Comentário diário

Ibovespa Futuro reflete cautela com falta de sinais de estímulos nos BCs globais

Pré-market opera entre perdas e ganhos sem força para seguir rali em meio a frustração de expectativas de incentivos econômicos

SÃO PAULO – O Ibovespa Futuro abre estável nesta sexta-feira (22), com preocupações pela cautela mostrada pelos bancos centrais do Japão e da zona do euro em ampliar estímulos. Somando-se a isso estão as preocupações com o cenário geopolítico após o presidente turco Recep Tayyip Erdogan sinalizar que o estado de emergência no país pode durar além dos três meses. No Brasil, no entanto, as notícias são positivas após o Tesouro conseguir captar US$ 1,5 bilhão em bonds com vencimento em 2047 e taxa de 5,875%, mostrando interesse do investidor estrangeiro nos nossos títulos.  

Às 9h17 (horário de Brasília), o contrato futuro do índice para agosto subia 0,02%, a 57.320 pontos. Já o dólar futuro para o mesmo mês tem alta de 0,18% a R$ 3,289. No mercado de juros futuros, o DI para janeiro de 2018 tem leve alta de 1 ponto-base a 12,78%, ao passo que o DI para janeiro de 2021 registra ganhos de 4 pontos-base a 12%. 

Entre as commodities, o minério de ferro spot com 62% de pureza e entrega no porto de Qingdao caiu 2,27% a US$ 55,87 a tonelada seca. Já o petróleo tem leve alta de 0,13% a US$ 46,26 o barril do Brent. 

Cenário externo
O dia mais uma vez é de cautela para a maior parte das bolsas mundiais, de olho nas falas de autoridades do Bank of Japan, que parecem mais cautelosas com a ideia de ampliar os estímulos à economia. O Nikkei teve queda de mais de 1% nesta sessão após alta do iene na véspera, com investidores menos otimistas com possibilidade de adoção do “dinheiro de helicóptero” – estratégia pela qual governo emite títulos perpétuos, sem data de vencimento, não negociáveis em mercado e sim comprados diretamente pelo BC.

Já na Europa, o foco ficou para os PMIs: o PMI Composto preliminar da zona do euro medido pelo Markit caiu para 52,9, ante 53,1 em junho, leitura mais baixa desde janeiro de 2015, mas acima da expectativa do mercado de 52,5. Leitura acima de 50 indica crescimento. Já o PMI composto na França fica em 50, limite entre expansão e contração, enquanto cai abaixo de 50 no Reino Unido, na sequência do Brexit.

João Santana admite caixa dois
O mercado também deve repercutir as falas dos ex-marqueteiros do PT. O publicitário João Santana e sua mulher, Mônica Moura, admitiram na quinta-feira em audiência com o juiz Sergio Moro que receberam dinheiro de caixa dois para a campanha eleitoral de Dilma Rousseff de 2010. 
Pacote de bondades
Ainda no cenário político, destaque para a notícia da Folha de S. Paulo de que o presidente interino Michel Temer prepara uma espécie de “pacote de bondades” para o Congresso Nacional com o objetivo de aprovar propostas econômicas de interesse da administração federal e sacramentar o impeachment de Dilma. Além disso, o relatório bimestral de receitas e despesas do governo deve ser divulgado hoje. 

Tolerância com Temer?
Analistas consultados pelo Broadcast, o serviço de notícias em tempo real da Agência Estado, citam preocupações com o cenário fiscal após o Ministério do Planejamento confirmar o envio de ao Congresso de projetos de lei referentes a reajustes salariais de mais de 14 categorias de servidores públicos. Os gastos já estavam previstos no Orçamento, de acordo com o Executivo, mas é um sinal preocupante considerando-se que veio ao mesmo tempo em que o governo desistiu de apresentar um contingenciamento de até R$ 20 bilhões na LDO (Lei de Diretrizes Orçamentárias) e que o ministro do Planejamento, Eliseu Padilha, disse que o governo usará uma reserva de R$ 38 bilhões para evitar os cortes.  
Bolsa pode confirmar o “call da década”
Desde segunda-feira (18), o Ibovespa abriu caminho para o “call da década”, que se dará com a confirmação do rompimento dos 56 mil pontos no gráfico semanal nesta sexta, conforme alertou o analista técnico da Clear Corretora, André Moraes (conforme pode ser visto clicando aqui). 

Temporada de resultados e destaques corporativos
A Localiza deu início à temporada de resultados do segundo trimestre reportando um lucro líquido de R$ 98 milhões, ficando 4,9% acima de um ano antes. O Ebitda (lucro antes de juros, impostos, depreciação e amortização) consolidado, somou R$ 234,3 milhões, alta de 5,1% ante o segundo trimestre do ano passado. Ainda entre os destaques, a Gafisa apresentou sua prévia operacional do segundo trimestre, enquanto a Qualicorp informou que aCVC Partners e a Carlyle negaram interesse em fazer uma OPA da empresa. Por fim, destaque para a notícia da Bloomberg de que a BRF planeja IPO de US$ 1,5 bilhão da Sadia Halal, segundo fonte ouvida pela agência. 

Goldman Sachs: dólar devia estar entre R$ 3,60 e R$ 4,00
Para o economista-chefe do Goldman Sachs, Alberto Ramos, o câmbio deveria estar na faixa de R$ 3,60 e R$ 4,00. A casa dos R$ 3,30 deveria ser atingida somente quando as questões fiscais já estivessem endereçadas. Para ele, esse “otimismo exagerado” aliado às condições monetárias acomodatíciais no exterior (com a onda dos juros negativos nos mercados desenvolvidos) colocou o câmbio em um patamar de preocupação. “O real está ficando sobrevalorizado novamente” e o Brasil não tão barato quanto imaginam, disse durante evento realizado em São Paulo (para conferir a matéria completa clique aqui).

O Ibovespa Futuro é um bom termômetro de como será o pregão, mas nem sempre prevê adequadamente movimentos na Bolsa a partir do sino de abertura.

 Assista à programação do InfoMoney TV desta sexta-feira: 

PUBLICIDADE

[livestream url=”https://livestream.com/accounts/7176272/events/2767025/”]