Conteúdo editorial apoiado por
IM Trader

Ibovespa Futuro segue exterior e opera com alta, em movimento de reação após seguidas baixas

Vendas do varejo acima das expectativas, ata do BCE e indicadores de atividade nos EUA no radar

Felipe Moreira

Publicidade

O Ibovespa Futuro opera em alta nesta quinta-feira (18), acompanhando a recuperação do mercado internacional, à medida que investidores calibram as apostas para o início de cortes de juros pelos bancos centrais globais, após dados na véspera reduzirem as apostas de um movimento em breve.

Na agenda local, o ministro da Fazenda, Fernando Haddad, reúne-se hoje com o presidente da Câmara dos Deputados, Arthur Lira (PP-AL), para discutir a medida provisória (MP) da reoneração. Já o presidente Lula cumpre agendas na Bahia e em Pernambuco. Em Recife, ele participa da cerimônia de retomada das obras da Refinaria Abreu e Lima (Rnest).

Às 9h13, (horário de Brasília) o índice futuro com vencimento em fevereiro operava com alta de 0,64%, aos 130.015 pontos.

Masterclass

As Ações mais Promissoras da Bolsa

Baixe uma lista de 10 ações de Small Caps que, na opinião dos especialistas, possuem potencial de valorização para os próximos meses e anos, e assista a uma aula gratuita

E-mail inválido!

Ao informar os dados, você concorda com a nossa Política de Privacidade.

Em Wall Street, índices futuros dos EUA operavam majoritariamente em alta, após uma sessão de queda provocada por dados de vendas no varejo mais fortes que o esperado, que demonstram a resiliência da economia americana e dificultam a tarefa do Federal Reserve (Fed, banco central dos EUA) de cortar juros. Os juros americanos de 10 anos chegaram a atingir 4,12% na quarta-feira, nível mais alto desde a segunda semana de dezembro.

Na agenda americana, saem os pedidos semanais de auxílio desemprego nesta manhã de quinta-feira, assim como os dados sobre o início de habitações e licenças de construção. O presidente do Fed de Atlanta, Raphael Bostic, também deve falar.

Nesta manhã, o Dow Jones Futuro caía 0,07%, S&P Futuro avançava 0,35% e Nasdaq Futuro registrava alta de 0,71%.

Dólar e mercado externo

O dólar comercial operava com baixa de 0,23%, cotado a R$ 4,918 na compra e R$ 4,920 na venda. Já o dólar futuro (DOLFUT) caía 0,34%, indo aos 4.929 pontos. Enquanto isso, DXY, índice que mede a força do dólar perante à uma cesta de moedas, opera com baixa de 0,13%, a 103,31 pontos.

No mercado de juros, os contratos recuavam nesta manhã de quinta-feira. O DIF25 -0,01 pp, a 10,09%; DIF26, -0,03 pp, a 9,73%; a DIF27, -0,03 pp, a 9,90%; DIF28, -0,02 pp, a 10,16%; DIF29 -0,01 pp, a 10,33%.

As bolsas asiáticas fecharam em alta nesta quinta-feira, numa recuperação parcial das fortes perdas de ontem, em meio ao bom desempenho de ações de tecnologia. Os mercados chineses, porém, apagaram apenas uma fração das quedas de mais de 2% do pregão anterior, quando dados econômicos mais fracos do que o esperado pesaram nos negócios.

Já os mercados europeus operam em alta, à medida que banqueiros centrais da região continuam reforçando a necessidade de cautela na condução da política monetária. O índice pan-europeu sobe (Stoxx 600: 0,4%) em dia de divulgação da ata do BCE, e atenções permanecem em Davos, nas discussões do Fórum Econômico Mundial.

Os preços do petróleo operam com ganhos após a Organização dos Países Exportadores de Petróleo (OPEP) prever um crescimento relativamente forte na procura global de petróleo durante os próximos dois anos e uma onda de frio nos EUA que interrompeu alguma produção de petróleo.