Comentário diário

Ibovespa cai 0,3% entre derrocadas das commodities e euforia dos bancos após balanço; dólar avança

Otimismo com a aprovação da reforma trabalhista e balanço melhor do que o esperado do Bradesco foi apagado por pessimismo crescente sobre os preços do minério de ferro; as ações da Vale caíram 4% nesta sessão, contribuindo para a segunda queda seguida do principal índice de ações da bolsa

arrow_forwardMais sobre

SÃO PAULO – Comemorações sobre a aprovação da reforma trabalhista e o balanço melhor do que o esperado do Bradesco foram ofuscadas pela queda de 4% das ações Vale neste quinta-feira (27).  Projeções pessimistas sobre o minério jogaram por água abaixo possíveis reações mais positivas do mercado com o balanço do 1° trimestre da companhia. A Petrobras, que recuou 2% com o petróleo, também contribuiu para o dia negativo da bolsa. 

Com isso, o benchmark da bolsa brasileira caiu 0,29%, a 64.676 pontos, nesta sessão, marcando sua segunda queda seguida. Na máxima do dia, o índice subiu 0,72%, a 65.326 pontos; e na mínima, caiu 0,88%, a 64.292 pontos. O volume financeiro movimentado nesta sessão foi de R$ 7,7 bilhões. 

Já o dólar comercial subiu 0,28%, a R$ 3,1805 na compra e R$ 3,1820 na venda. Os contratos de dólar futuro com vencimento em maio deste ano, subiam 0,24%, sinalizando cotação de R$ 3,182. Vale menção que a negociação com os contratos futuros encerra às 18h (horário de Brasília) na B3. 

PUBLICIDADE

No mesmo horário os contratos de juros futuros com vencimento em janeiro de 2018 operavam estáveis, a 9,51%, ao passo que os DIs com vencimento em 2021 subiam 4 pontos-base, a 10,12%, dando sequência as fortes altas dos últimos pregões.  Contribuiu para o movimento do mercado de renda fixa o mau humor gerado com o adiamento da votação da reforma da Previdência em comissão especial em um dia, uma consequência do cancelamento da discussão marcada para esta quinta na comissão.

“Ontem, vimos uma disparada do dólar para R$ 3,21. Acima de R$ 3,17, as chances de subir para a faixa de R$ 3,20/R$ 3,23 eram importantes”, escreveu o diretor de câmbio da Wagner Investimentos, José Faria Júnior. Para ele, há espaço para a moeda americana subir mais enquanto se mantiver acima do ponto de reversão de R$ 3,17.

No radar dos investidores, além da aprovação da reforma trabalhista com 296 votos favoráveis — quórum mais baixo que o governo precisará para aprovar as mudanças na Previdência –, destaque para a agenda de Donald Trump após um anúncio considerado vago pelo mercado de redução de impostos nos Estados Unidos, a manutenção da política monetária do BCE (Banco Central Europeu).

Confira ao que se atentar neste pregão:

Destaques de ações

Do lado acionário, os papéis da Vale (VALE3; VALE5) desabaram 4% após alta superior a 1% nesta manhã. Apesar do resultado forte, os investidores ficaram apreensivos com perspectivas cada vez mais negativas para os preços do minério de ferro. O movimento negativo foi visto também nas mineradoras internacionais.

Nesta manhã, a Vale divulgou alta do lucro líquido de 25% na comparação com os primeiros três meses do ano passado, passando de R$ 6,311 bilhões para R$ 7,981 bilhões, com a ajuda de uma maior produção de minério de ferro.  O Ebitda (lucro antes de juros, impostos, depreciação e amortização) ajustado subiu para R$ 13,523 bilhões, alta de 82,5% em relação aos R$ 7,41 bilhões registrados um ano antes. Em dólares, o Ebitda ajustado foi de US$ 4,31 bilhões, levemente acima das projeções compiladas pelo InfoMoney. A  margem Ebitda ajustada foi de 50,6%, alta de 14,3 pontos percentuais ante os 36,3% registrados na comparação anual.

PUBLICIDADE

Do outro lado, as ações do Bradesco (BBDC4) apareceram entre as maiores altas do Ibovespa, após lucro líquido ajustado de R$ 4,648 bilhões no primeiro trimestre, alta de 13% em relação ao mesmo período do ano passado, ajudado pelo aumento das receitas com prestação de serviços e pela redução de despesas com provisões de inadimplência. A avaliação do mercado sobre o resultado do Bradesco, contudo, foi diversa. De acordo com o BTG Pactual, o resultado foi melhor do que o esperado, destacando que o lucro por ação foi 5% maior que o consenso, enquanto o BB Investimentos viu os números como neutros. Já o JPMorgan apontou que a receita foi compensada pelo aumento das provisões. As ações dos demais bancos também registram ganhos nesta sessão, também na esteira do maior ânimo do mercado com a aprovação da reforma trabalhista na Câmara.

Após abrirem em alta, as ações da Petrobras (PETR3; PETR4) viraram para queda, seguindo a cotação do preço do petróleo, que caiu mais de 1%, com o mercado pesando produção maior e queda de estoques, ainda elevados, nos EUA. Os preços do petróleo WTI fecharam em queda de 1,3% no mercado internacional, a US$ 48,97 o barril. 

