Bolsas caem após PIB da China e antes de agenda cheia nos EUA; varejo no Brasil e mais destaques

Livro Bege nos EUA e comentários do presidente do Fed de Nova York também são destaques

Felipe Moreira

Publicidade

Os mercados mundiais amanheceram em baixa (17), depois que o crescimento do produto interno bruto (PIB) da China no quarto trimestre ficou levemente abaixo estimativas (mas que já tinha sido antecipado em Davos pelo premiê chinês) e antes da divulgação de dados do varejo americano. Em dia de agenda cheia nos EUA, os investidores seguem de olho em mais sinais diante de um cenário de aversão a risco nos mercados globais em meio a dúvidas sobre o início do ciclo de cortes de juros na maior economia do mundo.

No Brasil, também saem números do setor varejista de novembro, com consenso LSEG prevendo alta mensal de 0,1% e de 2,1% na base anual. Já o ministro da Fazenda, Fernando Haddad, disse ontem (16) que terá duas reuniões ainda nesta semana para discutir a MP que reonera folha de pagamentos. Uma das audiências será com o presidente Lula, e outra com o presidente da Câmara dos Deputados, Arthur Lira.

1.Bolsas Mundiais

Estados Unidos

Os índices futuros dos EUA operam com baixa, à medida que investidores se preparam divulgação das vendas no varejo de dezembro, que poderão oferecer mais informações sobre a saúde do consumidor ou contribuir para preocupações de crescimento, caso os gastos diminuam.

Masterclass

As Ações mais Promissoras da Bolsa

Baixe uma lista de 10 ações de Small Caps que, na opinião dos especialistas, possuem potencial de valorização para os próximos meses e anos, e assista a uma aula gratuita

E-mail inválido!

Ao informar os dados, você concorda com a nossa Política de Privacidade.

A temporada de resultados corporativos continua nesta quarta-feira com resultados de Charles Schwab, US Bancorp e Prologis. O livro bege e os dados dos estoques empresariais também estão programados para quarta-feira, juntamente com comentários do presidente do Fed de Nova York, John Williams.

Veja o desempenho dos mercados futuros:

Ásia

Os mercados asiáticos fecharam em baixa generalizada, após uma enxurrada de dados econômicos provenientes da China apontarem para uma recuperação fraca, deixando os investidores desanimados e ainda mais interessados ​​em medidas de estímulo adicionais por parte de Pequim. A economia chinesa cresceu 5,2% no 4º trimestre do ano passado, abaixo das expectativas de um crescimento de 5,3% previsto por economistas consultados pela Reuters.

Continua depois da publicidade

Europa

Os mercados europeus operam no campo negativo, enquanto o foco da região permanece no Fórum Econômico Mundial que se realiza esta semana em Davos, na Suíça. Na frente de dados, a inflação no Reino Unido surpreendeu com um aumento para 4% em termos anuais em dezembro. Economistas consultados pela Reuters previam um declínio modesto no índice anual de preços ao consumidor para 3,8%.

Commodities

As cotações do petróleo caem à medida que o dólar mais forte compensa os riscos de perturbações no Mar Vermelho. Os conflitos em curso no Mar Vermelho aumentaram as preocupações dos petroleiros terem de evitar a área, aumentando os custos e a quantidade de tempo para entregas.

Já as cotações do minério de ferro na China fecharam no vermelho após dados fracos da China.

Bitcoin

2. Agenda

A agenda desta quarta-feira é marcada por dados de venda no varejo no Brasil e nos EUA, além da produção industrial americana de dezembro.

Brasil

8h: IGP-10 de janeiro

9h: Vendas no varejo de novembro; consenso LSEG prevê alta mensal de 0,1% e de 2,1% na base anual

EUA

10h30: Vendas no varejo de dezembro; consenso LSEG prevê alta mensal de 0,4%

10h30: Preços de importados de dezembro

11h15: Produção industrial de dezembro; consenso LSEG prevê projeta estabilidade na comparação com novembro

12h: Estoques empresariais

16h: Livro Bege

3. Noticiário econômico

Haddad estima em R$ 32 bi de impacto com desonerações

A renúncia fiscal com a derrubada do veto à desoneração da folha de pagamento e com o Programa Emergencial de Retomada do Setor de Eventos (Perse) está estimada em R$ 32 bilhões para este ano, disse nesta terça o ministro da Fazenda, Fernando Haddad. Ele deu os números após o governo refazer os cálculos do impacto das medidas.

Haddad informou que se reunirá nesta quarta com o presidente Luiz Inácio Lula da Silva para discutir os resultados das primeiras negociações em torno do tema com o presidente do Senado, Rodrigo Pacheco. O ministro também disse que conversará pessoalmente com o presidente da Câmara dos Deputados, Arthur Lira, nesta quinta (18) ou sexta-feira (19). Haddad afirmou ter conversado por telefone com Lira.

4. Noticiário político

Lei que cria Ministério do Empreendedorismo é sancionada

O presidente Lula sancionou na última terça a lei que cria o Ministério do Empreendedorismo, da Microempresa e da Empresa de Pequeno Porte, que representa a 38ª pasta do governo petista. O ministério, sob gestão de Márcio França (PSB), foi criado na reforma ministerial realizada por Lula para acomodar o Centrão e garantir a governabilidade do governo no Congresso. A pasta é um desdobramento do Ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior, hoje sob chefia do vice-presidente da República, Geraldo Alckmin.

 

5. Radar Corporativo

Inter (INBR32)

O Inter (INBR32) anunciou nesta terça-feira (16) que entrou com pedido de uma oferta pública subsequente de até 32 milhões de suas ações ordinárias Classe A na Securities and Exchange Commission (SEC). De acordo com comunicado, o Inter&Co pretende utilizar os recursos da oferta para fins corporativos gerais.

(Com Estadão, Reuters e Agência Brasil)