Conteúdo editorial apoiado por

Ibovespa Futuro sobe com balanço da Petrobras em foco e às vésperas da ata do Copom

Além da Petrobras, várias empresas divulgam resultados na data de hoje

Felipe Moreira

B3 Bovespa Bolsa de Valores de São Paulo (Germano Lüders/InfoMoney)

Publicidade

O Ibovespa Futuro opera no campo positivo nos primeiros negócios desta segunda-feira (13), véspera da divulgação da ata da última reunião do Comitê de Política Monetária (Copom) que reduziu a taxa Selic para 10,50% ao ano.

A minuta será observada de perto pelos investidores, uma vez que 5 membros do comitê – incluindo o presidente do Banco Central – votaram para uma redução de 0,25 ponto percentual, enquanto 4 diretores optaram por um corte de 0,50 p.p. Ao contrário do início do ciclo, que também começou com um placar dividido, o comunicado não explicitou os motivos dos votos de cada grupo. Assim, a minuta trará mais informações acerca da leitura do BC sobre a conjuntura doméstica e o cenário global.

Analistas consultados pelo Banco Central passaram a ver a taxa básica de juros Selic a 9,75% neste ano depois da redução no ritmo de afrouxamento monetário, com inflação e crescimento da atividade mais altos de acordo com a pesquisa Focus.

Continua depois da publicidade

O levantamento divulgado nesta segunda-feira mostra elevação da estimativa para os juros básicos em relação à taxa de 9,63% esperada na semana anterior, na mediana das projeções. Para o final de 2025 a Selic segue sendo calculada em 9,0%.

Já a temporada de resultados do primeiro trimestre de 2024 entra na reta final, com importantes divulgações, como a Petrobras (PETR4) nesta segunda-feira (13), após o fechamento dos mercados.

Baixe uma lista de 11 ações de Small Caps que, na opinião dos especialistas, possuem potencial de crescimento para os próximos meses e anos

Continua depois da publicidade

Às 9h12, o índice futuro com vencimento em junho subia 0,18%, aos 128.955 pontos.

Em Wall Street, índices futuros operam em alta, com investidores montando posições antes da publicação de novos dados de inflação esta semana. O índice de preços ao consumidor (CPI, na sigla em inglês) será apresentado na quarta-feira, com projeção LSEG de alta de 0,4% na comparação mensal.

Nesta manhã, Dow Jones Futuro subia 0,16%, S&P500 avançava 0,23% e Nasdaq Futuro tinha alta de 0,32%.

Continua depois da publicidade

Ibovespa, dólar e mercado externo


O dólar à vista opera com baixa de 0,34%, cotado a R$ 5,139 na compra e R$ 5,140 na venda. Já dólar futuro (DOLFUT), caia 0,49%, indo aos 5.149 pontos.

No mercado de juros, os contratos futuros operam com baixa, à medida que investidores ajustam posições antes da ata da reunião do Copom que reduziu Selic em 0,25 p.p.. O DIF26 caia 0,03 pp, a 10,55%; DIF27, -0,07 pp, a 10,94%; DIF29 -0,06 pp, a 11,48%; DIF32, -0,04 pp, a 11,77%.

Os preços do petróleo operam com alta, depois de fechar em baixa de 1% na última sexta-feira, com comentários de integrantes ​​do banco central dos EUA a indicarem taxas de juro mais elevadas durante mais tempo, o que poderá prejudicar a procura por parte dos maiores consumidores de petróleo bruto do mundo.

Continua depois da publicidade

As cotações do minério de ferro na China fecharam em alta, com dados de crédito mais fracos do que o esperado na segunda maior economia do mundo eclipsando parcialmente o apoio da perspectiva de mais emissões de títulos pelas autoridades do país para estimular o crescimento econômico.

Os mercados asiáticos fecharam sem direção única, com os da China sofrendo perdas após dados locais de inflação e crédito e em meio à expectativa de que os EUA elevem tarifas sobre produtos de energia limpa chineses, em especial veículos elétricos.

Os mercados europeus operam sem direção única mistos no início da nova semana de negociações e os investidores estarão atentos aos dados de inflação nos EUA.

(com Reuters)