Resultados setoriais

Bovespa: setor de comércio sobe 64% em 2012, enquanto petróleo cai 26%

Enquanto setores da economia surfam na queda de juros, outros tem dificuldade com medidas do governo

arrow_forwardMais sobre

SÃO PAULO – As ações do setor de comércio registraram a maior alta na BM&FBovespa em 2012, mostrou a Economática. Os 20 papéis que compõem esse setor tiveram ganhos de 64,06% até o dia 26 de dezembro, superando o desempenho dos outros 22 setores – na divisão setorial da consultoria. No ano, apenas seis tiveram desempenho abaixo do Ibovespa, que por sua vez subiu 7,41%. 

Destes seis setores, os destaques ficam com dois: Petróleo e Gás e Energia Elétrica, os únicos com rentabilidade negativa de dois dígitos. As empresas que exploram a commodity tiveram um ano para esquecer: embaladas pela queda de 67,84% da OGX Petróleo (OGXP3), o setor caiu 26,29% até essa data. O setor de energia, impactado pelas medidas do governo, teve perdas de 17,32%.

Economia interna é a solução?
Setores voltados para a economia interna se beneficiaram neste ano: o comércio liderou os ganhos, com B2W Varejo (BTOW3), Lojas Renner (LREN3), Natura (NATU3) e Lojas Americanas (LAME4) registrando ganhos superiores a 60%. A primeira da lista é a empresa de varejo online, que teve algumas das maiores quedas nos últimos anos, que subiu 86,00%. 

Já o setor de saneamento subiu 59,68%, ajudado pelo forte desempenho de Sabesp (SBSP3), ganhos de 73,23%, enquanto máquinas industriais avançou 43,29%. Se recuperando das fortes baixas dos últimos anos, as cinco empresas de papel e celulose tiveram ganhos de 40,55% – em reflexo à forte alta de 64,25% dos papéis da Klabin (KLBN4), mais voltadas para o mercado interno.

Mas esse não foi o caso das ações do setor de construção, também fortemente voltado para a economia interna. Ele teve queda de 4,71%, um dos piores desempenhos do ano. Os números da Economática dão força à teoria de que existe “duas bolsas” na BM&FBovespa: enquanto alguns papéis duplicaram de valor surfando em nos bons drivers da economia brasileiro, outros afundaram – e não raramente por conta de fatores também internos. 

É válido ressaltar que, durante 2012, foi importante observar o movimento da política estatal: se por um lado ele derrubou o setor de energia elétrica com a MP (Medida Provisória) 579 e a política de preços da Petrobras (PETR3; PETR4) tem garantido um desempenho pífio da estatal, é a queda da taxa de juro básica é o principal fator apontado por especialistas para garantir o desempenho do setor de comércio. Medidas protecionistas e de estímulo de competitividade também tem favorecido o setor industrial e siderúrgico, que também superaram em muito o principal índice da BM&FBovespa.

Confira o desempenho dos setores da bolsa brasileiras:  

SetorQuantidade de AçõesDesempenho em 2012
Comércio2064,06%
Saneamento359,68%
Bolsa149,10%
Máquinas Industriais543,29%
Papel e Celulose540,55%
Software e dados239,57%
Têxtil3037,59%
Veículos e peças2234,33%
Transporte1231,69%
 Agricultura e Pesca29,00% 
 Química15 24,01% 
Seguradora17,56% 
Siderurgia & Metalurgia26 15,52% 
Minerais não metálicos11,17% 
Bancos 35 10,53% 
Mineração9,91% 
IBOVESPA– 7,41% 
Telecomunicações 12 1,12% 
Eletroeletrônicos 11 -1,87% 
Outras atividades ligadas a serviços financeiros-4,64% 
Construção25 -4,71% 
Energia Elétrica50 -17,32% 
Petróleo e Gás-26,29% 
OUTRAS76*+40,55%
Fonte: Economática
*inclui todas as ações que não se encaixam em nenhum desses setores e as três ações do setor de saneamento