Bolsas da Europa fecham em queda com receio sobre Fed; Frankfurt cede de máxima

Desempenho acompanhou queda das bolsas em NY

Estadão Conteúdo

Publicidade

As principais bolsas europeias fecharam em queda nesta terça-feira (2), invertendo os ganhos observados no início do pregão, na volta do feriado prolongado de Páscoa. O desempenho acompanhou a deterioração do clima em Wall Street diante das incertezas sobre o cronograma de alívio monetário nos Estados Unidos.

O DAX, principal índice referencial do mercado acionário de Frankfurt, era um dos mais pressionados, sem que a desaceleração mais acentuada do que a esperada da inflação na Alemanha fosse suficiente para conter uma correção após sucessivos recordes.

O índice pan-europeu Stoxx 600 cedeu 0,72%, aos 508,97 pontos, após ter renovado a máxima histórica de fechamento na quinta-feira, ao tocar 512,67 pontos.

Masterclass

As Ações mais Promissoras da Bolsa

Baixe uma lista de 10 ações de Small Caps que, na opinião dos especialistas, possuem potencial de valorização para os próximos meses e anos, e assista a uma aula gratuita

E-mail inválido!

Ao informar os dados, você concorda com a nossa Política de Privacidade.

Bolsas na Europa

Em Frankfurt, o DAX recuou 1,09%, aos 18.290,81 pontos, com o índice referencial alemão indicando uma correção após atingir a marca inédita de 18.504,51 pontos no fechamento da quinta-feira, dia 28 de março, último dia de negócios antes do feriado de Páscoa. Mais cedo no pregão desta terça, o DAX chegou a renovar a máxima intradiária, ao marcar 18.567,16 pontos. As ações da empresa do setor imobiliário Vonovia (-3,54%), a farmacêutica Merck (-3,27%) e a rede varejista Zalando (-2,91%) estiveram entre as principais quedas porcentuais.

Em Londres, o índice FTSE 100 encerrou com variação de -0,22%, aos 7.935,09 pontos. O CAC 40, de Paris, registrou baixa de 0,92%, aos 8.130,05 pontos, após ter marcado patamar recorde também na quinta-feira, dia 28. As cotações são preliminares.

Mais dados

Os indicadores divulgados no período da manhã foram consistentes com a expectativa de que o Banco Central Europeu (BCE) pode iniciar um afrouxamento da taxa de juros em junho. Na Alemanha, a taxa anual de inflação ao consumidor (CPI, pela sigla em inglês) desacelerou para 2,2% em março, ante 2,5% em fevereiro, atingindo o menor nível desde abril de 2021. O resultado ficou pouco abaixo da expectativa de analistas consultados pela FactSet, que previam taxa de 2,3%. Na zona do euro, o índice de gerentes de compras (PMI, na sigla em inglês) industrial caiu de 46,5 em fevereiro para 46,1 em março, atingindo o menor nível em três meses, mas ficou acima das expectativas.

Continua depois da publicidade

A queda também predominou nas demais bolsas da região. Em Milão, o FTSE Mib cedeu 1,22%, aos 34.325,23 pontos. O Ibex 35, marcou recuo de 0,96%, aos 10.968,00 pontos, em de Madri. Na direção oposta, o PSI 20, de Lisboa, subiu 0,43%, aos 6.307,21 pontos, com ajuda das ações da Galp Energia (+2,64%) e Corticeria Amorim (2,54%).

*Com Dow Jones Newswires