Casino anuncia venda do Éxito para Grupo Calleja, de El Salvador; GPA (PCAR3) receberá US$ 156 milhões

Os investidores do Éxito receberão US$ 0,9053 por ação no acordo, que avalia a cadeia de supermercados colombiana em US$ 1,2 bilhão

Bloomberg

Publicidade

Bloomberg — O Casino Guichard-Perrachon está recebendo uma injeção de US$ 556 milhões em dinheiro com a concordância do Grupo Calleja, o principal varejista de alimentos em El Salvador, em comprar a participação do varejista francês na Almacenes Éxito (EXCO32).

O Casino informou esta manhã que receberá US$ 400 milhões por sua participação acionária direta, enquanto sua unidade do Grupo Pão de Açúcar (PCAR3), que controla a rede colombiana, receberá US$ 156 milhões. As ações do Casino subiram até +1,4%.

Os investidores do Éxito receberão US$ 0,9053 por ação no acordo, que avalia a cadeia de supermercados colombiana em US$ 1,2 bilhão. Espera-se que a transação seja concluída por volta do final do ano.

Masterclass

As Ações mais Promissoras da Bolsa

Baixe uma lista de 10 ações de Small Caps que, na opinião dos especialistas, possuem potencial de valorização para os próximos meses e anos, e assista a uma aula gratuita

E-mail inválido!

Ao informar os dados, você concorda com a nossa Política de Privacidade.

O acordo é resultado de meses de negociações e ocorre duas semanas depois que o Casino assinou um acordo de lock-up com a maioria de seus credores garantidos para reestruturar o balanço patrimonial.

Por meio desse acordo, a empresa receberá uma injeção de capital de € 1,2 bilhão (US$ 1,26 bilhão) liderada pelo bilionário tcheco Daniel Kretinsky e a conversão de toda a dívida não garantida do Casino e parte de sua dívida garantida em capital.

O plano prevê uma redução de € 6,1 bilhões no endividamento da empresa e fará com que o acionista majoritário e presidente Jean-Charles Naouri perca o controle.

Continua depois da publicidade

O Casino estendeu o prazo para a assinatura do acordo até 17 de outubro.

Até 13 de outubro, 44% dos credores financeiros sem garantia e 42,7% dos detentores de notas subordinadas perpétuas haviam assinado o acordo, informou a empresa na sexta-feira.

© 2023 Bloomberg L.P.