5 assuntos

Bolsas mundiais operam sem sentido definido; ata do Fomc, ADP nos EUA e mais assuntos que vão movimentar o mercado hoje

Aumento das taxas de juros segue impactando o mercado nesta sessão em meio à divulgação de importantes indicadores econômicos

Por  Equipe InfoMoney -

As bolsas mundiais operam sem sentido definido nesta quarta-feira (5), com Europa em leve alta, índices futuros dos Estados Unidos entre leves ganhos e perdas e a maior parte das bolsas da Ásia fechando em queda.

Investidores seguem atentos aos aumentos das taxas de juros, que tiraram os índices Nasdaq e S&P500 dos recordes nos EUA na véspera, com o aumento do rendimento dos títulos do Tesouro dos EUA.

No radar do mercado nesta sessão, estão os dados do emprego privado de dezembro nos EUA, antecipando o payroll na sexta, além da ata da reunião do Fed no mês passado, que podem trazer mais clareza sobre o potencial ritmo de aumento das taxas.

Os investidores vão buscar pistas sobre quando será feito o primeiro aumento de juros, como será a redução do balanço do Fed e os possíveis impactos da ômicron na inflação. O mercado precifica 63% de probabilidade da primeira subida de juros acontecer em março e vê mais duas altas ainda em 2022.

Confira os destaques:

1. Bolsas mundiais

Estados Unidos

Na terça-feira, o Dow avançou 200 pontos, para um novo patamar recorde; o Nasdaq recuou 1,3%, em meio a uma alta acelerada do rendimento dos títulos do Tesouro dos Estados Unidos, que aumenta a atratividade desse tipo de investimento em relação ao mercado acionário e eleva o custo de tomada de empréstimos, impactando empresas de crescimento acelerado.

Investidores também aguardam pelas minutas da reunião do Federal Reserve. No mês passado, o banco central americano anunciou que acelerou a redução do ritmo de seu programa de compra de títulos, e também previu altas na taxa de juros para 2022.

Futuros dos EUA às 7h20 (horário de Brasília):

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Dow Jones Futuro (EUA), +0,11%
S&P 500 Futuro (EUA), +0,04%
Nasdaq Futuro (EUA), -0,17%

Ásia

Na Ásia, as bolsas fecharam a quarta-feira em sua maioria em quedas, com os papéis de empresas de tecnologia da região pressionadas pela alta dos títulos do Tesouro dos Estados Unidos.

Em Hong Kong, os papéis do Tencent recuaram 4,31% na quarta-feira, após a empresa afirmar na terça-feira que deve desinvestir 2,6% de sua participação acionária na Sea Limited.

Os papéis de outras empresas de tecnologia listadas também recuaram após o principal regulador da China anunciar um rascunho de regras que podem afetar aplicativos de celular, incluindo uma requisição de revisão de segurança para aqueles com funções que podem afetar a opinião pública. Investidores também se mantiveram atentos à elevação do rendimento dos títulos do Tesouro nos Estados Unidos.

Os papéis do Meituan perderam 11,6%; os do Kuaishou, 7,53%; e o índice Hang Seng Tech perdeu 4,63%. Os papéis da China Mobile, que estrearam na quarta-feira na bolsa de Shanghai, tiveram, no entanto, alta de 3,33%.

Nikkei (Japão), +0,1% (fechado)
Shanghai SE (China), -1,02% (fechado)
Hang Seng Index (Hong Kong), -1,64% (fechado)
Kospi (Coreia do Sul), -1,18% (fechado)

Europa

Na Europa, o índice Stoxx 600, que reúne as ações de 600 empresas de todos os principais setores de 17 países europeus, opera perto da estabilidade na quarta-feira, também impactados pela elevação do rendimento dos títulos do Tesouro dos Estados Unidos.

