Fechamento

Ibovespa fecha em alta de 1,3% e encosta nos 102 mil pontos em meio a sucesso de teste de vacina da Moderna

Mercado termina mais uma sessão com desempenho bastante positivo por esperança de avanços no tratamento da pandemia

Painel de ações (Crédito: Shutterstock)
Aprenda a investir na bolsa

SÃO PAULO – O Ibovespa fechou em alta nesta quarta-feira (15) e encostou nos 102 mil pontos seguindo o otimismo global por conta do último teste conduzido pela empresa de biotecnologia Moderna, que induziu respostas de anticorpos contra a Covid-19 em todas as 45 pessoas que participaram.

Com a alta de hoje, o principal índice acionário da B3 segue em seu maior patamar desde 5 de março deste ano, quando o Ibovespa terminou a sessão cotado em 102.233 pontos.

As ações da Moderna dispararam 9,5% em Nova York devido à notícia do sucesso do teste, ao mesmo tempo em que papéis expostos a uma recuperação econômica pós-pandemia também registraram ganhos. Destaque para a valorização em torno de 14% das companhias aéreas American Airlines e United Airlines.

Aprenda a investir na bolsa

Os índices acionários americanos Dow Jones, S&P 500 e Nasdaq fecharam em altas entre 0,6% e 0,9%.

Já o Ibovespa teve ganhos de 1,34% a 101.790 pontos com volume financeiro negociado de R$ 27,921 bilhões. Na máxima do dia o benchmark chegou a bater 102.113 pontos.

Enquanto isso, o dólar comercial encerrou o pregão em alta de 0,66% a R$ 5,3828 na compra e a R$ 5,3838 na venda. Já o dólar futuro para agosto se aprecia 0,32% a R$ 5,391 no after-market.

No mercado de juros futuros, o DI para janeiro de 2022 subiu três pontos-base a 3,05%, o DI para janeiro de 2023 ganhou quatro pontos-base a 4,15% e o DI para janeiro de 2025 avançou três pontos-base a 5,62%.

Não obstante o otimismo com a vacina, Mark Nash, responsável pela área de renda fixa global na Merian Global Investors, lembra que ainda há um temor muito grande de uma recuperação econômica em formato de W, ainda mais com o avanço do coronavírus em locais que tomaram medidas de relaxamento do isolamento social.

Por aqui, o presidente Jair Bolsonaro sancionou o novo marco legal do saneamento. O texto abre espaço para a iniciativa privada atuar com mais força na exploração dos serviços de abastecimento de água, coleta e tratamento de esgoto.

PUBLICIDADE

Além disso, seguem nos noticiários as discussões para a criação de novos impostos que possam dar suporte ao novo programa de distribuição de renda do governo e à desoneração da folha de pagamentos.

A equipe do ministro Paulo Guedes (Economia) estuda a criação de um tributo aos moldes da antiga CPMF para custear o Renda Brasil.

Há também a iniciativa de um tributo sobre pagamento, em especial aqueles sobre as vendas do comércio eletrônico. A ideia é de uma alíquota de 0,2% que poderia arrecadar mais de R$ 100 bilhões aos cofres públicos.

Na Ásia, há tensão após o presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, afirmar que vai eliminar a preferência dada ao território de Hong Kong. O motivo para o fim do acordo é a nova Lei de Seguridade Nacional imposta pela China.

O Ministério de Relações Exteriores chinês reagiu, afirmando que o governo americano tentava interferir em assuntos internos e que estava cometendo um erro.

Fake news

A Polícia Federal quer ter acesso a todos os dados da investigação que o Facebook fez ao excluir contas consideradas inautênticas. O pedido, segundo o jornal “Folha de S.Paulo”, foi feito no âmbito do inquérito que apura o financiamento dos atos antidemocráticos, cuja relatoria é do ministro Alexandre de Moraes, do Supremo Tribunal Federal.

A PF argumenta no pedido que a determinação à rede social deve ocorrer de maneira urgente, para que as pessoas envolvidas com as contas removidas não tenham tempo de se desfazer dos dados.

Nova CPMF e Imposto digital

O ministro da Economia, Paulo Guedes, trabalha junto com líderes do centrão para tentar diminuir a aversão dos congressistas a um projeto que implemente uma contribuição sobre as movimentações financeiras, aos moldes da antiga CPMF. Segundo o jornal “Folha de S.Paulo”, a ideia é que a nova contribuição ajude a bancar o projeto social do governo, o Renda Brasil.

PUBLICIDADE

A tentativa será discutir uma alíquota baixa para a nova contribuição, isentando pessoas com renda de até 2 ou 2,5 salários mínimos.

Guedes também quer criar um sobre pagamentos para ser aplicado, sobretudo, às compras do comércio eletrônico. A alíquota, segundo o jornal “Folha de S.Paulo”, seria de 0,2% e que seria uma alternativa à tributação sobre salários.

A expectativa é que a medida possa arrecadar mais de R$ 100 bilhões. O comércio eletrônico tem apresentado crescimento em meio à pandemia do novo coronavírus.

Ainda em destaque, a reforma tributária será analisada por uma comissão especial da Câmara que deve voltar a reunir-se a partir desta quarta-feira, enquanto a PEC que torna o Fundeb permanente pode ser votada no Plenário na semana que vem, segundo informações da Agência Câmara.

Radar corporativo

A Lojas Americanas levantou R$ 7,87 bilhões em seu “follow on”. As ações ordinárias saíram a R$ 34,50 reais e as ordinárias a R$ 29,78.

Os recursos serão utilizados para capitalizar a controlada B2W, dona de sites de comércio eletrônico como Americanas.com, além de investimentos na Ame Digital e na expansão dos negócios.

Maiores altas

AtivoVariação %Valor (R$)
EMBR39.238458.75
SBSP38.5211361.64
CVCB37.6104321.48
GOLL46.8226121.92
SUZB35.9738138.85

Maiores baixas

AtivoVariação %Valor (R$)
MRVE3-2.0613620.43
CSNA3-2.0508611.94
IRBR3-1.935489.12
BTOW3-1.52131113.93
YDUQ3-1.4202934.01

E a Petrobras manteve sua meta de endividamento bruto para 2020, mas o presidente da empresa, Roberto Castello Branco, afirmou que ela pode ser superada.

A companhia espera uma queda a R$ 60 bilhões, mas sem especificar quando a meta deve ser atingida.

PUBLICIDADE

Apesar dos atrasos de cronograma, a estatal não alterou planos de desinvestimentos e deve anunciar novidades na venda de ativos nos próximos meses, acrescentou o executivo, segundo a agência Reuters.

Já a BR Distribuidora informou que retomou a comercialização de gasolina de aviação após uma paralisação preventiva no fornecimento pela Petrobras, sua única provedora do combustível.

A suspensão foi adotada após a estatal detectar, no sábado, um lote de gasolina para aeronaves (AVGAS) com teor de compostos aromáticos diferente dos lotes até então importados, embora dentro dos requisitos de qualidade exigidos pela Agência Nacional do Petróleo (ANP).

A BR informou que a retomada das vendas ocorre após a Petrobras oferecer informações técnicas que permitem a identificação exata desse lote.

E no mercado externo a Braskem, por meio da Braskem Netherlands Finance, prepara uma emissão de notas subordinadas no mercado internacional. A operação busca US$ 500 milhões, segundo informações do jornal “Valor Econômico”.

Inscreva-se na EXPERT 2020 e acompanhe o maior evento de investimentos – Online e gratuito