Carrefour Brasil (CRFB3) projeta margem Ebitda de lojas convertidas para Atacadão entre 5% e 6% no fim de 2024

Varejista ainda espera que o impacto potencial decorrente da otimização do portfólio de lojas no Ebitda seja entre R$ 180 e 220 milhões no próximo ano

Felipe Moreira

Atacadão (Foto: Divulgação/Carrefour Brasil)

Publicidade

O Carrefour Brasil (CRFB3) espera que as vendas por m² (metro quadrado) das lojas convertidas do antigo Grupo BIG para a bandeira Atacadão atinjam aproximadamente entre R$ 28.000/m² e R$ 31.000/m² em bases anualizadas até o final de 2024, enquanto a margem Ebitda (nível loja) alcance entre 5% e 6% até o fim do período.

Até o final de 2025, a companhia espera que as vendas por m2 alcancem aproximadamente R$ 35.000/m² em bases anualizadas, enquanto a margem Ebitda (nível loja) atinja entre 7% e 8% até o fim do período.

Para margem Ebitda (nível loja) e margem Ebitda (unidade de negócio) para lojas maduras do Sam’s Club: até o final de 2025, entre 9% e 10% e entre 7% e 8%, respectivamente.

Treinamento Gratuito

Manual dos Dividendos

Descubra o passo a passo para viver de dividendos e ter uma renda mensal previsível, começando já nas próximas semanas

E-mail inválido!

Ao informar os dados, você concorda com a nossa Política de Privacidade.

O Carrefour ainda espera que o impacto potencial total decorrente da otimização do portfólio de lojas (conversões de formato, venda de operações e fechamento de lojas, combinados) no Ebitda seja entre R$ 180 e 220 milhões no próximo ano. Em 2026, a companhia espera que o impacto potencial total no Ebitda seja de R$ 550 a 800 milhões.