Bolsas da Europa fecham em alta; Londres destoa e cai, afetada por HSBC

Investidores na Europa aguardam a ata da última reunião de política monetária do Federal Reserve (Fed), a ser publicada na tarde de hoje, diante de dúvidas sobre quando o BC americano poderá começar a reduzir juros

Estadão Conteúdo

Publicidade

As bolsas europeias fecharam majoritariamente em alta nesta quarta-feira, 21, com exceção de Londres, que recuou após balanços decepcionantes do HSBC e da Glencore. O Carrefour foi na direção oposta e terminou o pregão em alta, com resultados acima das expectativas. Investidores na Europa aguardam a ata da última reunião de política monetária do Federal Reserve (Fed), a ser publicada na tarde de hoje, diante de dúvidas sobre quando o BC americano poderá começar a reduzir juros.

Em Londres, o FTSE 100 cedeu 0,73%, aos 7.662,51 pontos. A ação do HSBC respondeu pela maior queda porcentual do índice, com recuo de 8,34%. O banco britânico divulgou um inesperado prejuízo de US$ 153 milhões nos últimos três meses de 2023, ante lucro de US$ 4,38 bilhões em igual período do ano anterior. O desempenho foi atribuído, principalmente, a baixas contábeis do valor da participação no Bank of Communications, um dos maiores credores da China. O HSBC detém 19% da instituição chinesa, conhecida como BoCom. No quarto trimestre, reduziu o valor estimado dessa fatia em US$ 3 bilhões, para US$ 21,2 bilhões, em parte devido a um abrandamento na economia da China, o que, em última análise, afeta os lucros do BoCom e o valor dos seus ativos. A agência de análise de crédito S&PGlobal manteve a perspectiva estável para o HSBC, avaliando que o perfil de crédito do banco deve permanecer robusto em um horizonte de dois anos, de acordo com relatório divulgado hoje.

As ações da Glencore recuaram 1,10%, após o Ebitda ajustado anual cair pela metade, à medida que os preços do carvão recuaram depois de atingir níveis recordes em meio à guerra da Rússia na Ucrânia. A maior mineradora do mundo em receita disse, nesta quarta-feira, que seu lucro ajustado antes de juros, impostos, depreciação e amortização despencou para US$ 17,10 bilhões, de US$ 34,06 bilhões um ano antes. Os analistas previam US$ 17,15 bilhões, com base em um consenso fornecido pela empresa com sede na Suíça.

Masterclass

As Ações mais Promissoras da Bolsa

Baixe uma lista de 10 ações de Small Caps que, na opinião dos especialistas, possuem potencial de valorização para os próximos meses e anos, e assista a uma aula gratuita

E-mail inválido!

Ao informar os dados, você concorda com a nossa Política de Privacidade.

Em Paris, o CAC-40 subiu 0,22%, aos 7.812,09 pontos. Um impulso veio do Carrefour, que saltou 4,74% e foi a maior alta porcentual do índice, após a varejista francesa superar expectativa de lucro e anunciar um programa de recompra de ações, em balanço divulgado na tarde de ontem. Na rota oposta, a Edenred derreteu 11,53%.

Em Frankfurt, o DAX ganhou 0,29%, aos 17.118,12 pontos. Em Madri, o Ibex-35 subiu 0,69%, aos 10.107,20 pontos. O PSI-20, de Lisboa, terminou em alta de 0,39%, aos 6.250,49 pontos. O FTSE MIB, referencial de Milão, avançou 1,00%, aos 32.018,17 pontos.

*Com informações da Dow Jones Newswires