Outros índices, por sua vez, registram ganhos em sua maioria. Atenção para os dados de PMIs na região: o Índice de Gerentes de Compras (PMI, na sigla em inglês) Composto da IHS Markit da zona do euro despencou a 53,3 em dezembro de 55,4 em novembro, mínima desde março.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Embora a leitura final tenha ficado abaixo da preliminar de 53,4, permaneceu acima da marca de 50 que separa crescimento de contração.

FTSE 100 (Reino Unido), +0,21%
Dax (Alemanha), +0,59%
CAC 40 (França), +0,52%
FTSE MIB (Itália), +0,23%

Os preços do petróleo recuam nesta data, após serem impulsionados na terça-feira com a decisão da Opep+ (Organização dos Países Exportadores de Petróleo e seus aliados) em sua reunião mensal de manter a elevação de produção de 400 mil barris por dia planejada para fevereiro com base em indícios de que a variante Ômicron do coronavírus pode ter um impacto moderado na demanda.

Commodities

Petróleo WTI, -0,21%, a US$ 76,83 o barril

Petróleo Brent, -0,13%, a US$ 79,9 o barril

Minério de ferro negociado na bolsa de Dalian teve alta de 2,13%, a 694 iuanes, o equivalente a US$ 109,22

Bitcoin

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Os preços do Bitcoin avançam 1,16%, a US$ 46.894,66

2. Agenda

Estados Unidos

9h: Associação dos Banqueiros Hipotecários (MBA na sigla em inglês) divulga pedidos e juros de hipotecas
10h15: Relatório de empregos privados ADP relativa a dezembro; projeção Refinitiv de criação de 400 mil vagas
11h45: Índices do Gerente de Compras (PMIs) Markit composto e do setor de serviços relativos a dezembro
12h30: Estoques de petróleo e combustíveis
16h: Ata da reunião do Comitê Federal do Mercado Aberto (Fomc, na sigla em inglês) do Fed

Brasil

9h: Índice de Preços ao Produtor (IPP) relativo a novembro
10h: Produção e vendas de veículos em dezembro
10h: PMIs Markit composto e do setor de serviços relativos a dezembro

Japão

21h30: PMI do setor de serviços relativo a dezembro

China

22h45: PMI do setor de serviços Caixin relativo a dezembro

3. Radar político

Saúde do presidente

Segundo boletim médico divulgado na terça-feira pelo hospital Vila Nova Star, onde Jair Bolsonaro (PL) está internado, o presidente teve boa aceitação da dieta líquida oferecida durante o dia, o que permitiu a retirada de sonda nasogástrica. Segundo os médicos, o presidente não precisará ser operado pois a obstrução intestinal que o levou à internação se desfez.

Não há previsão de alta, mas Bolsonaro não deve deixar o comando do Executivo ou transferi-lo interinamente ao vice-presidente, general da reserva Hamilton Mourão (PRTB).

Bolsonaro foi internado na madrugada de segunda-feira após sofrer um desconforto abdominal enquanto estava de férias em Santa Catarina. Na terça-feira, a primeira-dama, Michelle Bolsonaro, divulgou uma foto do presidente, que está com 66 anos, andando no hospital com a sonda nasogástrica que havia sido colocada na véspera.

Mobilização de servidores

Segundo o presidente do Sindicato Nacional dos Funcionários do Banco Central (Sinal), Fábio Faiad, 1200 funcionários sem cargos comissionados ou previstos para substituição já se comprometeram a não assumir funções de comissão, mais de um terço do total dos 3.500 servidores da ativa. A medida ocorre como parte de um movimento contra a decisão do governo de conceder ajuste salarial em 2022 apenas a policiais e a certos quadros da área de saúde.

Desoneração da folha

Reportagem do jornal Folha de S. Paulo afirma que a decisão do presidente Jair Bolsonaro de manter a desoneração da folha de pagamento de 17 setores sem adotar medidas tributárias para compensar a perda de R$ 9,1 bilhões na arrecadação de 2022 é justificável porque se trata da prorrogação de uma política já existente. Assim, haveria dispensa de uma nova compensação.

