Mathew Martoma

Conheça o ex-gestor condenado a 45 anos de prisão por insider trading “sem precedentes”

Mathew Martoma foi condenado por uso de informação privilegiada ao operar ações de companhias farmacêuticas

SÃO PAULO – Mathew Martona, um ex-gestor de fundos de hedge da Sac Capital, nos Estados Unidos, foi condenado a até 45 anos de prisão na última quinta-feira (6) por uso de informação privilegiada ao operar ações de companhias farmacêuticas.

Os promotores de Nova York destacaram que este deve ter sido um dos casos de informação privilegiada mais lucrativos já descobertos no mundo, levando assim a ganhos ilícitos de operadores da ordem de US$ 275 milhões.

Martoma foi acusado de usar dados sigilosos de um professor de neurologia sobre o desenvolvimento de uma droga para combater o mal de Alzheimer, que era testada pela Elan Pharmaceuticals e pela Wyeth em 2008. 

Martoma foi considerado culpado de duas acusações de fraude de títulos e uma acusação de conspiração de  fraude de valores mobiliários. Cada contagem de fraude acarreta uma pena máxima de 20 anos de prisão e a acusação de conspiração prevê uma pena máxima de cinco anos, o que soma 45 anos de detenção. Contudo, especialistas acreditam Martoma vai ficar entre sete e dez anos atrás das grades. Ao trazer o caso, o procurador Prret Bharara disse o alegado abuso de informação privilegiada ocorreu “em uma escala que não tem precedente histórico”. 

Durante o processo judicial, os promotores disseram que Martoma “corrompeu” dois médicos a fim de obter um aviso prévio dos resultados. 

O veredicto que declarou Martoma culpado e que foi entregue por um júri de 12 membros em um tribunal federal em Manhattan, é o mais recente golpe para a SAC Capital, que no ano passado se declarou culpada de acusações de fraude e concordou em pagar US$ 1,8 bilhão no maior caso de multa por insider trading da história dos EUA. Como parte de um acordo com o governo, a SAC concordou em fechar seu negócio de consultoria de investimento e transformar-se em um chamado ” family office ” para gerir a riqueza de bilhões de dólares de seu fundador, Steven A. Cohen.

Trata-se da maior quantia já imposta na história dos casos que envolvem informações privilegiadas. Em março de 2013, o gestor Michael Steinberg foi acusado de operar com ações da Dell Inc e da Nvidia Corp usando informações que não estavam disponíveis ao público. 

Perfil
Martona tem 39 anos e é um ex-aluno da Harvard University, que foi co-autor de alguns artigos sobre ética médica antes de procurar a área de negócios na Universidade de Stanford e ser contratado por um fundo de hedge pouco conhecido de Boston pouco depois. Ex-colegas de Martona destacam que o gestor era discreto e “passava desapercebido” pelos lugares. 

Em 2006, aos 32 anos, Martona chegou a SAC Capital Advisor LP e chamou a atenção do bilionário Cohen, dono da gestora e um dos mais bem sucedidos do mundo, em meio às recomendações do jovem nas ações da Elan e da Wyeth que renderam US$ 700 milhões à companhia. Esta operação o levou a ter um bônus de US$ 9,38 milhões. 

PUBLICIDADE

Com o capital de seus bônus bastante gordos, Martona comprou uma casa bastante luxuosa em Boca Raton, para onde se mudou com sua esposa, a pediatra Rosemary. Vizinhos apontam que o casal possui uma vida bastante discreta e afirmam que tudo o que sabem é que o casal tem três filhos. Contudo, com a condenação do ex-gestor, a vida “sigilosa” de Martona também poderá ser quebrada.