Bolsas da Europa avançam pelo 2º pregão seguido, mas devem acumular perdas na semana

Nos últimos dias, comentários de autoridades do Banco Central Europeu (BCE) esfriaram expectativas de um possível corte de juros na zona de euro ainda neste semestre

Estadão Conteúdo

Publicidade

São Paulo, 19/01/2024 – As bolsas europeias operam majoritariamente em alta na manhã desta sexta-feira, ampliando ganhos do pregão anterior, mas o saldo da semana tende a ser negativo em meio a incertezas sobre a perspectiva dos juros globais.

Por volta das 6h35 (de Brasília), o índice pan-europeu Stoxx 600 avançava 0,32%, a 471,95 pontos. Na semana, porém, ainda acumulava perdas de cerca de 1%.

Nos últimos dias, comentários de autoridades do Banco Central Europeu (BCE) esfriaram expectativas de um possível corte de juros na zona de euro ainda neste semestre. Já a presidente do BCE, Christine Lagarde, sinalizou que a primeira redução provavelmente virá durante o verão europeu. Logo mais, a partir das 7h (de Brasília), Lagarde participa de um painel em Davos, na Suíça, no último dia do Fórum Econômico Mundial.

Masterclass

As Ações mais Promissoras da Bolsa

Baixe uma lista de 10 ações de Small Caps que, na opinião dos especialistas, possuem potencial de valorização para os próximos meses e anos, e assista a uma aula gratuita

E-mail inválido!

Ao informar os dados, você concorda com a nossa Política de Privacidade.

Nesta semana, também surgiram dúvidas sobre eventuais cortes de juros no Reino Unido, após dados de inflação ao consumidor (CPI) britânico superarem as expectativas, e também sobre o momento em que o Federal Reserve (Fed, o banco central dos EUA) poderá começar a reduzir seus juros. A hipótese de que o primeiro corte nos EUA virá em março ainda é majoritária, mas por uma pequena margem, segundo ferramenta de monitoramento do CME Group.

No noticiário macroeconômico de hoje, as vendas no varejo do Reino Unido apresentaram queda mensal de 3,2% em dezembro, bem maior do que se previa, enquanto a inflação ao produtor (PPI) da Alemanha caiu em ritmo mais forte do que o esperado, também no mês passado.

Às 6h49 (de Brasília), a Bolsa de Londres subia 0,47%, a de Paris avançava 0,08% e a de Frankfurt ganhava 0,16%. Já a de Milão tinha alta de 0,13%, enquanto as de Madri e Lisboa oscilavam perto da estabilidade.