A prorrogação da desoneração da folha foi sancionada pelo presidente Jair Bolsonaro nas últimas horas de 31 de dezembro de 2021, e o Tribunal de Contas da União (TCU) quer explicações do governo, que tem até 31 de janeiro para demonstrar que adota todas as providências exigidas pela Lei de Responsabilidade Fiscal (LRF).

O Ministério da Economia havia recomendado manter a sobretaxa do Imposto sobre Operações Financeiras (IOF) sobre operações de crédito e a Contribuição sobre o Lucro Líquido (CSLL) mais elevada sobre os bancos. Mas a pasta foi ignorada e ambas as cobranças expiraram no fim de 2021.

Eleições 2022

Foi publicado o artigo do ex-ministro da Fazenda Guido Mantega na Folha, em tese representando o pensamento de Lula para a economia. O ex-ministro comparou o desempenho da economia durante a gestão de Bolsonaro com os governos petistas, criticou a redução do auxílio emergencial em 2021, a diminuição do investimento público, a reforma trabalhista e o teto de gastos, que para ele ‘produziu inúmeras distorções na gestão orçamentária’.

Mantega afirmou que ‘não existem saídas fáceis’ e que deve haver um ‘um programa de desenvolvimento econômico e social para a reconstrução do país’ que ‘deverá conter medidas emergenciais de combate à fome e à miséria’. Defendeu ainda que o ’governo deve coordenar um ambicioso plano de investimentos públicos e privados’ e, completou, ‘um programa de investimentos de longo prazo que dê sustentação ao crescimento e ao aumento da produtividade’. O ex-ministro também defendeu reforma tributária com simplificação e tributação sobre renda e patrimônio ‘dos 1% mais ricos’. Sobre política monetária, escreveu que ‘deve manter a inflação sob controle, sem exagerar na dose de juros’. Além disso, destacou a necessidade de uma política industrial.

Porém, notícia do Valor destaca que a escolha dele não significa que terá papel relevante na campanha ou no governo. Ainda na seara do que faria Lula na economia, ele e outros petistas defenderam reforma trabalhista espanhola e chegaram a falar de revogação da reforma feita por aqui, aponta a Folha.

4. Carnaval de rua cancelado e Covid no mundo

Com o avanço da variante Ômicron do coronavírus, a prefeitura do Rio de Janeiro anunciou na terça-feira o cancelamento do desfile de blocos na cidade pelo segundo ano seguido. O carnaval foi mantido, no entanto, no Sambódromo, com o desfile das escolas de samba. Também foram mantidos bailes, festas e apresentações em locais fechados.

Segundo o prefeito Eduardo Paes (PSD), o avanço da Ômicron causou um “aumento absurdo no número de casos, em especial nos últimos dez dias”.

Vacinação de crianças

“Reportagem de bastidores divulgada nesta quarta-feira pelo portal UOL afirma que o ministro Ricardo Lewandowski, do Supremo Tribunal Federal (STF), deve liberar a imunização contra a Covid para crianças de 5 a 11 anos, mesmo sem prescrição médica, de acordo com o Programa Nacional de Vacinação e contrariando a posição do governo. A liberação deve ocorrer em resposta a ação da Rede Sustentabilidade.

A vacinação dessa faixa etária já foi liberada pela Anvisa (Agência Nacional de Vigilância Sanitária). O Ministério da Saúde abriu uma audiência pública sobre o texto que exige prescrição médica. A maioria das quase 100 mil pessoas que responderam é contrária ao pedido e, segundo reportagem de bastidores do jornal Folha de S. Paulo, o governo deve abandonar a exigência.

Casos de Covid e influenza

Em comunicado, a Secretaria de Saúde do Estado de São Paulo informou que contabilizou 110 casos de infecção conjunta por influenza e Covid-19, o que vem sendo chamado de “flurona”. Há também relatos em Rio de Janeiro, Ceará, Rio Grande do Norte e Rio Grande do Sul.

Sintomas da Ômicron

Na terça-feira, o gerente de incidentes da OMS, Abdi Mahamud, reforçou a jornalistas que estão surgindo novas evidências de que a variante Ômicron do coronavírus afeta o trato respiratório superior, causando sintomas mais leves do que as variantes anteriores.

