Bolsas nos EUA

Bolsas nos EUA fecham em leve alta na véspera da eleição para presidente

Apesar de dados ruins na economia, mercado se mostra apreensivo com resultado da eleição; pesquisa aponta que investidor deve aumentar exposição no mercado acionário caso Mitt Romney vença

SÃO PAULO – Em um dia com o mercado receoso em relação à eleição para presidente, os principais índices norte-americanos fecharam o pregão de segunda-feira (5) em leve alta.

O índice Nasdaq Composite, que concentra as ações de tecnologia, fechou em alta de 0,59% a 3.000 pontos. Já o S&P 500, que engloba as 500 principais empresas dos EUA, encerrou o pregão em leve valorização de 0,22% atingindo 1.417 pontos, enquanto o Dow Jones, que mede o desempenho das 30 principais blue chips norte-americanas, apresentou alta de 0,15% chegando a 13.112 pontos.

Eleição dos EUA
Nos EUA, a população decide na próxima terça-feira (6) se dá mais quatro anos de mandato ao atual presidente Barack Obama ou se muda de rumo com o republicado Mitt Romney. Conforme pesquisas da CNN, Washington Post e Wall Street Journal, os candidatos estão empatados com cerca de 49% das intenções de voto.

Tanto o candidato à reeleição, Barack Obama, quanto seu oponente Mitt Romney, têm acertados os últimos detalhes e corrido pelos votos nos estados mais importantes nos últimos dias. Com a proximidade da eleição, os investidores sem mantém atentos à corrida pelo Congresso, que irá determinar como os Estados Unidos irão lidar com o “fiscal cliff”, ou abismo fiscal.

De acordo com uma pesquisa da gestora BlackRock, caso Barack Obama perca a eleição, os norte-americanos devem aumentar sua exposição ao mercado acionário. 33% dos pesquisados acreditam que os ganhos das ações deve ser superior caso o candidato de oposição, Mitt Romney, ganhe a eleição.

Agenda de indicadores
Entre os indicadores, o ISM (Institute for Supply Management’s) divulgou o indicador de serviços, responsável pela mensuração do nível de atividade não-industrial. De acordo com os números, o setor atingiu um niível de 54,2 em outubro, sendo que valores acima de 50 indicam expansão. A estimativa era de que o indicador chegasse a 55,0, enquanto no mês passado o valor foi de 55,1.

Já na China, o PMI (Índice de Gerentes de Compra) do setor de serviços subiu para 55,5 em outubro, ante 53,7 em setembro, conforme dados oficiais. Já o índice medido pelo HSBC desacelerou no período, indo de 54,3 para 53,5. Por sua vez, no Velho Continente, o sentimento do investidor da zona do euro subiu em novembro pelo terceiro mês consecutivo. O índice foi de -22,2 para -18,8 pontos na passagem mensal.

Destaques corporativos
Entre os destaques de alta estão a Apple, que avançou 1,36% após anunciar que vendeu 3 milhões de iPads desde sexta-feira, quando foi lançado seu novo modelo.

No setor financeiro, os papéis do Morgan Stanley caíram 0,17%, após o co-presidente institucional do banco, Paul J. Taubman, comunicar que vai se aposentar no final do ano. Já o banco suíço UBS anunciou troca de gerentes na unidade de investimento da instituição e as ações subiram 0,66%. 

PUBLICIDADE

Ainda entre as perdas, a Time Warner Cable caiu 6,36% após dados abaixo das projeções. Enquanto empresas como a ConEd e a Exelon, tiveram quedas de 2,03% e 2,32%, respectivamente, mantendo as perdas após a passagem do furacão Sandy.

Confira o fechamento dos principais índices acionários norte-americanos: 

% Var DiaPontos%Var 30D%Var Ano
 Nasdaq+0,593.000-4,35+15,14 
 S&P 500+0,221.417-2,99+12,69 
 Dow Jones+0,1513.112-3,66+7,33