Gávea Investimentos

Gestora de Armínio Fraga vende ações na Bolsa; operação passa de R$ 180 milhões

Participação da gestora era de 7,44% do capital da empresa, segundo informações da BM&FBovespa, atualizado em junho

SÃO PAULO – A gestora Gávea Investimentos, criada pelo ex-presidente do Banco Central Armínio Fraga – o nome escalado por Aécio Neves (PSDB) para ser ministro da Fazenda do Brail no caso de sua vitória na eleição de outubro -, vendeu todas suas ações na Autometal (AUTM3), fabricante de autopeças para indústria automobilística global. A participação da gestora era de 7,44% do capital da empresa, segundo informações da BM&FBovespa, atualizado em junho. 

Em comunicado enviado à CVM (Comissão de Valores Mobiliários) hoje, a Gávea não informou por quanto vendeu os papéis, mas atualmente são negociados na Bolsa a R$ 19,40. Segundo dados da BM&FBovespa, o capital social da companhia é composto por 125.907.641 ações, ou seja, caso a venda tenha sido feita pelo valor atual, a Gávea pode ter embolsado R$ 181,7 milhões com a operação. 

A Autometal concluiu este mês o leilão de sua OPA (Oferta Pública de Aquisição). Em abril deste ano, a espanhola CIE Automotive informou que faria uma oferta de aquisição das ações da companhia com o objetivo de fechar o capital da empresa. A CIE Automotive adquiriu no leilão 30.577.636 ações ordinárias da companhia e, após o leilão, 885.800 ações, conforme informado à CVM. Com a liquidação das aquisições, o acionista controlador passou a deter 99,75% do capital social da companhia. 

Segundo informações da Autometal, a Gávea informou que a alienação da participação não tem objetivo de alterar o controle ou estrutura administrativa da empresa, tendo resultado apenas do critério adotado para seleção de investimentos. 

Além desse comunicado, hoje uma reportagem do blog Primeiro Lugar, da Exame, apontou que a gestora está com planos de vender também sua participação de 32% na Camil Alimentos, maior beneficiária de alimentos da América Latina. Segundo a publicação, o BTG Pactual teria sido contratado para assessorar os acionistas nessa operação e já começou a procurar potenciais interessados.

Vale lembrar que o mercado cogitava há alguns meses que a Gávea iria comprar o Fleury. Rumores indicavam que a gestora estaria em conversas com fundos soberanos para levantar cerca de R$ 1 bilhão para adquirir a participação dos médicos acionistas do laboratório. Pouco depois, surgiram mais especulações de que a gestora estaria interessada também em adquirir a BR Insurance (BRIN3). A empresa, no entanto, disse à época que não recebeu proposta formal do fundo Gávea.