Bolsa da China fecha em alta após corte de juros; reunião de Lula e Haddad e mais destaques

ìndices de NY opera em baixa na volta do feriado do Dia do Presidente

Felipe Moreira

Publicidade

Os mercados asiáticos fecharam sem direção única nesta terça-feira (20), com ganhos modestos nas bolsas de Xangai e Hong Kong após o banco central da China, PBoC, cortar a taxa de juros de 5 anos. Já as bolsas dos EUA voltam do feriado do Dia do Presidente sem agenda, à espera da ata do Federal Reserve (Fed), amanhã, em meio à incertezas sobre o início do ciclo de corte dos juros americanos.

Por aqui, o destaque fica para reunião entre o presidente Lula e o ministro da Fazenda, Fernando Haddad, para tratar da MP da reoneração. Lula também se reunirá com ministros e líderes do Congresso. Depois do fechamento do mercado, saem os resultados trimestrais de Gerdau, Telefônica Brasil e Iguatemi.

1.Bolsas Mundiais

Estados Unidos

Os índices futuros dos EUA operam em baixa na volta do feriado e em dia de agenda esvaziada. No que diz respeito aos resultados corporativos, os traders monitorarão os resultados da Home Depot e Walmart antes da abertura dos mercados. As atenções voltarão o foco para Palo Alto Networks após o fechamento dos mercados.

Masterclass

As Ações mais Promissoras da Bolsa

Baixe uma lista de 10 ações de Small Caps que, na opinião dos especialistas, possuem potencial de valorização para os próximos meses e anos, e assista a uma aula gratuita

E-mail inválido!

Ao informar os dados, você concorda com a nossa Política de Privacidade.

Veja o desempenho dos mercados futuros:

Dow Jones Futuro: -0,17%

S&P 500 Futuro: -0,30%

Continua depois da publicidade

Nasdaq Futuro: -0,44%

Ásia

As bolsas asiáticas fecharam sem direção única nesta terça-feira, à medida que investidores receberam sem tanto entusiasmo a última decisão de juros do banco central da China, conhecido como PBoC. No fim da noite de ontem (19), o PBoC decidiu reduzir sua taxa de juros de referência para empréstimos (LPR, na sigla em inglês) de 5 anos em 25 pontos-base, a 3,95%. O corte, recorde e maior do que o esperado, tem o claro objetivo de impulsionar o combalido mercado imobiliário chinês, segundo analistas da Capital Economics. Por outro lado, a LPR de 1 ano ficou inalterada em 3,45% pelo sexto mês seguido. O anúncio do PBoC foi recebido com certa frieza pelos mercados chineses, que tiveram ganhos apenas modestos, revertendo baixas de mais cedo no pregão.

Shanghai SE (China), +0,42%

Nikkei (Japão): -0,28%

Hang Seng Index (Hong Kong): +0,57%

Kospi (Coreia do Sul): -0,84%

ASX 200 (Austrália): -0,08%

Europa

Os mercados europeus operam mistos, com os investidores digerindo um corte maior que o esperado na taxa básica de juros da China em meio a preocupações persistentes de desaceleração do crescimento. A ação do Barclays, por sua vez, disparava após o banco anunciar uma revisão estratégica., incluindo cortes substanciais de custos, vendas de ativos e uma reorganização de suas divisões de negócios, junto com os resultados do quarto trimestre.

FTSE 100 (Reino Unido): -0,10%

DAX (Alemanha): -0,27%

CAC 40 (França): +0,25%

FTSE MIB (Itália): -0,02%

STOXX 600: -0,16%

Commodities

Os preços do petróleo operam com leves perdas, mas próximo das máximas de três semanas, com traders de olho no aumento das tensões no Oriente Médio e na recuperação da demanda da China.

As cotações do minério de ferro na China fecharam em baixa nesta terça-feira, caindo para menor nível em mais de 3 meses devido a crescentes preocupações com a demanda chinesa, apesar de sua última medida para reanimar seu mercado imobiliário. O minério de ferro de referência para março, SZZFH4, na Bolsa de Cingapura, caiu 4,39 %, para US$ 121,8 a tonelada, o nível mais baixo desde 8 de novembro.

Petróleo WTI, -0,33%, a US$ 78,93 o barril

Petróleo Brent, -0,81%, a US$ 82,88 o barril

Minério de ferro negociado na bolsa de Dalian teve queda de 5,41%, a 909,50 iuanes, o equivalente a US$ 126,36

Bitcoin

2. Agenda

Com agenda de indicadores esvaziada, as atenções se voltam para o noticiário político.

Brasil

9h: Presidente Lula tem reunião com ministros

10h: Campos neto, presidente do BC, participa da primeira sessão da 56ª reunião do Comitê de Estabilidade Financeira (Comef)

16h: Presidente Lula se reúne com ministro da Fazenda, Fernando Haddad

3. Noticiário econômico

Haddad se reúne com Lula nesta terça para tratar da MP da reoneração

O ministro da Fazenda, Fernando Haddad (PT), vai se reunir nesta terça com o presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT), os ministros da Casa Civil e de Relações Institucionais e lideranças do Congresso para definir a pauta prioritária do governo no Congresso. Entre os assuntos, segundo Haddad, está a Medida Provisória que prevê a reoneração da folha de pagamentos (MPV 1202/2023). Na agenda de Lula consta uma reunião com o ministro às 16h, mas até o momento não há a confirmação da participação de outras autoridades.

Governo proíbe criação de fundos exclusivos de Previdência para fechar brecha a super-ricos

Depois de alterar a tributação dos fundos voltados aos super-ricos e restringir a emissão de títulos isentos de Imposto de Renda, a equipe econômica proibiu a criação de novos fundos de Previdência exclusivos (com um ou poucos cotistas) – que vinham sendo usados como “rota de fuga” dos investidores de alto patrimônio ao cerco do governo. “A nova regulamentação veda de imediato, a partir do início de sua vigência, a constituição de planos familiares exclusivos com saldos individuais acima de R$ 5 milhões, cuja regra para tratamento do desenquadramento será definida em normativo complementar da Susep”, afirma o Ministério da Fazenda.

4. Noticiário político

Moraes nega pedido de Bolsonaro para adiar depoimento à PF

O ministro do Supremo Tribunal Federal Alexandre de Moraes negou pedido da defesa do ex-presidente Jair Bolsonaro para adiar seu depoimento à Polícia Federal (PF) no caso que apura uma suposta organização criminosa para elaborar um golpe de Estado. Bolsonaro foi intimado a comparecer à PF na próxima quinta-feira (22) para prestar esclarecimentos sobre a suposta trama golpista.

5. Radar Corporativo

Itaúsa (ITSA4)

O Conselho de Administração da Itaúsa (ITSA4) aprovou o pagamento de dividendos adicionais aos proventos do exercício de 2023 no montante de R$ 3,1 bilhões, correspondente ao valor de R$ 0,3005 por ação. A holding também vai pagar, em 8 de março de 2024, os juros sobre o capital próprio no montante líquido de R$ 2,5 bilhões, correspondente ao valor bruto de R$ 0,2989 por ação.

Carrefour Brasil (CRFB3)

O Carrefour Brasil (CRFB3) divulgou nesta segunda-feira (19) lucro líquido ajustado (desconsiderando outras receitas e despesas e o correspondente efeito financeiro e tributário) de R$ 520 milhões no quarto trimestre de 2023, uma queda de 5,4% em relação ao mesmo período de 2022.

(Com Estadão, Reuters e Agência Brasil)