Grupo Mateus, Lojas Quero-Quero, Lavvi e mais: as reações mais positivas aos balanços do 4º tri

d1000 e Valid também registram ganhos após o balanço

Camille Bocanegra Ana Paula Ribeiro

(Shutterstock)

Publicidade

Além de Guararapes (GUAR3), as ações de outras companhias que não pertencem ao Ibovespa reagiram positivamente aos resultados do quarto trimestre de 2023.

Dentre as boas reações, o Grupo Mateus (GMAT3) apresentou lucro de R$ 388 milhões no quarto trimestre de 2023 e os papéis da companhia avançaram 5,39% na sessão desta quinta-feira (7), a R$ 8,22. A XP considerou os resultados sólidos mas em linha com as expectativas, com destaque para a expansão do Atacarejo como propulsor de crescimento de receita e melhores margens. O BBA considerou os resultados acima das estimativas, considerando o forte crescimento do faturamento e melhorias no capital de giro.

A Genial, por sua vez, considerou que a principal questão apresentada no balanço é a equação entre despesas versus crescimento, uma vez que as margens operacionais apresentadas foram vistas como “fracas” por altos investimentos e maiores despesas administrativas. A corretora rebaixou o nome para “manter” (equivalente à neutro) da recomendação anterior de “compra”, com preço alvo em R$ 9,00.

Masterclass

As Ações mais Promissoras da Bolsa

Baixe uma lista de 10 ações de Small Caps que, na opinião dos especialistas, possuem potencial de valorização para os próximos meses e anos, e assista a uma aula gratuita

E-mail inválido!

Ao informar os dados, você concorda com a nossa Política de Privacidade.

A impressionante alta de 1.585% no lucro do quarto trimestre das Lojas Quero-Quero (LJQQ3) renderam alta de 2,43% nos papéis da companhia neste pregão, com ações cotadas a R$ 5,48 no fechamento. Ainda que os dados tenham vindo ainda fracos, de acordo com o Itaú BBA, os números foram considerados melhores do que as expectativas. O destaque positivo ficou para a margem bruta de serviços financeiros, que cresceu 3,3 pontos percentuais na comparação anual e impulsionou a margem bruta consolidada.

O Bradesco BBI também entendeu os resultados como “acima das estimativas”, em especial considerando o cenário macroeconômico desafiador enfrentado em 2023, com juros mais altos e menor renda disponível para consumidores. A expectativa é de resultados consolidados melhores em 2024, mas o banco ainda mantém visão conversadora em relação ao nome.

A Iochpe-Maxion (MYPK3) também figurou entre as melhores reações do mercado nesta quinta-feira, com alta de 6,43%, a R$ 13,57, no encerramento do pregão. A companhia de componentes automotivos reportou queda de 95% no prejuízo no quarto trimestre de 2023 e anunciou R$ 13 milhões em dividendos. Para o Bradesco BBI, os números reportados mostram desempenho impactado pela menor produção de veículos pesados, com queda na receita líquida (mas em linha com as projeções) e alta de 10% no EBITDA. O prejuízo de R$ 7,5 milhões reportado pela companhia também ficou muito abaixo das estimativas do banco, que suponha lucro líquido de R$ 14 milhões (o consenso projetava R$ 26 milhões).

Continua depois da publicidade

A Lavvi (LAVV3) passou por valorização de 3,19%, a R$ 8,73, na sessão desta quinta, graças ao resultado divulgado na noite de ontem. No balanço, a construtora registrou lucro líquido de R$ 88,1 milhões no quarto trimestre de 2023, alta de 171% no comparativo anual. De acordo com o BBI, os números apresentados estavam em linha com o esperado pelo banco e a margem bruta, que subiu para 34,4%, foi impulsionada pelo mix de produtos. Dentre os destaques do balanço, estão quatro empreendimentos que representaram 60% da margem bruta no trimestre.

As ações da d1000 (DMVF3) também subiram forte após o balanço, +3,65%, a R$ 5,96. Os investimentos da – dona de farmácias como Drogasmil, Farmalife, Drogarias Tamoio e Drogaria Rosário – em reforma de lojas e melhoria do mix de produtos contribuíram para o aumento das vendas e uma leve melhora na margem bruta, o que foi considerado positivo pelos analistas da XP Investimentos. “A d1000 apresentou resultados sólidos no 4T23, com um forte crescimento apoiando a alavancagem operacional e a expansão das margens”, de acordo com comentário divulgado nesta quinta-feira.

A empresa registrou um lucro líquido de R$ 10,3 milhões entre outubro e dezembro, uma alta de 180% na comparação com igual período de 2022. As vendas brutas tiveram um crescimento de 10,6% considerando as mesmas lojas e de 16% em 12 meses. A margem bruta passou de 29,4% para 29,7%. “As vendas brutas aumentaram 16% nos últimos doze meses, resultado do forte ritmo de expansão (com 30 novas lojas em 2023), das reformas das lojas e do sólido desempenho do SSS (lojas maduras com +8,5%), com base em ajustes de mix e gestão de CRM”, ressalta a XP.

As ações da Valid (VLID3) subiram até 4,68%, amenizaram, mas ainda assim registraram ganhos (2,18%, a R$ 19,22 no fechamento) após a divulgação dos resultados do quarto trimestre de 2023. A Genial Investimentos elevou a recomendação da empresa de segurança digital para compra, com preço-alvo de R$ 23,60, o que representa um potencial de valorização de 25,5%.

A avaliação é que com a projeção dos resultados de 2024, a empresa poderá elevar o seu dividend yield em torno de 20%, considerando que o payout (fatia do lucro que é distribuída) passe de 50% para 100%.

“Essa previsão baseia-se na expectativa de que os eventos subsequentes deixarão a empresa com um caixa líquido de pelo menos R$ 120 milhões no primeiro trimestre de 2024. Portanto, a geração de caixa esperada para 2024 não deve mais ser comprometida pelo pagamento de dívidas”, avaliaram, em relatório, os analistas. A projeção considera que a companhia não fará grandes investimentos em fusões e aquisições e, com geração de caixa robusta, poderá pagar bons dividendos. Nas contas feitas pela Genial, um payout de 50% iria gerar um dividend yield de 11%. Se chegar a 100%, subiria para 19%.