Abertura

Ibovespa Futuro sobe 1% e dólar cai após China se oferecer a comprar US$ 10 bi em produtos dos EUA

Mercado tem dia de forte otimismo, em meio a bons sinais vindos dos chineses em relação à guerra comercial

(Shutterstock)

SÃO PAULO – O Ibovespa Futuro abre em alta nesta quarta-feira (9) impulsionado pelo dia de ganhos nas bolsas internacionais e nos futuros dos índices americanos após a China se oferecer a comprar US$ 10 bilhões em mercadorias dos Estados Unidos.

No Brasil, governo e Congresso chegaram finalmente a um acordo na distribuição dos R$ 106,5 bilhões do megaleilão do pré-sal que ocorre em novembro. Serão 15% aos municípios e 15% aos estados, sendo que essa última fatia está dividida em 10% ao Fundo de Participação dos Estados (FPE) e 5% aos estados produtores e exportadores de petróleo.

Com essa polêmica fora do caminho, não deve haver mais obstáculos para reforma da Previdência ser votada em segundo turno no plenário do Senado, como apontou o líder do governo na Casa, senador Fernando Bezerra Coelho (MDB-PE).

PUBLICIDADE

Às 9h05 (horário de Brasília) o contrato futuro do Ibovespa para outubro subia 1,13% a 100.930 pontos, enquanto o dólar futuro para novembro cai 0,48% a R$ 4,0815.

No mercado de juros futuros, o DI para janeiro de 2021 recua quatro pontos-base a 4,77%, ao passo que o DI para janeiro de 2023 tem queda de cinco pontos-base a 5,92%.

Entre os indicadores, o Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA) caiu 0,04% em setembro, contra o avanço de 0,03% esperado de acordo com o consenso Bloomberg. Em agosto, a inflação havia crescido 0,11%. A inflação oficial brasileira acumula 2,49% de aumento no ano e 2,89% em 12 meses.

Sobre guerra comercial, a notícia divulgada no Financial Times sobre as compras da China ajudou a mitigar o ambiente de aversão a risco no mercado financeiro global, que refletia mais cedo a tomada de medidas mais agressivas dos EUA contra a superpotência asiática.

Depois de incluir 28 empresas chinesas na “lista negra”, que dificulta os negócios com os americanos, o secretário de Estado dos EUA, Mike Pompeu, proibiu funcionários e altos oficiais da China de tirarem visto para viajar aos Estados Unidos. A explicação oficial para barrar a entrada dessas pessoas é que elas estariam ligadas às detenções em massa de muçulmanos na província de Xinjiang.

Noticiário Corporativo

O presidente da Petrobras, Roberto Castello Branco, declarou que a venda de ativos da estatal petrolífera não representa o “desmonte” da empresa, conforme críticos da decisão apontam. Segundo o executivo, o “processo de desinvestimento” visa fortalecer a estatal, concentrando os recursos humanos e financeiros de que a empresa dispõe em atividades mais rentáveis e sustentáveis a longo prazo.

PUBLICIDADE

Ainda sobre a Petrobras, a companhia finalizou a venda da totalidade da sua participação nos campos de Pargo, Carapeba e Vermelho, localizados em águas rasas na Bacia de Campos (RJ) para a Perenco Petróleo e Gás do Brasil. A operação foi concluída com o pagamento de cerca de US$ 324 milhões para a Petrobras, com os ajustes previstos no contrato. Esse valor se soma a US$ 74 milhões pagos à Petrobras na assinatura dos contratos de venda.

O Estadão destaca também que três licitações de áreas de exploração e produção de petróleo e gás nas próximas semanas devem render R$ 237 bilhões à União e à Petrobras. Cerca de R$ 120 bilhões devem ser direcionados à petroleira por investimentos realizados nas áreas e R$ 117 bilhões virão do bônus de assinatura.

A JBS é alvo dos senadores Marco Rubio (Republicano) e Robert Menendez (Democrata), que enviaram uma carta ao secretário do Tesouro dos EUA, Steven Mnuchin, pedindo a abertura de investigação sobre aquisições feitas pela companhia no país, entre 2007 e 2015, por conta do suposto envolvimento da empresa em casos de corrupção no Brasil e na Venezuela. No período, a JBS comprou Swift, Smithfied Foods, Pilgrim’s Pride e o braço de suínos da Cargill.

O governo federal sancionou a lei que altera a legislação de telecomunicações no Brasil. Segundo o ministro da Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações (MCTIC), Marcos Pontes, a regulamentação do novo Marco Legal das Telecomunicações do país deve levar cerca de um ano. “Já tem sido feito pela Anatel [Agência Nacional de Telecomunicações]. Aproximadamente um ano para a gente ter isso completo”, projetou.

A joalheria Vivara estreia amanhã na B3, cotada a R$ 24, o que representou uma captação de R$ 2,3 bilhões. Do total, R$ 453 milhões vieram da oferta primária, que servirá para injetar recursos no caixa da companhia. A empresa deverá usar os recursos ainda para abertura de lojas e possíveis pequenas aquisições.

(Com Agência Estado, Agência Brasil, Agência Câmara, Agência Senado e Bloomberg)

Quer investir melhor o seu dinheiro? Clique aqui e abra a sua conta na XP Investimentos