Bolsas da Europa operam na maioria em alta, mas Londres cai, em meio a dados da região

Na agenda de indicadores, o índice de gerentes de compras (PMI, na sigla em inglês) composto da zona do euro avançou de 46,5 em outubro a 47,6

Estadão Conteúdo

(IR_Stone/ Getty Images)

Publicidade

Os mercados acionários da Europa exibem alguma volatilidade nas primeiras horas desta terça-feira, 5, mas o quadro é em geral positivo, em meio à publicação de vários indicadores da região. Londres é a exceção, em baixa, mas com fôlego em geral limitado.

Às 7h05 (de Brasília), o índice pan-europeu Stoxx 600 operava em alta de 0,06%, em 466,04 pontos.

Na agenda de indicadores, o índice de gerentes de compras (PMI, na sigla em inglês) composto da zona do euro avançou de 46,5 em outubro a 47,6 na leitura final de novembro, quando analistas ouvidos pela FactSet previam 47,1. Apenas no setor de serviços da região, o PMI subiu de 47,8 em outubro a 48,7 em novembro, ante previsão de 48,2. Os números seguem, de qualquer modo, abaixo da marca de 50, que separa contração da expansão na pesquisa. Para a Capital Economics, os números do PMI ainda sugerem recessão na região da moeda comum, enquanto os preços perdem fôlego.

Masterclass

As Ações mais Promissoras da Bolsa

Baixe uma lista de 10 ações de Small Caps que, na opinião dos especialistas, possuem potencial de valorização para os próximos meses e anos, e assista a uma aula gratuita

E-mail inválido!

Ao informar os dados, você concorda com a nossa Política de Privacidade.

Ainda na zona do euro, o índice de preços ao produtor (PPI, na sigla em inglês) avançou 0,2% em outubro ante setembro, como esperado, com recuo de 9,4% na comparação anual, quando analistas projetavam baixa de 9,5% neste caso. O Banco Central Europeu (BCE) divulgou pesquisa com consumidores, a qual mostrou que a mediana da expectativa para a inflação em 12 meses seguia em 4,0% em outubro na zona do euro, enquanto a previsão para a inflação em 3 anos continuava em 2,5%.

No Reino Unido, o PMI composto avançou de 48,7 em outubro a 50,7 na leitura final de novembro, ante previsão de 50,1 dos analistas. O PMI de serviços passou de 49,5 a 50,9, quando se esperava 50,5. Na Alemanha, o PMI de serviços subiu de 48,2 em outubro a 49,6 em novembro, quando se previa 48,7, com o PMI composto subindo de 45,9 em outubro a 47,8 em novembro.

Em meio aos dados, as bolsas da Europa abriram mistas, mas em geral firmaram ganhos modestos. Londres destoava, e o quadro geral era de movimentações contidas. Na política monetária, Isabel Schnabel, dirigente do Banco Central Europeu (BCE), avaliou de modo positivo sinais recentes da inflação na zona do euro, mas voltou a advertir que a instituição reagirá aos dados.

Continua depois da publicidade

Na Ásia, o PMI de serviços da China avançou, superando a previsão. Por outro lado, a Moody’s reafirmou o rating do país em A1, mas revisou a perspectiva, de estável a negativa, citando o endividamento de governos locais e estatais chinesas.

Às 7h20, a Bolsa de Londres operava em queda de 0,45%, Frankfurt subia 0,24%, Paris avançava 0,26%, Milão ganhava 0,13% e Lisboa avançava 0,70%. No câmbio, o euro caía a US$ 1,0830 e a libra tinha alta a US$ 1,2633, ambas próximas da estabilidade.