“Estamos vendo mais e mais estudos apontando que a Ômicron infecta a parte superior do corpo. Diferente das outras, que podem causar pneumonia grave”, afirmou, ressaltando que a transmissibilidade da Ômicron significa que a variante se tornará dominante em muitos lugares. Ele fez a ressalva, no entanto, de que os dados da África do Sul que indicam impacto menor à saúde devem ser encarados com cautela, já que a população do país é especialmente jovem.

Comprimidos

Na terça-feira, a Pfizer informou que o governo dos Estados Unidos vai comprar mais 10 milhões de seu tratamento com comprimidos para a Covid-19, chamado de Paxlovid. Isso eleva o pedido total do governo norte-americano para 20 milhões de tratamentos.
A primeira encomenda de 10 milhões de tratamentos foi feita em novembro, quando o governo dos EUA disse que pagaria à Pfizer US$ 5,29 bilhões. O valor total dessa nova compra não foi informado. Ensaios clínicos indicaram que o remédio é quase 90% eficaz na prevenção de hospitalizações e mortes em pacientes com alto risco de doenças graves.

Balanço Covid

Na terça-feira (4), o Brasil registrou 178 mortes por Covid-19 em 24 horas. Assim, a média móvel de mortes por Covid em 7 dias ficou em 96, queda de 14% em comparação com o patamar de 14 dias antes, segundo informações do consórcio de veículos de imprensa divulgadas às 20h.

Em um dia foram registrados 19.091 novos casos de Covid. A média móvel de novos casos em sete dias foi de 9.874, o que representa alta de 223% em relação ao patamar de 14 dias antes.

Os números podem ter sido impulsionados por dados represados um ataque hacker realizado em 10 de dezembro contra o site do Ministério da Saúde e ao aplicativo e à página do ConectSUS, que prejudicaram o registro de casos por estados.
O número de pessoas que tomaram ao menos a primeira dose de vacinas atingiu 161.458.181 pessoas, o que representa 75,69% da população.

Chegou a 143.707.365 o número de pessoas totalmente imunizadas contra a Covid no Brasil, o equivalente a 67,37% da população. A dose de reforço foi aplicada em 27.334.829 pessoas.

5. Radar corporativo

Oi (OIBR3

Em recuperação judicial, a Oi (OIBR3;OIBR4) informou que o seu conselho de administração aprovou a convocação de assembleia geral de acionistas, para 27 de janeiro, para deliberar sobre a proposta de incorporação, pela companhia, de sua subsidiária Oi Móvel S.A..

Segundo a empresa, a proposta está em linha com o que prevê o Plano de Recuperação Judicial e seu aditamento, aprovados em Assembleia Geral de Credores e homologados pelo juízo da 7ª Vara Empresarial da Comarca da Capital do Estado do Rio de Janeiro.

Méliuz (CASH3

A Méliuz (CASH3) informou nesta terça-feira (4) que fechou aliança estratégica com a Mastercard Brasil Soluções de Pagamento para oferecer o cartão de crédito e da conta Méliuz com a bandeira Mastercard para os seus usuários.

“Méliuz e Mastercard colocam o Brasil como um dos primeiros países da América Latina e do mundo a oferecer um cartão de crédito sem tarja magnética aos seus usuários, reduzindo fraudes e custo na emissão do cartão”, informou a empresa em comunicado à CVM.

Segundo a empresa, o novo cartão Méliuz será platinum e digital first, contará com a tecnologia de pagamento por aproximação, não terá anuidade, será livre de burocracia e contará com cashback e criptoback.

 

Equatorial ([ativo=ETQL3])

Os acionistas da Equatorial (EQTL3) aprovaram aquisição de ações representativas de  100% do capital social total e votante da Echoenergia Participações.

Oportunidade de compra? Estrategista da XP revela 6 ações baratas para comprar hoje. Assista aqui!

Compartilhe