Fluxo cambial acumula saldo positivo de US$ 1,521 bilhão no início do 2º semestre

Resultado do período foi motivado principalmente pelo fluxo comercial, que registrou superavit de US$ 1,205 bilhão

Publicidade

SÃO PAULO – O fluxo cambial acumulado de julho até a última sexta-feira registrou saldo positivo de US$ 1,521 bilhão, impulsionado pelo resultado do fluxo comercial no período, que teve superavit de US$ 1,205 bilhão no período, enquanto o fluxo financeiro registrou saldo positivo de US$ 316 milhões. Os dados foram publicados pelo Banco Central nesta quarta-feira (13).

Como comparação, no período correspondente do ano passado, o fluxo comercial acumulava um saldo negativo de US$ 507 milhões, enquanto o fluxo financeiro teve deficit de US$ 614 milhões.

Acumulado do ano
Com estes resultados, o fluxo cambial acumulado neste ano até a última sexta-feira apresenta superavit de US$ 41,355 bilhões. Nesse total, o saldo comercial colabora com um superavit de US$ 17,399 bilhões, enquanto o saldo financeiro soma US$ 23,956 bilhões.

Treinamento Gratuito

Manual dos Dividendos

Descubra o passo a passo para viver de dividendos e ter uma renda mensal previsível, começando já nas próximas semanas

E-mail inválido!

Ao informar os dados, você concorda com a nossa Política de Privacidade.

Confira os números do período:

Fluxo Cambial (em US$ milhões)
Período Saldo Comercial Saldo Financeiro Fluxo Cambial
Exportações Importações Total Compras Vendas Total
Julho* 2011 5.488 4.283 1.205 7.901 7.585 316 1.521
Julho* 2010 3.440 3.947 -507 6.809 7.423 -614 -1.121
Acumulado entre janeiro e julho*
2011 118.588 101.189 17.399 218.814 194.858 23.956 41.355
2010 83.481 82.776 705 164.837 163.300 1.536 2.242

*6 dias úteis em julho

Intervenções no mercado de câmbio
O Banco Central informou também nesta quarta-feira os dados referentes às suas reservas internacionais, que contabilizavam US$ 338,318 bilhões no último dia 8. Segundo a autoridade monetária, até a última sexta-feira, já foram adquiridos US$ 1,585 bilhão no mercado de câmbio à vista em julho.