Conteúdo Patrocinado
Oferecido por Logos Capital

Gestores da Logos Capital investem 95% do próprio patrimônio nos fundos da casa

Gestora fundada por ex-sócios da Quest e Indie Capital tem como característica principal transparência e comprometimento

Por  MoneyLab -

“Logos” é um dos principais conceitos da filosofia grega. Traduzido, remete à razão e fundamento. Não por acaso, essa foi a palavra escolhida para nomear a gestora independente ‘Logos Capital’, fundada em 2018. Especializada em ações e focada em estratégias total return, o projeto reúne pensamento racional e olhar fundamentado nos investimentos, o que reflete a experiência dos sócios. Para enfatizar compromisso e transparência, os gestores mantêm 95% de seu patrimônio pessoal alocado nos fundos da casa.

“Priorizamos uma estratégia arrojada que imprime na gestão o nosso DNA”, diz Ricardo Vieira, sócio-fundador e CEO da Logos Capital. Ricardo possui mais de 20 anos de experiência no mercado financeiro, com passagens pelo Dresdner Bank, LCA Consultores e Quest Investimentos, onde entrou em 2007 e conheceu seu atual sócio, Luiz H. Guerra, também com uma carreira sólida de mais de 20 anos, com passagens pelo Merril Lynch e GP Investimentos.

Parceria de longa data

Foi a vontade de imprimir uma marca de ousadia racional na gestão que aproximou os dois profissionais. Antes de fundar a Logos, eles deram vida à Indie Capital, em 2011. “Saímos por diferenças em relação à filosofia de investimentos, que continuamos imprimindo com convicção na Logos”, diz Vieira. Ele enfatiza que boa parte do patrimônio sob gestão da gestora, perto de R$ 400 milhões, é muito resiliente, pois são de sócios, amigos e parentes, um alinhamento total com seus investidores.

A dupla conta, ainda, com o reforço de Pedro Guerra, chairman da Logos, que tem na bagagem mais de 30 anos de atuação no grupo Citi, onde ocupou a cadeira de diretor de risco, compliance, controladoria e custódia. Ele também foi conselheiro da BM&F Supervisão de Mercado e CETIP e vice-presidente da Anbima.

“Além do comprometimento total dos sócios com o negócio, nos destacamos pela busca constante por ativos que avaliamos ter boa assimetria e valuation atraente”. Para tornar ainda mais transparente a comunicação com os investidores, as análises do mercado e do desempenho dos produtos são compartilhadas também em vídeo no perfil de Instagram da Logos.

Busca por valuation

A gestão da Logos segue a estratégia de ações impressa em dois fundos. O Long Biased – que é a posição principal da casa em ações, pode ter exposição líquida comprada que varie entre 40% e 100% do patrimônio do fundo. Já o Total Return tem característica mais arrojada, já que replica a mesma carteira de ações do Long Biased, mas, pode utilizar de outros ativos, como juros, moedas e commodities. “Com volatilidade em linha a dos fundos Long Biased do mercado, historicamente, conseguimos melhores resultados”, diz Vieira. “Perseguimos o retorno histórico, que é pelo menos Bolsa mais 25% anualizado”.

O portfólio é balanceado e busca agregar ativos descontados, com algum evento pontual que possa destravá-los. “Mais do que rentabilidade, queremos mostrar a capacidade superior que temos de gerir ativos. Perseguimos oportunidades”, afirma Guerra.

Os fundos recebem aportes de investidores pessoas físicas e jurídicas. No entanto, vale destacar que o investidor deve possuir um “apetite maior a risco” e estar ciente de que está sujeito à uma maior volatilidade, uma vez que os produtos têm como característica principal a gestão arrojada. “A alocação de cada cliente deve ser proporcional ao quão confortável com a volatilidade ele está, por isso, gostamos de dizer que o processo de know your customer é essencial”, destaca Vieira.

Gestão premiada

O Logos Total Return, produto mais arrojado da Logos, foi vencedor na categoria Multimercados do ranking dos melhores fundos de 2022 do InfoMoney-Ibmec. A iniciativa reconhece o trabalho de gestores que conseguem entregar retornos consistentes ao longo do tempo.

“Dividimos o reconhecimento com a equipe de análise que está conosco há três anos, desde a fundação”, diz Vieira. “Priorizamos o modelo de partnership e as decisões são baseadas em discussões horizontais. Estamos criando uma escola com o nosso DNA”.

Mais informações sobre os fundos da Logos Capital podem ser encontradas no site.

 

 

Compartilhe