Ferrari: ação sobe quase 10% após balanço e com chegada de Lewis Hamilton

Anúncio de piloto inglês na escuderia se somou ao comunicado de expectativas positivas para lucros de 2024

Camille Bocanegra

Publicidade

A Ferrari NV espera que os lucros acelerem este ano, apoiados por uma sólida carteira de pedidos. As ações da empresa fecharam em alta de 9,21% nas negociações em Milão, o maior salto em cerca de três meses, e encerraram o dia cotadas a € 353,50. O fabricante de supercarros disse, na quinta-feira, que espera um lucro ajustado antes de juros, impostos, depreciação e amortização de pelo menos €2,45 bilhões (US$2,64 bilhões) para 2024, em linha com as expectativas dos analistas.

A Ferrari conseguiu aumentar os preços de alguns modelos, com seus clientes ricos evitando a inflação crescente e as taxas de juros em alta. O CEO Benedetto Vigna está comprometido em levar a Ferrari, famosa por seus motores de 12 cilindros, para o mundo elétrico, planejando lançar seu primeiro carro totalmente elétrico no quarto trimestre de 2025.

“Os resultados recordes de 2023, as ambições que temos para 2024, juntamente com a visibilidade excepcional em nossa carteira de pedidos, nos permitem olhar para o lado mais alto das metas de 2026 com maior confiança”, disse Vigna, observando que o lucro líquido da Ferrari ultrapassou €1 bilhão pela primeira vez.

Treinamento Gratuito

Manual dos Dividendos

Descubra o passo a passo para viver de dividendos e ter uma renda mensal previsível, começando já nas próximas semanas

E-mail inválido!

Ao informar os dados, você concorda com a nossa Política de Privacidade.

Durante o quarto trimestre, os lucros subiram para € 558 milhões. Isso se compara com uma estimativa média dos analistas de € 560 milhões. As vendas atingiram € 1,52 bilhão, ligeiramente acima da média de € 1,50 bilhão das estimativas compiladas pela Bloomberg.

Embora a transição para veículos elétricos tenha sido vista por anos como decisiva para o setor, a Ferrari e outros concorrentes de baixo volume, como a Lamborghini, se qualificam para isenções de limites de emissões mais rigorosos em jurisdições-chave, incluindo a Europa. A União Europeia também está elaborando regras para permitir o uso de e-combustíveis que poderiam impedir que os motores a combustão desapareçam.

A escuderia italiana está construindo uma nova fábrica para a produção de supercarros híbridos e elétricos em Maranello, no norte da Itália, onde a empresa tem sede. O local deve estar pronto em junho de 2024.

Continua depois da publicidade

Em 2023, as remessas totalizaram 13.663 unidades, um aumento de 442 unidades em relação ao ano anterior. As entregas foram impulsionadas pelo Purosangue, bem como por entregas mais altas das famílias 296 e SF90, afirmou a Ferrari.

O portfólio de produtos no ano incluiu 11 modelos de motor de combustão interna e quatro modelos híbridos, que representaram 56% e 44% das remessas totais, respectivamente.

Hamilton na Ferrari

A segunda boa notícia do dia veio com o anúncio de que Lewis Hamilton, heptacampeão mundial de Fórmula 1 e um dos pilotos mais bem-sucedidos de todos os tempos, correrá a partir de 2025 pela Ferrari, depois de ativar uma cláusula de liberação de seu contrato com a Mercedes, assinado em agosto.

Confirmado pela Mercedes e em comunicado de uma linha pela Ferrari, o anúncio ocorre após um dia de grandes especulações, com o mundo do automobilismo esperando pelas notícias vindas de Maranello e Brackley.

“A Scuderia Ferrari tem o prazer de anunciar que Lewis Hamilton se juntará à equipe em 2025, com um contrato multianual”, informou a escuderia italiana.

“Tive 11 anos incríveis com este time e estou muito orgulhoso do que atingimos juntos. A Mercedes faz parte da minha vida desde que eu tinha 13 anos”, disse Hamilton em comunicado da sua atual escuderia. “É o lugar onde cresci, então tomar a decisão de sair foi uma das mais difíceis que já tomei. Mas é o momento certo para eu dar esse passo e estou animado para o novo desafio.”

Hamilton afirmou que quer finalizar sua trajetória na Mercedes em alta e que está “100% comprometido em entregar a melhor performance possível nesta temporada e fazer do meu último ano na Flecha Prateada algo para ser lembrado”. O britânico de 39 anos vai substituir o espanhol Carlos Sainz na Ferrari, correndo ao lado do monegasco Charles Leclerc. Será a primeira vez que a equipe terá um campeão mundial desde a saída do alemão Sebastian Vettel, em 2020.

(Com Bloomberg e Reuters)

Tópicos relacionados