Radar InfoMoney

Controladores resistem a tirar Ferreira da Vale; chineses de olho em banco brasileiro e mais 11 notícias

Confira os destaques do noticiário corporativo desta terça-feira (7)

Por  Lara Rizério

SÃO PAULO – Além do noticiário movimentado sobre a Operação Lava Jato, o cenário corporativo segue bastante movimentado, com destaque para Vale e Petrobras. Confira o noticiário corporativo desta terça-feira (7):

Vale 
O presidente interino Michel Temer quer tirar Murilo Ferreira do comando da Vale (VALE3;VALE5), enquanto os acionistas controladores resistem a fazer uma mudança agora, diz Valor Econômico. Os sócios da Vale têm receio de que troca seja vista pelo mercado como interferência política, com efeitos negativos sobre a imagem da companhia. A Valepar, holding que comanda a Vale, é controlada pelos fundos de pensão Funcef, Previ, Petros e Funcesp, além de Bradespar, holding do Bradesco, Mitsui e BNDESPar.

Além disso, em relatório, o Bradesco BBI prevê provisões de R$ 1,2 bilhão da Vale dada a necessidade de recursos para operação da Samarco. O banco corta estimativa do minério de ferro no longo prazo de US$ 55 a tonelada para US$ 45 a tonelada, em razão da inclinação negativa da curva de custos e da persistente oferta superavitária. A conclusão do acordo Nacala/Moatize deve liberar US$ 3 bilhões do balanço da Vale.

O acordo Moatize/Nacala deve ser concluído no 2º semestre de 2016. Ao mesmo tempo, outras alternativas, como venda de opção de compra para produção futura de minério de ferro, estão sendo discutidas – ainda em estágio inicial. A Samarco, Vale e BHP Billiton Brasil formalizaram criação de fundação que desenvolverá e executará programas ambientais e socioeconômicos com a finalidade de reparar e compensar os danos causados pela ruptura da barragem da Samarco, segundo anúncio em 2 de março.

Indusval
Segundo a Reuters, o grupo chinês Shanghai Pengxin está negociando a compra do controle do banco Indusval (IDVL4), em estratégia para se expandir para além de commodities na América Latina, afirmaram três fontes com conhecimento direto do assunto. Representantes do Pengxin e sócios do Indusval discutiram potenciais cenários para um acordo, disseram duas das fontes. As negociações estão em estágio preliminar e podem não resultar em um negócio, disseram as fontes. 

Petrobras
Em comunicado, a Petrobras (PETR3;PETR4) informou que inexiste conflito de interesse em Pedro Parente, novo CEO da estatal, no conselho de Administração da BM&FBovespa (BVMF3).  

A companhia também comentou a notícia do Valor de que a companhia negocia parcelar a dívida de R$ 5,4 bilhões que a Eletrobras tem com ela. Segundo a petroleira, até o momento, não há qualquer acordo firmado com a Eletrobras e suas distribuidoras em relação às dívidas inadimplidas. 

Por fim, o UBS elevou o preço-alvo para as ações ordinárias da Petrobras de R$ 8,00 para R$ 12,00.

Educacionais
Os gestores da Estácio são favoráveis à oferta da Ser Educacional, segundo o Valor. A direção da Estácio inclina-se pela proposta da Ser Educacional, segundo apurou o Valor, enquanto mercado acredita que melhor alternativa seria associação com Kroton, diz Valor Econômico sem revelar como obteve a informação. Em 2 de junho, Kroton informou que tinha a intenção de fazer a oferta por Estácio com pagamento em ações. Em 5 de junho, a Ser enviou para a Estácio proposta não-vinculante para fusão com Estácio.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Tereos
A Tereos (TERI3) contratou bancos para roadshow com investidores, dizem fontes para a Bloomberg. A captação de 400 milhões de euros com títulos de sete anos deve suceder encontros com investidores programado para 7-9 de junho, segundo pessoas familiarizadas com o assunto e que pediram anonimato por não estarem autorizadas a falar publicamente. O uso dos recursos será para propósitos gerais da companhia e refinanciamento de dívida.

Além disso, o CEO (Chief Executive Officer) da Tereo vê alta em preço do açúcar com impasses em portos. O congestionamento em portos alavancará os preços durante o verão europeu, disse presidente do conselho de administração da companhia, Alexis Duval, em entrevista em Paris. A situação deve voltar à normalidade após mercado se tornar bem abastecido.

Capital externo
O deputado Zé Geraldo (PT-PA), relator da medida provisória que aumenta de 20% para 49% o limite de capital estrangeiro nas empresas aéreas, rejeita a ideia do governo interino de Michel Temer de liberalizar completamente o setor, segundo o jornal Valor Econômico. Ele apresentará hoje seu parecer na comissão mista responsável pela análise da MP 714, que a presidente afastada Dilma Rousseff assinou no início de março, e não deve fazer mudanças nesse trecho da proposta.

Restoque (LLIS3)
A Restoque
-Inbrands deve ter capitalização de R$ 500 milhões, diz o Valor Econômico. As duas empresas anunciaram na quinta-feira à noite, por meio de fato relevante enviado ao mercado, que negociam uma fusão. 

IdeiasNet
A Ideiasnet (IDNT3informouque os credores de sua controlada Officer aprovaram, em assembleia geral, o plano de recuperação judicial apresentado pela companhia em novembro de 2015. A Officer possuía um endividamento líquido de R$ 148,3 milhões no fim do primeiro semestre do ano passado.

Oi
A Oi (OIBR4) estima que vai investir cerca de R$ 1,6 bilhão na instalação de fibra ótica na Baixada Fluminense, no adensamento do sinal 3G e em melhorias do atendimento ao consumidor, informa o jornal Folha de S. PauloO dinheiro equivale a metade da soma do valor das multas que a Anatel aplicou com o que a Oi já iria gastar para adaptar seus serviços aos padrões de qualidade impostos pela agência.

Marcopolo e Tupy
A Marcopolo (POMO4) foi rebaixada de neutra para underweight pelo JPMorgan; o mesmo banco elevou de neutra para overweight a recomendação para Tupy (TUPY4). 

Vanguarda Agro
Em entrevista para a Bloomberg, o presidente da Vanguarda Agro Arlindo Moura afirmou que a Vanguarda Agro (VAGR3) está em em negociações avançadas com bancos incluindo Itaú, Bradesco, Banco do Brasil, Santander e Rabobank para alongar o prazo da maior parte de sua dívida de R$ 843 milhões. O acordo com bancos pode ser assinado na próxima semana. A empresa propôs pagar a dívida em 7 parcelas anuais. O refinanciamento se tornou necessário por conta dos efeitos cambiais na dívida da companhia, que tem sua maior fatia denominada em dólares. 

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

São Martinho
No quarto trimestre da temporada 2015/16, encerrada em março, a São Martinho (SMTO3) teve um lucro líquido de R$ 68,9 milhões, 21,9% acima do mesmo período da safra anterior. Com isso, a empresa encerrou o ciclo com lucro líquido de R$ 194,3 milhões, 32% inferior ao da safra precedente. 

 

(Com Bloomberg)

Compartilhe