Fechamento

Ibovespa cai 2% em semana marcada por temor de segunda onda da Covid e pessimismo do Fed; dólar sobe a R$ 5,04

Mercado mostra cautela diante de aumento nos casos do coronavírus

Ações em queda (Crédito: Shutterstock)

SÃO PAULO – O Ibovespa fechou em forte queda nesta sexta-feira (12) e terminou a semana em baixa de 1,95% com os temores de uma segunda onda de coronavírus e as falas pessimistas do presidente do Federal Reserve, Jerome Powell, na quarta-feira (10) pesando sobre um rali que chegou a levar a Bolsa a subir sete vezes consecutivas.

Hoje, o dia foi de tirar parte da diferença de desempenho entre as ações brasileiras e os ADRs (na prática, as ações de empresas brasileiras negociadas na bolsa de Nova York). Ontem, as bolsas internacionais caíram forte devido à preocupação de que regiões que estão flexibilizando suas quarentenas registrem novos picos da pandemia após a universidade Johns Hopkins revelar aumentos na contaminação em estados americanos como Arizona, Carolina do Sul e Texas.

Na ocasião, com a B3 fechada pelo feriado de Corpus Christi, o índice de ADRs Brazil Titans despencou 8,7%. Já o EWZ, índice que reúne as ações de maior liquidez da Bolsa brasileira, afundou 7,84%.

PUBLICIDADE

O Ibovespa fechou hoje em queda de 2,00% a 92.795 pontos com volume financeiro negociado de R$ 35,48 bilhões. A recuperação das bolsas internacionais nesta sexta, passado o “sell-off” do dia anterior, ajudou a impedir uma baixa mais forte. Os índices Dow Jones e S&P 500 subiram 1,90% e 1,31% respectivamente.

Já o dólar futuro para julho opera em alta de 1,37% a R$ 5,048 enquanto o dólar comercial fechou em alta de 2,14% a R$ 5,0436 na compra e a R$ 5,0454 na venda. Na semana, a moeda dos EUA se valorizou 1,16% sobre o real.

No mercado de juros futuros, o DI para janeiro de 2022 teve queda de três pontos-base a 3,05%, o DI para janeiro de 2023 caiu dois pontos-base a 4,10% e o DI para janeiro de 2025 recuou dois pontos-base a 5,65%.

Durante a tarde, o banco central americano publicou seu relatório Fed Listens, no qual ficou mais uma vez clara a preocupação com o desemprego no longo prazo apesar dos EUA terem criado 2,5 milhões de vagas em maio. “Os empregos podem demorar para retornar e para os trabalhadores das indústrias de serviços que foram significativamente afetados – viagens e restaurantes, por exemplo – algumas perdas de emprego podem ser permanentes.”

Causou preocupação ainda a queda de 20,4% no Produto Interno Bruto (PIB) do Reino Unido em abril na comparação com o mês anterior. Foi a maior retração já registrada em uma comparação mensal. Em relação a abril de 2019, o recuo foi de 24,5%.

Ambiente político e combate ao coronavírus

O noticiário político se divide entre as tentativas do presidente Jair Bolsonaro de reforçar a sua base de apoio, as investigações sobre as fake news e o combate ao novo coronavírus.

PUBLICIDADE

Segundo o jornal Folha de S.Paulo, o ministro Og Fernandes, do Superior Tribunal de Justiça ,deve decidir nesta sexta-feira se autoriza o compartilhamento do inquérito das fake news com as ações que pedem a cassação da chapa de Jair Bolsonaro no Tribunal Superior Eleitoral (TSE).

Ainda em Brasília, Bolsonaro recriou, na quarta-feira à noite, o Ministério das Comunicações. A pasta será comandada pelo deputado federal Fábio Faria (PSD-RJ), genro de Sílvio Santos, que é dono da rede de televisão SBT.

Além de um gesto ao empresário, que tem mostrado proximidade com o atual governo, o movimento dá continuidade às investidas de Bolsonaro em direção ao centrão e em busca de construir uma base aliada no Congresso Nacional.

O Ministério das Comunicações ficará responsável por uma série de áreas, entre elas a política de comunicação social do governo e o leilão das frequências de 5G.

O avanço do coronavírus é outro assunto que fica no radar. Segundo o último balanço do Ministério da Saúde, o Brasil totaliza 802.828 casos confirmados e 40.919 óbitos.

Panorama corporativo

Entre os destaques corporativos, a mineradora Vale informou que obteve liminar para suspender decisão anterior que exigia da companhia R$ 7,9 bilhões em garantias para assegurar o pagamento de eventuais multas pelo desastre de Brumadinho (MG).

“O desembargador considerou que não há elementos que evidenciem riscos futuros de descumprimento de uma posterior decisão sobre o caso, por parte da Vale”, afirmou a empresa no comunicado.

Maiores altas

AtivoVariação %Valor (R$)
CRFB32.4986118.46
BEEF32.3492613.07
MRFG32.3015912.89
LAME42.187431.3
ENGI111.1196448.77

Maiores baixas

AtivoVariação %Valor (R$)
IRBR3-11.3425911.49
CVCB3-9.4429920.81
GOLL4-8.3992118.54
BRKM5-7.7669924.7
CIEL3-7.675444.21

Já a Latam Airlines Brasil e a Delta Air Lines apresentaram na quarta-feira ao Conselho Administrativo de Defesa Econômica (Cade) uma versão preliminar do acordo de joint venture. O processo de aprovação regulatória representa o primeiro passo para o acordo.

PUBLICIDADE

Uma vez garantidas as aprovações regulatórias, a parceria irá conectar as malhas aéreas complementares das empresas entre as Américas do Norte e do Sul.

E as administradoras de shoppings seguem retomando as suas operações com as medidas de flexibilização do isolamento social.

A Aliansce Sonae anunciou a abertura sete shoppings na quinta-feira. Já a JHSF informou a retomada da operação do Shopping Cidade Jardim, em São Paulo.

Um intensivo de 4 dias para aprender a extrair o primeiro lucro na Bolsa: conheça o Do Zero ao Gain, novo curso gratuito do analista André Moraes!