Conteúdo editorial apoiado por
IM Trader

Ibovespa Futuro sobe com atenção a balanços de Vale e B3; falas de Guillen e Galípolo no radar

Sem grandes novidades, investidores parecem digerir comentários do Fed reforçando a percepção de que o início do ciclo de cortes de juros ainda não está próximo

Felipe Moreira

B3 (Germano Lüders/InfoMoney)

Publicidade

O Ibovespa Futuro opera em alta nesta sexta-feira (23), com investidores recupertindo balanços divulgados na noite de ontem, enquanto monitoram falas de Diogo Guillen, ​​​Diretor de Política Econômica do BC, durante evento da Abrasca, e de Gabriel Galípolo,
​Diretor de Política Monetária, em evento da Universidade Federal do ABC.

A mineradora Vale (VALE3) registrou lucro abaixo das expectativas, mas Ebitda e receita em linha, enquanto a B3 (B3SA3) apresentou recuo de 8,8%. Ambas realizam conferências nesta sexta para comentar os resultados.

Às 9h10 (horário de Brasília), o índice futuro com vencimento em abril operava com alta de 0,19%, aos 132.285 pontos.

Curso gratuito

Semana do Trader Sossegado

Uma semana de conteúdo prático e gratuito para você ter ganhos consistentes na bolsa operando apenas 30 minutos por dia

E-mail inválido!

Ao informar os dados, você concorda com a nossa Política de Privacidade.

Em Wall Street, índices futuros dos EUA operavam sem direção única, após o rali da Nvidia levar a novos recordes para as bolsas americanas na véspera. Além disso, investidores parecem digerir comentários de integrantes do Federal Reserve (Fed) reforçando a percepção de que o início do ciclo de cortes de juros ainda não está próximo.

Nesta manhã, o Dow Jones Futuro subia 0,12%, S&P Futuro avançava 0,03% e Nasdaq Futuro registrava queda de 0,07%.

Dólar e mercado externo

O dólar comercial opera com alta de 0,17%, cotado a R$ 4,961 na compra e R$ 4,962 na venda. Já o dólar futuro (DOLFUT) subia 0,08%, indo aos 4,968 pontos.

Os preços do petróleo operam em baixa, depois de um integrante do Fed dos EUA ter dito que os cortes nas taxas de juros deveriam ser adiados por pelo menos mais dois meses.

As cotações do minério de ferro na China fecharam com forte queda semanal em meio a preocupações persistentes com a demanda no principal consumidor, a China, mesmo com a recuperação dos preços na sexta-feira devido a preocupações com uma possível interrupção no fornecimento no Brasil devido a um acidente de trem. O minério de ferro de referência SZZFH4 de março na Bolsa de Cingapura subia 0,43%, a US$ 120,2 a tonelada.

As bolsas asiáticas fecharam majoritariamente em alta nesta sexta-feira, após Wall Street vivenciar um rali com o robusto balanço da Nvidia, fabricante de chips americana que está no centro da onda de inteligência artificial (IA). Na China continental, os mercados ampliaram ganhos recentes, sustentados ainda também por recentes medidas de apoio de Pequim.

Os mercados europeus operam majoritariamente em alta, ampliando o impulso positivo após o índice de referência pan-europeu ter fechado num máximo recorde na sessão anterior. O índice de referência encerrou a sessão 0,82% mais alto, em 495,1 na quinta-feira, superando seu recorde anterior de fechamento de 494,35 em 5 de janeiro de 2022, mostraram dados do LSEG.

Os investidores irão digerir os lucros da Allianz, BASF e Standard Chartered na sexta-feira. A confiança do consumidor no Reino Unido, por sua vez, caiu em fevereiro, mostraram na sexta-feira novos dados de inquérito da GfK, indicando que a inflação mais elevada continua a pesar sobre as esperanças de uma recuperação econômica.