Bradespar (BRAP4) poderá ter que pagar mais de R$ 800 mi para Receita, Light (LIGT3) confirma desistência de recuperação judicial e mais notícias

Confira os principais destaques do noticiário corporativo nesta segunda-feira (11)

Felipe Moreira

Publicidade

O radar corporativo desta segunda-feira (11) traz a Bradespar (BRAP4), que recebeu auto de infração da Receita e poderá ter que pagar mais de R$ 800 milhões.

Já a Light confirmou que seu conselho de administração aprovou, em 4 de setembro, a elaboração de um plano para a saída da recuperação judicial.

A S&P Global Ratings revisou os ratings de crédito de emissor e da 6ª e da 7ª emissão de debêntures da Via (VIIA3), com vencimento em maio de 2026 e setembro de 2028, respectivamente, com perspectiva negativa de “brAA-” para “brA-”.

Treinamento Gratuito

Manual dos Dividendos

Descubra o passo a passo para viver de dividendos e ter uma renda mensal previsível, começando já nas próximas semanas

E-mail inválido!

Ao informar os dados, você concorda com a nossa Política de Privacidade.

O Banrisul (BRSR6) anunciou R$ 70 milhões em JCP referente ao 3º trimestre.

Confira mais destaques:

Bradespar (BRAP4)

A Bradespar (BRAP4) informou estar ciente de uma autuação pela Receita Federal, no valor aproximado de R$ 800 milhões, como parte de um processo que contesta despesas lançadas pela empresa, no exercício de 2018, derivadas de pagamentos realizados à Elétron S.A. em razão da homologação de Transação Extintiva de Litígio.

Continua depois da publicidade

O valor seria referente ao Imposto de Renda das Pessoas Jurídicas (IRPJ) e à Contribuição Social sobre o Lucro Líquido (CSLL), que seriam devidos caso a empresa não houvesse excluído referidas despesas para fins da apuração dos impostos citados, acrescidos de multa de ofício de 75%, multa isolada e juros de mora atrelados à Selic.

A Bradespar informa que está segura da correção dos procedimentos adotados em 2018, que a postura das autoridades fiscais está incorreta e que tem “avaliação de assessores jurídicos externos” que apontam “sólidos argumentos para afastar referida exigência nos tribunais administrativos e/ou judiciais”.

Light (LIGT3)

A Light confirmou que seu conselho de administração aprovou, em 4 de setembro, a elaboração de um plano para a saída da recuperação judicial, sem dar detalhes. O comunicado veio em resposta a notícias de que a empresa havia desistido do pedido de recuperação para negociar diretamente com seus credores.

Via (VIIA3)

A S&P Global Ratings revisou na última sexta-feira (8) os ratings de crédito de emissor e da 6ª e da 7ª emissão de debêntures da companhia, com vencimento em maio de 2026 e setembro de 2028, respectivamente, com perspectiva negativa de “brAA-” para “brA-”, na Escala Nacional Brasil. Nenhum outro instrumento de dívida da Companhia teve o seu rating avaliado.

Banrisul (BRSR6)

O Banrisul (BRSR6) anunciou o pagamento de R$ 70 milhões em juros sobre capital próprio (JCP) referente ao terceiro trimestre deste ano. O valor equivale a R$ 0,172 por ação ordinária e preferencial.

Terão direito ao provento os acionistas que detiveram ações do banco ao fim do pregão do dia 13 de setembro.

Zamp (ZAMP3)

A FitPart, na qualidade de representante legal de determinados fundos de investimento sob sua gestão  discricionária, em conjunto com EGT Management Holding, aumentou sua participação acionária para 41.803.300 ações ordinárias de emissão da companhia, representativas de aproximadamente 15,18% do capital social total da empresa.

EzTec (EZTC3)

A Eztec (EZTC3) anunciou o lançamento empreendimento Alto de Pinheiros com valor geral de vendas (VGV) de R$ 85 milhões.

O empreendimento está localizado na Avenida São Gualter, 470 (Alto de Pinheiros), a menos de 5 minutos da Praça Panamericana e próximo à Avenida Faria Lima e ao Parque Villa-Lobos. A torre conta com 41 unidades de alto padrão, com áreas que variam de 182 m² a 307 m².