Bolsas europeias encerram com maior valorização em cinco semanas

Indicadores positivos nos EUA e declarações do Banco Central Europeu ajudaram no clima favorável da sessão

Equipe InfoMoney

Publicidade

SÃO PAULO – As principais bolsas europeias encerraram em forte alta nesta segunda-feira (23), com a maior valorização percentual em cinco semanas, com dados positivos divulgados nos Estados Unidos e forte avanço das ações de bancos e das empresas ligadas ao mercado de commodities.

Cenário econômico

O número de vendas de casas usadas nos EUA ficou acima das expectativas dos analistas durante os 12 meses encerrados em outubro, com o registro de 6,10 milhões de casas, superior às estimativas de 5,70 milhões do mercado e ao número de setembro (5,54 milhões de casas).

O presidente do Banco Central Europeu (BCE), Jean-Claude Trichet, afirmou que a instituição já tem uma estratégia para retirar as medidas de estímulo à economia, e incentivou os governos da Zona do Euro a preparar suas economias para fazer o mesmo.

Masterclass

As Ações mais Promissoras da Bolsa

Baixe uma lista de 10 ações de Small Caps que, na opinião dos especialistas, possuem potencial de valorização para os próximos meses e anos, e assista a uma aula gratuita

E-mail inválido!

Ao informar os dados, você concorda com a nossa Política de Privacidade.

Setor bancário em alta

O membro do Fed James Bullard afirmou que a instituição deve manter seu programa de compra de ativos além da data prevista para o término, para dar aos formuladores de política econômica mais flexibildiade.

Os principais bancos avançaram no pregão. Em Paris, o Dexia encerrou com a maior valorização do índice CAC 40, com as ações em alta de 3,94%, enquanto Société Générale e BNP Paribas assistiram seus papéis subirem 3,51% e 3,40%, respectivamente.

Continua depois da publicidade

Em Londres, as ações do Lloyds avançaram 3,77%, após o banco afirmar que a demanda por seu programa de troca de títulos, no valor de £ 8,78 bilhões, foi forte. Ainda na bolsa britânica, o Royal Bank of Scotland teve a maior alta do índice FTSE 100, subindo 5,01% no pregão.

Destaques de alta

As ações da Renault tiveram forte alta de 3,81%, a segunda maior valorização no CAC 40, após os analistas do Credit Suisse elevarem a recomendação dos papéis da empresa de “em linha com o mercado” para “acima do média”, citando maior exposição a aumentos do fluxo de caixa.

Os papéis da Cadbury avançaram 1,69% em Londres, após informações de que a Nestlé deseja comprar a empresa sinalizarem que a Kraft Foods pode aumentar sua oferta pela fabricante de chocolates.

A MAN, terceira maior fabricante de caminhões do continente europeu, viu suas ações se valorizarem 2,61%, após o CEO (Chief Executive Officer) Hakan Samuelsson afirmar que deixará o cargo.

Commodities avançam

O preço dos principais metais avança na sessão, levando as empresas de matérias-primas da região a encerraram em alta. As ações da Fresnillo subiram 4,28%, enquanto as da Kazakhmys se valorizaram 4,27%. As mineradoras Rio Tinto (+3,72%) e Xstrata (+2,80%) também registraram ganhos.

Cotações de fechamento

 O índice CAC 40  da bolsa de Paris   apresentou valorização de 2,25% a 3.813 pontos, acumulando no ano    forte alta de 18,50% enquanto   
 o FTSE 100  da bolsa de Londres  operou  em alta de 1,98% atingindo 5.356 pontos e sua variação no ano  acumula forte alta de 20,78%.

A Bolsa de Frankfurt, apresentou uma alta de 2,44% , atingindo 5.801 pontos, acumulando uma forte valorização de 20,61%.

%Var Dia Pontos %Var 30D %Var Ano
DAX 30 +2,44 5.801 +1,07 +20,61
CAC 40 +2,25 3.813 +0,13 +18,50
FTSE 100 +1,98 5.356 +2,15 +20,78
SMI +2,12 6.410 +0,50 +15,82
FTSE MIB +1,98 22.956 -1,98 +17,97