Boa Safra (SOJA3) enxerga espaço para ampliar outras culturas no portfólio

Foco seguirá com soja, mas empresa identifica sinergias com outras culturas pelos canais de distribuição, vendedores e até mesmo clientes

Augusto Diniz

Boa Safra SOJA3 Divulgação

Publicidade

O CEO da Boa Safra (SOJA3), Marino Colpo, disse nesta terça-feira (17) que a empresa observa e avalia o desenvolvimento de outras culturas para o seu portfólio, complementares ao seu negócio principal, que é a soja. A companhia trabalha com sementes de milho e feijão, mas não são relevantes no faturamento da companhia.

“O foco e estratégia (da empresa) é em semente de soja”, disse, durante teleconferência com analistas. “Mas temos olhado para outras culturas e enxergamos muitas sinergias, porque utilizaríamos vendedor, canal de distribuição, mesma loja e também muitas vezes o mesmo cliente”, afirmou Colpo.

“Achamos que há sinergias (com outras culturas) e temos olhado pra isso, mas é algo mais de médio prazo. A curto prazo, vemos uma avenida de crescimento muito forte para semente de soja”, explicou o executivo, destacando que visa hoje capturar mais market share nesse segmento.

Masterclass

As Ações mais Promissoras da Bolsa

Baixe uma lista de 10 ações de Small Caps que, na opinião dos especialistas, possuem potencial de valorização para os próximos meses e anos, e assista a uma aula gratuita

E-mail inválido!

Ao informar os dados, você concorda com a nossa Política de Privacidade.

No balanço do primeiro trimestre, a Boa Safra teve um prejuízo de R$ 7 milhões, mais do que dobrando as perdas de um ano antes. Após a divulgação dos resultados, as ações da empresa operavam com leve alta, por volta das 15h02, avançando 0,07%, cotadas a R$ 13,45.

Leia também:

Número de pedidos

Durante a teleconferência, a empresa passou parte da apresentação a analistas explicando o que acontece com o seu negócio. A empresa ingressou na bolsa de valores há pouco mais de um ano. O IPO da Boa Safra aconteceu em abril de 2021.

Continua depois da publicidade

“O número principal que representa a companhia é o de pedidos. Temos um primeiro e um segundo trimestres de fortes despesas, e o faturamento de sementes, que é o que importa, (concentrados) no terceiro e no quatro trimestres”, explicou Colpo.

Segundo o executivo, houve aumento de 58,8% nos contratos de venda a performar e materiais com biotecnologia embarcada representam 90% dessa carteira de pedidos.

“A informação mais importante é nos contratos de vendas a performar. Isso mostra o desempenho da empresa para esse ano”, disse. “Os materiais com biotecnologia têm crescido no nosso portfólio”, ressaltou.

O agronegócio é uma atividade sazonal e o desempenho da Boa Safra em cada trimestre está diretamente ligado ao estágio do cultivo da soja, informou a companhia.

Este ciclo provoca certo descolamento entre os dados operacionais e contábeis, como aconteceu no 1T22, relatou a empresa.

Biotecnologia

Durante a apresentação, a Boa Safra destacou a crença nas imensas oportunidades de produção de sementes de soja com alta tecnologia. A biotecnologia é o melhoramento genético da semente, criando mais resistência.

O CEO da empresa comentou sobre o desenvolvimento de sementes de biotecnologia para atender o agronegócio, ressaltando que trata-se de um negócio em que a demanda deve ser muito bem avaliada.

“É um desafio estar produzindo materiais que não falte e não sobre. Nos últimos anos temos experimentado falta de materiais, até porque é um produto que tem sido bem demandado”, disse.

“A gente pode achar que um material pode ter demanda e a demanda pode ser um pouco menor”, comparou.

O portfólio de sementes de soja da companhia inclui, para a safra 2021/22, 48 cultivares. Dentre essas, 18 cultivares possuem biotecnologias embarcadas.

Análise do balanço da Boa Safra

Em relatório a clientes, o Itaú BBA destacou o aumento da carteira de pedidos da Boa Safra (SOJA3) no primeiro trimestre.

O balanço do 1T22 foi considerado neutro, com a empresa reportando Ebitda de R$ 16 milhões negativos, devido aos maiores custos, numa piora diante do R$ 1 milhão negativo no 1T21.

No entanto, a empresa aumentou sua carteira de pedidos em cerca de 60% na base anual, indicando mais um ano de crescimento sólido. “Mantemos nossa visão positiva sobre Boa Safra”, diz o BBA.

A classificação para a SOJA3 é outperform (desempenho acima da média de mercado), com preço-alvo de R$ 19,00.

Oportunidade de compra? Estrategista da XP revela 6 ações baratas para comprar hoje. Assista aqui.