Conteúdo editorial apoiado por

Cinco pontos para ficar de olho em 2024 após o rali da Bolsa americana em 2023

Com o Federal Reserve sinalizando que provavelmente encerrou o ciclo de elevação das taxas de juros para conter a inflação, os mercados estão cada vez mais focados em riscos além da política monetária

Bloomberg

(Getty Images)

Publicidade

Bloomberg — Um ano agitado para o mercado de ações dos EUA chegou ao fim, e os investidores estão cheios de otimismo para 2024, já que o índice S&P 500 está a uma curta distância de sua primeira alta recorde em quase dois anos.

Com o Federal Reserve sinalizando que provavelmente encerrou o ciclo de elevação das taxas de juros para conter a inflação, os mercados estão cada vez mais focados em riscos além da política monetária, como as perspectivas para a economia, os lucros e a eleição presidencial dos EUA em novembro.

Um desafio-chave para os investidores será avaliar o impacto atrasado do ciclo de elevação do Fed, que dividiu os estrategistas de Wall Street sobre para onde as ações estão indo no próximo ano.

Masterclass

As Ações mais Promissoras da Bolsa

Baixe uma lista de 10 ações de Small Caps que, na opinião dos especialistas, possuem potencial de valorização para os próximos meses e anos, e assista a uma aula gratuita

E-mail inválido!

Ao informar os dados, você concorda com a nossa Política de Privacidade.

Claro, muitos estavam do lado errado em 2023, pois previram pessimismo, mas o S&P 500 subiu mais de 24%, apesar de colapsos bancários, temores de recessão e os maiores custos de empréstimos em décadas.

1. Redução dos juros

As altas nas ações receberam suporte nos últimos meses devido à crescente especulação de que o Fed começará a reduzir as taxas de empréstimo já em meados de 2024. Os mercados estão precificando cortes de taxas mais cedo e mais profundos, com traders de swaps apostando que o banco central reduzirá as taxas em cerca de 150 pontos-base no próximo ano, o dobro da previsão das próprias autoridades do Fed.

2. Crescimento das big techs

Da Nvidia à Microsoft, as sete maiores ações de tecnologia dos EUA foram responsáveis por 64% da alta do S&P 500 em 2023, à medida que a frenesi de inteligência artificial decolava. As Magníficas Sete – que também incluem Amazon.com, Apple, a controladora do Google, Alphabet, Meta Platforms e Tesla – devem apresentar um crescimento de lucro de 22% no próximo ano, o dobro do avanço do S&P 500, mostram dados compilados pela Bloomberg Intelligence.

A questão é quanto disso já está precificado nas ações, especialmente com expectativas de um pouso suave se consolidando. A diferença no crescimento de lucros para essas ações em comparação com o restante está prevista para diminuir.

Segundo Louis Navellier, da Navellier & Associates, seis das sete ações parecem boas indo para 2024. Apenas a Apple ficará de fora sem um produto ou tecnologia de ponta para impulsionar seus resultados, escreveu em um relatório.

3. Eleições presidenciais nos EUA

Um ano de eleição com um presidente em exercício concorrendo é historicamente um cenário otimista para as ações dos EUA. Desde 1949, o S&P 500 tem uma média de ganho de quase 13% em anos de eleição, de acordo com o Almanaque do Trader de Ações. Quando não há um presidente incumbente, o índice tem uma média de perda de 1,5% no ano.

Parte da razão para os ganhos nas ações é que os incumbentes geralmente implementam novas políticas ou defendem redução de impostos para impulsionar a economia e o sentimento antes da votação.

4. BoJ, China e Índia

Enquanto o índice Nikkei 225 atingiu uma alta de três décadas em 2023, impulsionado pela política ultrafrouxa do Banco do Japão e um iene fraco, as ações japonesas enfrentarão um obstáculo no início de 2024.

O banco central mantém a última taxa negativa do mundo, mas dois terços dos economistas preveem que ele aumentará as taxas pela primeira vez desde 2007 até abril.

Enquanto isso, após mais um ano decepcionante para os otimistas da China, os investidores observarão as reuniões do Congresso Nacional do Povo e do terceiro plenário para a meta de crescimento de Pequim em 2024 e pistas sobre estímulos fiscais.

A Índia é um grande ponto brilhante otimista, à medida que o país fecha contratos de manufatura de alta tecnologia, aumenta os gastos em infraestrutura e emerge como uma alternativa à China.

5. Postura do BCE e do BoE

Com o índice Stoxx Europe 600 próximo de seu maior nível em dois anos, ações cíclicas fortemente expostas à Ásia podem ser a chave para mais ganhos, dada a possível ajuda fiscal da China.

Embora uma economia fraca provavelmente pese nos lucros europeus, as estimativas de consenso dos analistas são de um crescimento de lucro de cerca de 4% em 2024, principalmente contando com a elevação das margens, mostram dados da Bloomberg Intelligence.

Os mercados de títulos esperam que o Banco Central Europeu reduza as taxas até abril, o que poderia fornecer um impulso adicional às ações da região. O Banco da Inglaterra deve ficar atrás tanto do Fed quanto do BCE no alívio, já que o Reino Unido tem uma das taxas de inflação mais altas entre as nações do G7.

© 2024 Bloomberg L.P.