Foxconn, uma das maiores fornecedoras da Apple, enfrenta investigações na China; ações caem 10%

Autoridades tributárias chinesas estão analisando instalações da Foxconn no sul da província de Guangdong e leste da Jiangsu

Estadão Conteúdo

(Foto: REUTERS/Carlos Garcia Rawlins)

Publicidade

A Foxconn, uma das maiores fornecedoras da Apple, disse que está cooperando com autoridades chinesas, após uma mídia estatal chinesa informar que a empresa de eletrônicos enfrenta investigações por impostos e uso de terra na China.

As ações da Foxconn Industrial Internet sofreu um tombo de 10%, o limite diário de queda, após o anúncio da sua controladora Foxconn Technology Group.

O jornal estatal Global Times reportou no domingo (22) que autoridades tributárias chinesas estão analisando instalações da Foxconn no sul da província de Guangdong e leste da Jiangsu, enquanto autoridades de recursos naturais lideram investigações sobre uso de terra nas províncias de Henan e Hubei. De acordo com a última lista de fornecedores da Apple, a Foxconn fabrica para a Apple em três das províncias citadas.

Masterclass

As Ações mais Promissoras da Bolsa

Baixe uma lista de 10 ações de Small Caps que, na opinião dos especialistas, possuem potencial de valorização para os próximos meses e anos, e assista a uma aula gratuita

E-mail inválido!

Ao informar os dados, você concorda com a nossa Política de Privacidade.

A Foxconn, conhecida formalmente como Hon Hai Precision Industry, emitiu uma declaração no mesmo dia respondendo aos relatos da mídia sobre as investigações das autoridades chinesas e afirmando seu compromisso de cumprir a lei. “Cooperaremos ativamente com as unidades relevantes no trabalho e nas operações relacionadas”, disse o comunicado.

O fundador da Foxconn, Terry Gou, deixou o conselho de diretores da empresa em setembro, dias após anunciar sua candidatura na corrida presidencial de Taiwan. Os críticos de Gou dizem que seus interesses comerciais na China o tornam suscetível à pressão de Pequim.

Fonte: Dow Jones Newswires