticos fecharam em alta nesta sexta-feira, após Wall Street marcar outra máxima recorde diante de expectativas quase totais de que o Federal Reserve não deve elevar a taxa de juros em junho.

PUBLICIDADE

O índice de Xangai deu continuidade ao rali da sessão anterior, provocado por expectativas de estímulos, e subiu quase 3%. Na semana, o índice marcou alta de 8,1 por cento, maior avanço desde o início de dezembro.

A bolsa de Tóquio, através do índice Nikkei, por sua vez, alcançou a máxima em 15 anos. As ações japonesas foram impulsionadas nesta semana pelo crescimento melhor que as estimativas de analistas no primeiro trimestre. Como amplamente esperado, o banco central japonês deixou a política monetária inalterada e disse que a economia japonesa está melhorando.

Na Europa, o dia é misto, de olho principalmente para os dados da economia alemã. O PIB da maior economia da zona do euro cresceu 1% no primeiro trimestre de 2015 na comparação anual, em linha com a previsão. Enquanto isso, o índice Ifo de sentimento das empresas no país caiu a 108,5 em maio, levemente acima da previsão de mercado.

Atenção também para a fala do presidente do BCE (Banco Central Europeu), Mario Draghi, que destacou que as perspectivas para a economia da região parecem mais “brilhantes” hoje do que nos últimos sete anos. Porém, destacou que parte das perdas com a crise poderão se tornar permanentes. 

Fala do Fed
O presidente do Federal Reserve de São Francisco, John Williams, afirmou hoje que regras para a política monetária podem ser benéficas, mas trazem alguns problemas.

Um deles é que, para serem efetivas, elas precisam dizer o que o Fed faria no momento em que precisasse reduzir os juros de curto prazo para próximo de zero, como em momentos de crise econômica. “Não há dúvidas de que iremos chegar a esse ponto” em algum momento no futuro, disse Williams. 

O Ibovespa Futuro é um bom termômetro de como será o pregão, mas nem sempre prevê adequadamente movimentos na Bolsa a partir do sino de abertura.

(Com Reuters e Agência Estado) 

PUBLICIDADE