Se entregou

Cientista do MIT é preso por insider trading após procurar no Google sobre insider trading

A SEC alega que os lucros do cientista vieram de informações confidenciais que ele obteve de sua esposa, que era uma associada da Linklaters

arrow_forwardMais sobre

SÃO PAULO – A SEC (Securities and Exchange Commission) prendeu na última quarta-feira (13) o cientista do MIT (Instituto de Tecnologia de Massachusetts, na sigla em inglês) Fei Yan por acusações de insider trading (uso de informação privilegiada).

Isto não chega a ser raro, principalmente nos Estados Unidos, mas o mais curioso foi a forma como as autoridades chegaram ao cientista. Os promotores afirmam que Yan procurou “como a SEC detecta um trade incomum” no Google antes de comprar diversas ações e opções que o levaram a ganhar US$ 120 mil de forma ilícita.

Yan também procurou frases como “insider trading em uma conta internacional”, segundo informaram as autoridades. A SEC alega que os lucros do cientista vieram de informações confidenciais que ele obteve de sua esposa, que era uma associada da Linklaters. O escritório com sede em Londres anunciou que suspendeu a esposa de Yan, e estará cooperando com a investigação da SEC.

Yan comprou participações na Mattress Firm e Stillwater Mining, empresas que a companhia de sua esposa estava trabalhando junto para acordos de aquisição. Depois que as aquisições se tornaram públicas, Yan vendeu seus ativos. Sua esposa não está entre as acusadas.

Para ocultar sua atividade ilegal, dizem os promotores, o cidadão chinês colocou os negócios em uma conta sob o nome de sua mãe.

“Yan tentou evadir a detecção pesquisando casos anteriores da SEC contra insider trading e usando uma conta de corretagem em um nome diferente, mas identificamos os negócios rentáveis ??em ‘deals’ recomendados pela mesma empresa e os rastreamos de volta”, disse Joseph G. Sansone , co-chefe da unidade de abuso de mercado da SEC.