Cyrela (CYRE3) e Iguatemi (IGTI11) divulgam dados operacionais no 4º trimestre; veja números

Cyrela registrou vendas líquidas contratadas de R$ 2,593 bilhões no 4T23

Felipe Moreira

On The Sky by Yoo, da Cyrela

Publicidade

A Cyrela (CYRE3) registrou vendas líquidas contratadas de R$ 2,593 bilhões no quarto trimestre de 2023 (4T23), 4% abaixo do valor registrado no 4T22 (R$ 2,691 bilhões) e 15% acima do 3T23 (R$ 2,263 bilhões). A participação da companhia nas vendas contratadas foi de 72% no 4T23, superior aos 65% do mesmo trimestre do ano anterior e abaixo do 3T23 (77%).

Das vendas líquidas realizadas no trimestre, R$ 167 milhões se refere à venda de
estoque pronto (6%), R$ 1,153 bilhão à venda de estoque em construção (45%) e R$ 1,273 bilhão à venda de lançamentos (49%). Dessa forma, a Cyrela atingiu uma velocidade de vendas (VSO) de lançamentos de 46% no trimestre.

Em 2023, as vendas contratadas atingiram R$ 8,892 bilhões, sendo 12% superior ao ano de 2022.

Treinamento Gratuito

Manual dos Dividendos

Descubra o passo a passo para viver de dividendos e ter uma renda mensal previsível, começando já nas próximas semanas

E-mail inválido!

Ao informar os dados, você concorda com a nossa Política de Privacidade.

A companhia lançou 13 empreendimentos no trimestre totalizando um volume de
R$ 2,744 bilhões, 3% inferior ao realizado no 4T22 (R$ 2,821 bilhões) e 27% acima do 3T23 (R$ 2,165 bilhões). As permutas nos lançamentos foram R$ 75 milhões no 4T23 vs. R$ 372 milhões no 4T22 e R$ 89 milhões no 3T23.

Iguatemi (IGTI11)

A Iguatemi (IGTI11) apresentou um crescimento em vendas totais de 11,7% no quarto trimestre de 2023 versus o mesmo período de 2022, atingindo o recorde de R$ 5,9 bilhões no período.

Com esse resultado, a companhia alcançou vendas totais recorde de R$ 18,9 bilhões em 2023 e encerra o ano com crescimento de 11,2% sobre 2022, sendo esse o maior crescimento anual de vendas sem variação de ABL da série histórica da Iguatemi.

Continua depois da publicidade

No 4T23, as vendas mesmas lojas (SSS, na sigla em inglês) tiveram crescimento de 9,1% em relação ao mesmo período de 2022, tendo os segmentos de Alimentação e Moda,
Calçados e Artigos de Couro como destaque do período, crescendo 11,2% e 10,2% respectivamente sobre o 4T22.