Frigoríficos em queda

Com embargo japonês às carnes brasileiras, ações de JBS e Minerva recuam

Apenas o Marfrig não opera em queda, tendo em vista que os papéis da companhia já haviam recuado 27% na semana passada

SÃO PAULO – O embargo do Japão às carnes bovinas do Brasil impactou diretamente as companhias do setor listadas na Bovespa nesta segunda-feira (10).

Na última sexta-feira, o Brasil notificou a OIE (Organização Mundial de Saúde Animal, na sigla em inglês) que uma fêmea bovina que morreu em 2010 no Paraná estava com o causador da BSE (encefalopatia espongiforme bovina, na sigla em inglês), a doença da vaca louca. Contudo, o órgão internacional afirma que a morte foi causada por outra doença e mantém a classificação brasileira como “país de risco insignificante para BSE.”

Mesmo assim, o Japão, que em 2011 importou 1.435 toneladas de carne do Brasil, impôs o embargo ao produto brasileiro. O país asiático importa apenas carne termicamente tratada do Brasil, maior exportador de carne bovina do mundo, já que não tem autorização para importar carne fresca em função dos riscos da febre aftosa, e disse ainda que vai procurar alternativas de suprimento em outros exportadores, como Estados Unidos e Austrália.

Impacto negativo até que se prove o contrário
Para a equipe de análise da XP Investimentos, a notícia é obviamente ruim para as empresas brasileiras do setor, mas ela acredita que o impacto em receitas tende a ser pouco representativo e deverá ser retirado em breve, “uma vez que a notícia de ‘vaca louca’ se mostrou totalmente infundada”.

Dentre as brasileiras, a XP aponta a JBS (JBSS3) como a mais exposta, “uma vez que teve no 3T12 aproximadamente 12% de suas receitas advindas diretamente do Japão”. O Marfrig (MRFG3) tem cerca de 13% de suas receitas do segmento de carne bovina advindo da Ásia, enquanto o Minerva (BEEF3) tem em média cerca de 4% a 5% de receitas de exportações para Ásia – a empresa não especifica as vendas por país.

Consequência nas ações
Embora o Minerva seja apontado como o menos afetado, as ações da companhia são as mais penalizadas na Bovespa, apresentando queda de 3,60%, indo para R$ 10,44, segundo cotação das 10h44 (horário de Brasília)). A JBS mostrava queda mais modesta no mesmo horário, de 1,07%, valendo R$ 5,56.

Já o Marfrig vê seus papéis subirem 0,95% nesta manhã, cotados a R$ 8,53. Contudo, é importante mencionar que os ativos da empresa podem estar corrigindo nesta sessão a forte queda que tiveram na semana passada, quando registraram a maior desvalorização do Ibovespa no período – recuo de 27,16%.