Bolsa

Dólar cai mais de 1% após fala de presidente do BC e Ibovespa vira para queda com exterior

Bolsa não vai para uma direção definida em meio ao aumento do balanço de riscos à renda variável

Painel de ações (Crédito: Shutterstock)

SÃO PAULO – O Ibovespa passou a cair nesta sexta-feira (18) seguindo as bolsas americanas, que acentuaram as perdas com notícias negativas para Boeing e forte recuo das empresas de tecnologia. Por aqui, as ações de companhias do setor de alimentos como Marfrig (MRFG3) e JBS (JBSS3) sobem, assim como Petrobras (PETR3; PETR4), que repercute os dados operacionais positivos e a alta do petróleo. Por outro lado, todas as demais blue chips caem, pressionadas pelo cenário macro.

Hoje, os investidores operam com cautela antes do fim de semana entre os dados da economia internacional e os desdobramentos da crise que assola o PSL, partido do presidente Jair Bolsonaro. Lá fora, a China registrou no terceiro trimestre deste ano o pior desempenho do seu Produto Interno Bruto (PIB) em 27 anos, crescendo 6%. A expectativa dos economistas era de avanço de 6,1%.

Por aqui, Bolsonaro tirou a deputada Joice Hasselmann (PSL-SP) da liderança do governo no Congresso, após ela não apoiar a substituição do delegado Waldir (PSL-GO) por Eduardo Bolsonaro no comando do PSL na Câmara.

PUBLICIDADE

Às 14h52 (horário de Brasília) o Ibovespa tinha baixa de 0,15% a 104.854 pontos.

Segundo Ari Santos, gerente da mesa de trade da H.Commcor, a Bolsa está dentro da estabilidade há 18 dias. “Não teve nenhum driver que tenha trazido força compradora de verdade. Mesmo com leilão do pré-sal, baixa de juros e reforma da Previdência encaminhada, só temos uma alta de 0,2% no mês”, ressalta.

Para ele, o investidor ainda não conseguiu ter muita confiança para levar o Ibovespa além da máxima histórica, já que o cenário ficou mais nebuloso. Além disso, ele entende que a temporada de resultados, que começa esta sexta depois do pregão, com Neoenergia (NEOE3), não deve trazer números muito melhores ou piores que o do trimestre passado, diante do desempenho da economia em geral.

Já o dólar comercial cai 1,27% a R$ 4,1156 na compra e a R$ 4,1174 na venda. O dólar futuro para novembro registra perdas de 1,14% a R$ 4,120.

O câmbio passou a recuar forte depois do presidente do Banco Central, Roberto Campos Neto, disse que moeda brasileira pode se apreciar com fluxo por privatizações. Segundo ele, o real pode vir a se apreciar se o programa de concessões e privatizações trouxer recursos para a economia. Mais cedo, ele afirmou ainda que ainda há espaço para os juros caírem no Brasil.

No mercado de juros futuros, o DI para janeiro de 2021 recua dois pontos-base a 4,49% e o DI para janeiro de 2023 cai um ponto-base a 5,46%.

PUBLICIDADE

Ontem, ficou claro que as mesas de negociação do mercado financeiro não estão mais imunes às tempestades que vêm de Brasília. A queda da Bolsa em um dia de ânimo internacional em meio a acordo para o Brexit e resultados positivos das empresas americanas foi em grande parte devido ao temor dos investidores de que a pauta econômica do governo seja impactada pela crise do PSL, embora haja um esforço dos presidentes da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ), e do Senado, Davi Alcolumbre (DEM-AP), para convencer o mercado do contrário.

Hoje, as notícias são de que o PSL estuda ainda retirar o senador Flavio Bolsonaro e o seu irmão, Eduardo, respectivamente, do comando dos diretórios estaduais no Rio e em São Paulo.

LEIA MAIS:
• Temporada de resultados: confira as datas de divulgação das principais empresas da bolsa

Bolsas Internacionais

Em meio à confirmação da desaceleração da expansão do PIB chinês, as bolsas asiáticas fecharam majoritariamente em queda, com exceção de Tóquio. A China pode ter agora que intensificar os estímulos nos próximos dois ou dois trimestres, se quiser estabelecer uma meta de crescimento entre 5,5% e 6% para o próximo ano, escreveram analistas da Macquarie, reporta a CNBC.