No radar da Petrobras, ela informou que divulgará o seu resultado do 1º trimestre de 2017 no dia 11 de maio, uma quinta-feira, após o fechamento do mercado, segundo comunicado da estatal divulgado na CVM (Comissão de Valores Mobiliários ). A companhia ainda fará Assembleia Geral Ordinária nesta quinta-feira, 15h00, no Rio de Janeiro. Já Assembleia Geral Extraordinária realizada na quarta-feira aprovou celebrar acordo com a Baixada Santista Energia, subsidiária da Petrobras, disse a EMAE em fato relevante. O acordo envolve revisão do modelo de negócio de arrendamento da UTE Piratininga e a indenização de R$ 180 milhões deve ser paga em 6 parcelas semestrais corrigidas pelo IGP-M. O acordo prevê ainda contrato de locação do terreno da Usina Fernando Gasparian para a Petrobras por 14 anos por R$ 1,5 milhão por semestre, corrigido pelo IPCA. 

As maiores baixas dentre as ações que compõem o Ibovespa foram:

Cód.AtivoCot R$% Dia% AnoVol1
 VALE5 VALE PNA EJ25,60-4,33+21,12842,15M
 CSNA3 SID NACIONALON7,60-4,28-29,9558,24M
 CMIG4 CEMIG PN8,55-3,93+10,89110,84M
 CPLE6 COPEL PNB28,71-3,53+4,9325,56M
 VALE3 VALE ON EJ26,83-3,25+15,37251,04M

As maiores altas dentre as ações que compõem o Ibovespa foram:

Cód.AtivoCot R$% Dia% AnoVol1
 RENT3 LOCALIZA ON45,81+4,16+34,4859,93M
 BBDC3 BRADESCO ON32,75+2,99+12,6440,10M
 BBDC4 BRADESCO PN33,49+2,92+15,76726,62M
 SMLE3 SMILES ON67,19+2,58+61,1852,76M
 PCAR4 P.ACUCAR-CBDPN65,27+1,43+19,2147,85M
* – Lote de mil ações
1 – Em reais (K – Mil | M – Milhão | B – Bilhão)

 

 Política monetária na Europa
O Banco Central Europeu decidiu hoje manter suas taxas de juros inalteradas após reunião de política monetária, mas reiterou que poderá ampliar seus estímulos, caso haja necessidade. Como previam analistas, a principal taxa do BCE, a de refinanciamento, utilizada em empréstimos regulares, permaneceu na mínima histórica de 0%. Já a taxa de depósitos ficou inalterada em -0,4%, o que significa que os bancos comerciais continuarão pagando para deixar recursos depositados no BCE.

O BCE também reafirmou que, por meio de seu programa de relaxamento quantitativo (QE, na sigla em inglês), continuará comprando até 60 bilhões de euros mensais em bônus até dezembro ou além disso, se preciso. Caso a perspectiva da zona do euro piore, o BCE está disposto a ampliar o QE, segundo comunicado da instituição.

O BCE também voltou a dizer que os juros continuarão nos níveis atuais ou menores por “período prolongado” e que assim permanecerão “bem além” do fim do programa de QE.

Em coletiva de imprensa, o presidente da autoridade monetária europeia, Mario Draghi, chamou atenção para as incertezas com o “Brexit”, que, segundo ele, traz consequências econômicas. O comandante do BCE também deixou aberto o espaço para a prorrogação da atual política caso se entenda que há necessidade para tal.

Noticiário político
Em destaque nesta data, o plenário da Câmara dos Deputados aprovou a reforma trabalhista na madrugada desta quinta-feira (27), após a rejeição de dez destaques apresentados pelos partidos de oposição e de partidos da base aliada que pretendiam modificar pontos do projeto (PL 6.786/16) aprovado na noite de ontem (26). Os outros destaques que seriam votados nesta quinta-feira foram retirados e o texto segue para o Senado.  A sessão que aprovou a reforma foi aberta na manhã dessa quarta-feira e foi encerrada às 2h06. Vale destacar que a votação do texto-base teve 296 votos a favor, ante 177 contra.

A Eurasia destacou que a aprovação reforma trabalhista é bom presságio para a Previdência. “Cerca de 300 votos a favor de um projeto altamente controverso que exigiu apenas maioria simples para passar é uma forte vitória por qualquer padrão”. Já Lucas de Aragão, sócio da Arko Advice, afirmou que a votação da reforma trabalhista na Câmara não chega a empolgar, mas mostra que as reformas estão encaminhadas. 

A reação inicial do governo à aprovação da reforma trabalhista foi de comemoração. O apoio de 296 deputados na noite desta quarta-feira foi avaliado como uma “vitória com larga margem”. Apesar do tom, governistas reconhecem que o placar gera apreensão sobre o futuro porque revela que será necessário esforço extra para aprovar a reforma da Previdência – tema ainda mais polêmico e que exige apoio de 308 votos. Apesar da comemoração minutos após a vitória, governistas já admitem nos bastidores que o esforço necessário para conquistar os votos necessários para a reforma da Previdência poderá ser ainda maior do que o imaginado inicialmente. Enquanto parte do governo trabalha com a possibilidade de que o tema poderia ser votado ainda em maio, já há quem acene com a necessidade de prazo ainda mais longo para conquistar apoio dos parlamentares. 

InfoMoneyTV

A InfoMoneyTV recebeu hoje o vice-prefeito, Bruno Covas. Ele foi entrevistado pelo editor do InfoMoney, Thiago Salomão, e pelo economista Alan Ghani, professor e blogueiro do InfoMoney. Confira aqui a entrevista na íntegra