Fras-Le (FRAS3) tem lucro líquido de R$ 98,2 milhões, alta de 47% no ano

Companhia viu receita avançar por conta do fortalecimento do real, que torna seus produtos mais competitivos no mercado interno

Equipe InfoMoney

Produção da Frasle Mobility (Divulgação)

Publicidade

A Fras-Le (FRAS3), companhia que produz  autopeças, divulgou seu balanço trimestral na noite desta terça-feira (8) e apresentou um lucro líquido de R$ 98,2 milhões no segundo trimestre de 2023, um crescimento de 47% em relação ao mesmo período do ano anterior e de 8,6% em relação ao trimestre anterior.

No que diz respeito à receita líquida, a companhia registrou R$ 919,6 milhões, um aumento de 17,5 no ano. O Ebitda (lucro antes de juros, impostos, depreciação e amortização, na sigla em inglês) consolidado atingiu R$ 186,9 milhões, alta de 49,3%, com uma margem de 20,3%, representando um crescimento de 4,3 pontos percentuais.

A variação na receita líquida foi influenciada por diversos fatores, incluindo a valorização de 4,7% do Real frente ao Dólar, que torna os produtos da companhia mais competitivos. O mercado interno teve um forte desempenho, crescendo 26,5%, atingindo R$ 611,1 milhões.

Masterclass

As Ações mais Promissoras da Bolsa

Baixe uma lista de 10 ações de Small Caps que, na opinião dos especialistas, possuem potencial de valorização para os próximos meses e anos, e assista a uma aula gratuita

E-mail inválido!

Ao informar os dados, você concorda com a nossa Política de Privacidade.

Em relação aos custos, as despesas operacionais, que englobam as com vendas e administrativas, ficaram em R$ 164,5 milhões, ante R$ 133,8 milhões no segundo trimestre de 2022. A Fras-Le pontua que registrou uma provisão para litígios de R$ 37,1 milhões da controlada Nakata no trimestre.

Os custos dos produtos vendidos somaram R$ 599,1 milhões, representando 65,1% sobre a receita líquida, quando no período do ano anterior esse número foi de R$ 552,1 milhões e 70,6% da receita líquida do período.

O resultado financeiro líquido da Fras Le subtraiu R$ 20,4 milhões do balanço. Esse resultado foi impactado pela valorização do Real frente ao Dólar, majoração de juros sobre rendimento de aplicações financeiras e nos juros pagos sobre financiamentos em função da taxa Selic, e variação na linha de ajuste de correção monetária. A dívida líquida da empresa ao final do 1S23 foi de R$ 1.062,6 milhões.