FMI confirma liberação de US$ 4,7 bilhões em recursos para a Argentina

Fundo afirma em nota que os valores liberados tem como objetivo "apoiar os esforços políticos das novas autoridades para restaurar a estabilidade macroeconômica", depois de diversos "desvios severos"

Estadão Conteúdo

(Getty Images)

Publicidade

O Fundo Monetário Internacional (FMI) confirmou a liberação de US$ 4,7 bilhões em recursos para a Argentina, após renegociação dos empréstimos com o presidente Javier Milei, que estendeu o acordo até 31 de dezembro deste ano. Com o novo empréstimo, o valor total desembolsado para a Argentina chega a aproximadamente US$ 40,6 bilhões.

Em nota, a instituição afirma que os valores liberados tem como objetivo “apoiar os esforços políticos das novas autoridades para restaurar a estabilidade macroeconômica”, depois de diversos “desvios severos” nos últimos trimestres de 2023.

O FMI classificou o plano de estabilização em curso no país como “ambicioso” e destacou o foco em forte ancoragem fiscal junto a políticas para reduzir a inflação de modo sustentável, reconstruir reservas e resolver distorções que servem como entraves ao crescimento econômico argentino.

Treinamento Gratuito

Manual dos Dividendos

Descubra o passo a passo para viver de dividendos e ter uma renda mensal previsível, começando já nas próximas semanas

E-mail inválido!

Ao informar os dados, você concorda com a nossa Política de Privacidade.

“As autoridades estão comprometidas em eliminar as restrições remanescentes que contribuam para distorção do mercado e multiplicar práticas cambiais no curto prazo”, escreveu a diretora-gerente do FMI, Kristalina Georgieva, defendendo também o fortalecimento do BC da Argentina.

“A orientação da política monetária deve evoluir para apoiar a demanda monetária e a desinflação, enquanto a estrutura e as operações da política monetária serão ajustadas para fortalecer seu papel de ancoragem.”