Banco Central

Déficit em conta correntes soma US$ 6,265 bilhões em novembro

Saldo negativo veio um pouco acima dos US$ 6 bilhões esperado pelos analistas; investimento estrangeiro direto soma US$ 4,6 bilhões

BRASÍLIA – O déficit em transações correntes no país fechou novembro em 6,265 bilhões de dólares, afetado pelo mau desempenho da balança comercial e remessas de lucros e dividendos.

O resultado acabou superando até mesmo os Investimentos Estrangeiros Diretos (IED) neste período, que somaram 4,587 bilhões de dólares, informou o Banco Central nesta terça-feira. Foi a primeira vez que o rombo na contra corrente não foi coberto pelos investimentos produtivos desde abril passado.

Economistas consultados pela Reuters previam saldo negativo nas transações correntes de 6 bilhões de dólares no mês passado, e IED de 3 bilhões de dólares.

No acumulado em 12 meses encerrados em novembro, o déficit em conta corrente do país ficou em 2,28 por cento do Produto Interno Bruto (PIB).

O mau desempenho da balança comercial tem pesado na conta corrente do país. Em novembro, o déficit comercial ficou em 187 milhão de dólares, segundo informou o BC, depois de ter registrado superávit de 577 milhões de dólares um ano antes.

Outros itens que contribuíram para o déficit foram as remessas de lucros e dividendos que, em novembro, somaram 2,023 bilhões de dólares. Os gastos líquidos com viagens internacionais, no mês passado, somaram 1,287 bilhão de dólares, um pouco menor do que a cifra vista em outubro (1,536 bilhão de dólares.

Apesar do tropeço em novembro, o forte fluxo de IED tem garantido o financiamento com folga do déficit em conta corrente. O BC credita a entrada desse recurso produtivo à boa situação do país frente à desaceleração da economia mundial.

Tanto que o cenário para 2013 é mais positivo, com previsão de IED de 65 bilhões de dólares, ante a estimativa de 63 bilhões de dólares para 2012.