Câmbio

Dólar ultrapassa barreira dos R$ 2, impulsionado por temores na Europa

Das 8 últimas sessões, a moeda norte-americana teve alta em 7, acumulando avanço de 2,2% no período

arrow_forwardMais sobre

SÃO PAULO – No último dia 8 de março, o dólar comercial atingiu sua menor cotação dos últimos 10 meses, fechando aquele dia abaixo dos R$ 1,95. Isso fez com que, na sessão posterior, o Banco Central realizasse um novo leilão de swap cambial reverso, o que equivale a uma compra de dólares no mercado futuro, fazendo com que a divsa voltasse a subir, o que segue acontecendo.

Desde aquele dia, a moeda norte-americana já acumula valorização de 2,2%, subindo em 7 das 8 últimas sessões. Além das incertezas com possíveis novas medidas do governo, o mercado segue com aversão ao risco com o temor vindo da crise na Europa. Com tudo isso, o dólar superou novamente a barreira dos R$ 2,00 nesta quinta-feira (21).

Às 14h49 (horário de Brasília), o dólar comercial operava com forte alta de 0,93%, cotado a R$ 2,0085 na compra e R$ 2,0091 na venda. Essa é a maior cotação da divisa desde o dia 25 de janeiro, sendo a primeira sessão que atinge cotação acima de R$ 2 desde o dia 30 do mesmo mês.

PUBLICIDADE

As incertezas continuam cercando os investidores, que não sabem exatamente quais são os planos do governo e seguem temerosos com o cenário internacional, o que ajuda a empurrar o dólar para cima, como ocorre no momento. Mas outro ponto decisivo é a inflação, que segue sendo fator importante para decisões sobre altas na taxa Selic e que poderia aliviar essa nova valorização da moeda norte-americana. Um dólar mais caro pode significar uma alta no preço dos importados.

Nesta manhã, durante audiência pública na CAE (Comissão de Assuntos Econômicos) do Senado, o ministro da Fazenda, Guido Mantega, afirmou que “o câmbio estava muito valorizado, mas hoje não está mais muito valorizado”.