Bolsas mundiais

Bolsas mundiais abrem o mês em alta após resultados positivos nos Estados Unidos em julho

PMIs e perspectiva de plano de aprovação do plano de infraestrutura nos EUA também ganham destaque

Por  Equipe InfoMoney -

As bolsas mundiais sobem nesta segunda-feira (2), após um mês de julho forte nos Estados Unidos.

Em julho, os principais índices americanos fecharam em alta, apesar de preocupações sobre a perspectiva de retomada econômica com a propagação da variante delta de Covid.

No mês, o Nasdaq Composto subiu 1,2%; o Dow Jones subiu 1,3%; e o S&P 500 avançou 2,3%. A preocupação com o avanço do coronavírus no país vem sendo parcialmente ofuscada pelo avanço nas negociações por um acordo bipartidário em torno de uma lei prevendo investimentos de US$ 1 trilhão em infraestrutura no país.

Na sexta, foram divulgados dados que indicaram que a inflação nos Estados Unidos avançou em junho 3,5%, levemente abaixo da expectativa de analistas ouvidos pela Dow Jones, de alta de 3,6%. Também foram divulgados dados sobre o PIB dos Estados Unidos no segundo trimestre, que avançou 6,5% na base de comparação anual, menos do que a taxa de 8,4% esperada por analistas ouvidos pela Dow Jones.

As ações da Amazon tiveram queda de quase 7,6% na sexta, após a empresa informar receita trimestral abaixo da expectativa pela primeira vez em três anos, e apresentar diretrizes de desempenho abaixo da expectativa do mercado.

Até o momento, 59% das empresas que compõem o S&P informaram o desempenho no segundo trimestre, dentre as quais 88% superaram o o consenso do mercado, segundo dados compilados pelo FacSet.

Entre as empresas que devem informar seus resultados nesta semana estão Lyft, Uber e General Motors.

As bolsas asiáticas também têm altas, após uma semana turbulenta. Na segunda, a fabricante chinesa de carros elétricos Xpeng anunciou alta recorde de entregas de veículos em julho, o que contribuiu para que suas ações listadas em Hong Kong tivessem um salto de 10,66%.

Na segunda foi divulgado o índice do gerente de compras (PMI na sigla em inglês) Caixin/Markit relativo a julho na China, que marcou 50,3 pontos, abaixo da expectativa de analistas ouvidos pela agência internacional de notícias Reuters, de 51,1 pontos. Em junho o indicador havia marcado 51,3 pontos. Qualquer valor acima de 50 indica expansão; abaixo, retração.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Em Hong Kong, o índice Hang Seng fechou em alta de 1,06%; no Japão, o índice Nikkei subiu 1,82%; na Coreia do Sul, o Kospi avançou 0,65%; na China, o Shanghai composto subiu 1,97%.

Além disso, as ações do HSBC listadas em Hong Kong avançaram 0,93% após o banco anunciar lucro acima do esperado no primeiro semestre de 2021, além de sua segunda distribuição de dividendos desde o início da pandemia.

O banco informou lucro de US$ 10,84 bilhões no primeiro semestre, mais do que o dobro do mesmo período do ano anterior, o que também contribui para a alta de seus papéis listados em Londres.

Na Europa, o índice Stoxx 600, que reúne as ações de 600 empresas de todos os principais setores de 17 países europeus, sobe 0,7%, com destaque positivo para o setor automobilístico.

No domingo, o lobby de fabricantes de carros CCFA-PFA afirmou que a escassez global de semicondutores e o avanço de novas infecções de Covid vêm prejudicando a perspectiva de recuperação do mercado automobilístico da França.

Também foi divulgado o PMI industrial da Zona do Euro, relativo a julho, que marcou 62,8 pontos, acima da expectativa de 62,6 pontos.

Veja os principais indicadores às 6h30 (horário de Brasília):
Estados Unidos
*Dow Jones Futuro (EUA), +0,51%
*S&P 500 Futuro (EUA), +0,58%
*Nasdaq Futuro (EUA), +0,52%
Europa
*FTSE 100 (Reino Unido), +1,03%
*Dax (Alemanha), +0,23%
*CAC 40 (França), +0,88%
*FTSE MIB (Itália), +0,77%
Ásia
*Nikkei (Japão), +1,82% (fechado)
*Shanghai SE (China), +1,97% (fechado)
*Hang Seng Index (Hong Kong), +1,06% (fechado)
*Kospi (Coreia do Sul), +0,65% (fechado)
Commodities e bitcoin
*Petróleo WTI, -1,136%, a US$ 73,11 o barril
*Petróleo Brent, -1,06%, a US$ 74,64 o barril
*Bitcoin, -5,68%, a US$ 39.509,68
Sobre o minério: **Contratos futuros do minério de ferro negociados na bolsa de Dalian com queda de 0,85%, cotados a 1.054 iuanes, equivalente hoje a US$ 163,11 (nas últimas 24 horas).
USD/CNY = 6,46

Entre no grupo do InfoMoney no Telegram para ter acesso a este conteúdo e faça parte de uma comunidade de mais de 170 mil pessoas que acompanham a plataforma.

O Telegram do InfoMoney oferece gratuitamente uma cobertura em tempo real do mercado financeiro. Traz também análises e as principais notícias que movimentam as Bolsas, aqui e no exterior.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Compartilhe