Apesar do resultado do PIB, a produção industrial em setembro avançou 5,8%, acima das projeções. Já as vendas do varejo ficam em linha com as expectativas, fechando setembro com expansão de 7,8%.

Já as vendas de moradias na China, em valor, avançaram 10,3% entre janeiro e setembro, mostrando aceleração no setor imobiliário, uma vez que as vendas entre janeiro e agosto haviam exibido ganho anual menor, de 9,9%.

Na Europa, as bolsas operam nesta manhã majoritariamente em queda, no aguardo das definições sobre o Brexit, que agora precisa ser aprovado pelo Parlamento britânico – onde primeiro-ministro Boris Johnson busca garantir apoio majoritário.

O Partido Sindicalista Democrático da Irlanda do Norte (DUP) parceiro de coalizão do partido conservador de Johnson, por exemplo, afirmou que votará contra o acordo fechado com a União Europeia ontem.

Produção da Petrobras

Com o auxílio do ramp-up de novas plataformas, a Petrobras conseguiu bater novos recordes de produção diários, deixando para trás as dificuldades enfrentadas no trimestre anterior em algumas áreas de produção e reforçando sua perspectiva para 2019.

Em relatório divulgado ontem à noite, informou que a produção atingiu novo recorde mensal de 3 milhões de barris de óleo equivalente por dia (boed), além de um novo recorde diário de 3,1 milhões de boed alcançados no mês de agosto. “Já a produção operada atingiu o recorde mensal de 3,7 milhões de boed no mesmo mês”, apontou.

Segundo a empresa, com o resultado, a petroleira mantém sua trajetória “para o cumprimento da meta de produção anual, em 2,7 milhões de boed, com variação de 2,5% para mais ou para menos”.

Ao ampliar a produção de petróleo e gás natural no terceiro trimestre deste ano, para 2,87 milhões de barris de óleo equivalente por dia (boe/d), a Petrobras abriu caminho para que outras empresas se interessem pelo investimento no Brasil, diz Edmar Almeida, professor do Grupo de Economia da Energia (GEE) da UFRJ. Em agosto, especialmente, a produção mensal foi recorde, de 3 milhões de boe/d.

“A Petrobras está atravessando um momento muito positivo com relação ao seu desempenho operacional. Isto é muito bom para todo o setor de óleo e gás do País porque aumenta a confiança no potencial de crescimento do setor”, disse ele, ao avaliar o relatório de produção e vendas divulgado pela estatal.

Almeida destaca ainda que o “bom desempenho operacional é uma dimensão fundamental para a recuperação da empresa”, que entrou em crise em 2014, após o preço da commodity despencar no mercado internacional e ainda ser alvo da Operação Lava Jato, que investigou escândalos de corrupção envolvendo a empresa.

O bom desempenho operacional da companhia petroleira deve ser revertido em resultado financeiro no terceiro trimestre, acrescenta o professor da UFRJ.

Noticiário Corporativo

O Banco do Brasil (BBAS3) e o FI-FGTS levantaram cerca de R$ 5,8 bilhões na oferta de ações do banco estatal. O preço por ação do BB na oferta foi de R$ 44,05. Pouco mais de metade das ações vendidas na oferta vieram do FI-FGTS, administrado pela Caixa Econômica Federal. O restante foi vendido pelo próprio Banco do Brasil, que possuía as ações em sua tesouraria.

A Latam Brasil fechou com a Qatar Airways uma ampliação de seu acordo de codeshare, que permite que empresas transportem passageiros uma da outra. Agora bilateral, a parceria proporcionará aos clientes da Qatar Airways conexões para destinos em todo o Brasil e América do Sul, enquanto os passageiros da Latam que viajam de São Paulo a Doha poderão acessar mais de 25 destinos no Oriente Médio, Leste da África e Sul da Ásia.

O presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ), disse que vai tentar votar a Lei de Saneamento nos próximos 15 dias e devolver para apreciação do Senado. Ele disse estar bastante otimista em relação a aprovação da Lei do Saneamento e com a reforma administrativa, que trará maior eficiência para a administração pública.

Já o Bradesco (BBDC3; BBDC4) aprovou dividendos extraordinários de R$ 8 bilhões, enquanto o BB realizou oferta de ações.

(Com Agência Estado, Agência Brasil e Bloomberg)

Não existia, agora existe: conheça o primeiro MBA em Ações e Stock Picking do Brasil