Fomc afirma “incerteza significativa” sobre mais aperto monetário nos EUA

Minuta do Comitê deixa claro que hipótese de exagero incomoda cada vez mais as elevações na taxa de juro norte-americana

SÃO PAULO – Na minuta do Fomc (Federal Open Market Committee) publicada na tarde desta quinta-feira (20), a expressão elegida como destaque foi “incerteza significativa”. Ela diz respeito à necessidade de ajustes na taxa básica de juro dos EUA acima do 5,25% ao ano, definido na última reunião do Comitê.

Com isso, o presidente do Fed Ben Bernanke mostra mais uma vez que a hipótese de fim ao aperto monetário nos Estados Unidos está sendo considerada durante as decisões sobre a Fed Funds Rate. Mas sua real implementação ainda vem ficando atrás do propósito de controle inflacionário.

Questionando a própria crença

Embora Bernanke tenha deixado clara a paciência com que devem ser encarados os instrumentos de política monetária – dada a defasagem natural entre os ajustes formais e efetivos -, sua própria tolerância parece em xeque.

PUBLICIDADE

No conteúdo da minuta, mais preocupações acerca dos padrões inflacionários nos Estados Unidos, a despeito da seqüência de 17 elevações na taxa de juro.

Os preços pagos por bens e serviços consumidos – excluindo alimentos e combustível – aumentaram 0,3% em junho, segundo o Departamento do Trabalho. O percentual veio acima das expectativas de avanço de 0,2%.

Mais conversa

Além dos comentários usuais, a minuta do Fomc também afirmou que a próxima reunião do Comitê, em outubro, terá duração de dois dias, em vez de apenas um. O propósito é dar mais tempo para discussões entre as autoridades monetárias.

Ainda dentro dessa meta, em 2007 serão realizadas quatro reuniões com duração de dois dias, dobrando o número atual. Esses quatro eventos estão marcados para janeiro, março, junho e outubro.