Após fracasso de incorporação

Eneva tem “apetite para aquisições”, diz diretor financeiro

O plano é continuar a propor estruturas de fusões e aquisições que sejam “desafiadoras e inovadoras”

(Bloomberg) – A tentativa de fusão com a AES Tietê (TIET11) mostrou que a Eneva (ENEV3) tem “apetite para aquisições”, disse o diretor financeiro da empresa, Marcelo Habibe.

A geradora de energia tem R$ 2,5 bilhões em caixa e agora que não conseguiu comprar a AES Tietê vai “tocar a bola para a frente” e buscar novas oportunidades, afirmou ele, em entrevista por telefone.

Os dois principais acionistas da Eneva, o BTG Pactual e o Cambuhy Investmentos, com uma participação de 23% cada, mostraram que estão dispostos a aceitar a diluição de suas participações se aparecerem boas alternativas de fusão, disse ele, acrescentando que os sócios dão apoio total à empresa para que ela se torne uma “consolidadora” no setor.

PUBLICIDADE

A Eneva quer comprar não apenas termoelétricas, mas também empresas do setor hidrelétrico e de geração de energia eólica e solar, desde que o projeto gere altos retornos.

O plano é continuar a propor estruturas de fusões e aquisições que sejam “desafiadoras e inovadoras”, disse ele.

Aprenda a identificar as ações com maior potencial de valorização: assista à série gratuita Stock Picking – A Habilidade mais Valiosa do Mercado