Abertura do mercado

Ibovespa futuro acompanha exterior e avanço de commodities e registra alta; dólar cai

Wall Street Journal destacou que o Fed está a caminho de elevar as taxas de juros em 75 pontos-base em sua reunião, sem aceleração no ritmo de alta

Por  Felipe Moreira -

O Ibovespa futuro opera em alta nos primeiros negócios desta segunda-feira (18), acompanhando o pré-mercado em Nova York e o desempenho das Bolsas na Europa e na Ásia. Os investidores estão apostando que o Federal Reserve (Fed) será menos agressivo em sua próxima reunião. O Wall Street Journal informou ontem (17) que o Fed está a caminho de elevar as taxas de juros em 75 pontos-base em sua reunião no final deste mês.

Aqui no Brasil, as atenções se voltam para reunião do presidente Jair Bolsonaro com embaixadores para denunciar supostas fraudes no sistema eleitoral. Segundo o presidente, serão apresentadas provas sobre irregularidades nas eleições de 2014 e 2018.

Por aqui, atenção ainda para o Focus: o mercado passou a ver maior aperto monetário em 2023 em meio a projeções mais elevadas para a inflação geral e para os preços administrados. A pesquisa semanal com uma centena de economistas mostrou manutenção da perspectiva de que a taxa básica de juros encerrará este ano a 13,75%, mas para 2023 a conta para a Selic subiu a 10,75%, de 10,50%.

A sessão também é positiva para commodities, com avanço dos contratos futuros de minério de ferro em Cingapura e Dalian. Os preços do petróleo sobem mais de 1% no mercado internacional.

Às 9h08 (horário de Brasília), o Ibovespa futuro com vencimento para agosto operava em alta de 0,73%, aos 98.370 pontos.

O dólar comercial caía 0,54%, a R$ 5,375 na compra e R$ 5,376 na venda. O dólar futuro para agosto tinha queda de 0,66%, a R$ 5,395.

Os juros futuros operam mistos: DIF23, 0,00 pp, a 13,88%; DIF25, – 0,04 pp a 13,10%; DIF27, 0,00 pp, a 12,97%; e DIF29, +0,01 pp, a 13,10%.

Os índices futuros de ações dos EUA sobem hoje, à espera de um tom menos negativo do Fed e com o início de uma semana movimentada com balanços trimestrais importantes, como Bank of America, Goldman Sachs, Charles Schwab e IBM hoje.

Dow Jones futuro subia 1,12%, enquanto os futuros do S&P 500 avançava 1,04% e o Nasdaq futuro operava com alta de 1,27%.

Os mercados asiáticos terminaram o dia de hoje com altas de até +2,70% (Hong Kong), em um dia marcado por poucas notícias macro e locais.

Ancorado na tendência global de alta hoje, os mercados da Europa operam no positivo, com ganhos acima de 1%. O cenário é resultado de uma expectativa um pouco mais otimista do mercado em relação à elevação da taxa de juros por parte do BCE.

O BCE deve elevar o juro pela primeira vez em mais de uma década.

Análise técnica por Pamela Semezatto, analista de investimentos e especialista em day trader da Clear Corretora

Ibovespa

Depois de 5 dias consecutivos de baixa e mostrando sinais de força na venda, o Ibovespa não conseguiu dar continuidade no movimento (mais uma vez). Depois do rompimento do suporte de 100 mil pontos, seguimos esperando por boa continuidade da venda ou por um sinal de reversão para altas, mas ainda não mostrou e já está se aproximando do próximo suporte de 94 mil pontos. Então segue mais forte na tendência de baixa no curto prazo e de lateralização no curtíssimo prazo.

Dólar

Trabalha em região de resistência em 5.500 pontos e de média de 200 aritmética. Confirmou a falha de rompimento do topo anterior e podemos esperar por um movimento mais lateral nessa região, ainda não dá para dizer qual a extremidade de suporte dessa possível lateralização. O próximo suporte forte está em 5.300 e, enquanto estiver acima desse ponto, segue mais comprador para o curto prazo.

Oportunidade de compra? Estrategista da XP revela 6 ações baratas para comprar hoje. Assista aqui.

Compartilhe