Banco Pan (BPAN4), Assaí (ASAI3) e Ser (SEER3) são elevadas para compra por bancões, mas só duas ações fecham em alta

Analistas do Citi elevaram ações da Ser Educacional para compra; papéis chegaram a subir quase 10%, mas passaram a ter queda

Felipe Moreira | Vitor Azevedo

Publicidade

A segunda-feira (7) foi marcada por diversas elevações de recomendações que movimentam a Bolsa brasileira.

O Itaú BBA elevou a recomendação para o Banco Pan (BPAN4) e as ações subiram 3,37%, a R$ 8,89. Já os ativos do Assaí (ASAI3) foram elevados pelo Bank of America e subiram 1,31%, a R$ 13,87.

Enquanto isso, a Ser Educacional (SEER3) foi elevada pelo Citi e as ações chegaram a subir 9,87% (a R$ 7,01) no início do pregão, mas depois os ativos viraram para queda. Os papéis fecharam em forte queda de 3,61%, a R$ 6,15.

Masterclass

As Ações mais Promissoras da Bolsa

Baixe uma lista de 10 ações de Small Caps que, na opinião dos especialistas, possuem potencial de valorização para os próximos meses e anos, e assista a uma aula gratuita

E-mail inválido!

Ao informar os dados, você concorda com a nossa Política de Privacidade.

Confira as avaliações dos bancos para as três ações:

Itaú BBA vê inflexão e eleva Banco Pan (BPAN4) para compra

O Itaú BBA elevou a recomendação para as ações do Banco Pan de neutro para outperform (desempenho acima da média do mercado, equivalente à compra).

Continua depois da publicidade

O banco vê inflexão de resultados e uma tese estratégica do seu controlador, o BTG Pactual (BPAC11). Os spreads de originação de crédito consignado do Pan estão melhorando substancialmente com a queda da curva do CDI, avalia o BBA.

Além disso, o ciclo de NPL (inadimplência) do varejo já passou do seu pior, aumentando ainda mais a lucratividade nos resultados a seguir, apontam os analistas do banco.

O BTG poderia suportar a aceleração do Pan, mas há uma alternativa ainda melhor para ambos, na visão da casa.

Uma operação totalmente integrada poderia impulsionar o crescimento e ser mais eficiente em spreads, impostos e despesas gerais e administrativas.

O BBA aponta que, enquanto os principais produtos de crédito do banco — o consignado via FGTS e o financiamento de veículos — cobram taxas fixas do cliente final, os custos de captação têm caído rapidamente com uma curva de CDI mais baixa, comparam os analistas.

“Estamos consideramos uma história de encaixe temático, com a recuperação de baixa renda do Brasil. O Pan oferece exposição à melhora esperada no ciclo de crédito do varejo e também se beneficia mais com a queda da taxa Selic via spreads de clientes”, apontou.

O consignado, que no início de 2023 tinha uma margem financeira estimada de 10% para o ano, passou agora para 12%, com um Retorno sobre o Patrimônio Líquido (ROE) acima de 20%.

“Espera-se que essas carteiras ajudem gradativamente os resultados do Pan (…) Os spreads para veículos também estão acima da média, sem prejudicar os volumes de originação. Com a mudança de recomendação, o Itaú BBA estabeleceu um preço-alvo de R$ 13 para o ano que vem, ante R$ 10 para 2023”, apontou.

BofA eleva recomendação do Assai (ASAI3) de neutra para compra

O Bank of America, em relatório divulgado nesta segunda, elevou a recomendação do Assaí de neutra para compra e o preço-alvo de R$ 16 para R$ 20 (upside de 46%), citando valuation descontado, melhora macroeconômica e mais.

“As ações ordinárias do Assaí estão sendo negociadas 35% abaixo de seu pico em janeiro, e a 12,9x lucro por ação nas expectativas para 2024. Consideramos a avaliação atraentes”, fala o banco. “Suas superiores propostas de valor em relação aos supermercados tradicionais e aos operadores de atacarejo de menor escala também evocam uma oportunidade secular”.

No cenário macro, a rede de atacarejo tende a se beneficiar ainda do início do ciclo de queda dos juros, estando muito alavancada. A casa enxerga um aumento de 7% no EPS para cada corte de um ponto percentual na taxa bas e uma geração de caixa capaz de amortizar totalmente a dívida em cinco anos anos.

A combinação entre operacional e cenário macro deve acomodar o problema recente da deflação.
“Cerca de 30% do espaço de venda da Assai está nos estágios iniciais de maturação. A maioria das localizações está em locais densamente povoados, enfrenta concorrência limitada e promete misturas voltadas para o varejo de margem mais alta. Esperamos um forte crescimento da mesma loja e alavancagem operacional”, diz o time da instituição.

Por fim, o aluguel de galerias nas novas lojas, com 222 mil metros quadrados disponíveis deve melhorar o balanço até o final do ano. Melhorias na governança, com o Cassino vendendo sua fatia no grupo, também são aguardadas.

Ser Educacional (SEER3) é elevada pelo Citi

O Citi elevou a recomendação para ações da Ser Educacional (SEER3) de neutra para compra, com preço-alvo passando para R$ 9, devido a estimativas de lucros mais altas e menor taxa de desconto.

De acordo com relatório, a empresa começará a colher os frutos de suas diferentes iniciativas de redução de custos (por exemplo, fechamento de campi, controle rigoroso de pessoal e racionalização corporativa, etc.) que, de forma importante, podem continuar a acelerar ao longo do 2º semestre de 2023.

Consequentemente, segundo analistas, a consistência na execução pode ajudar a Ser Educacional a evoluir seu processo de redução da alavancagem (Dívida Líquida/Ebitda de 2,4 vezes), o que naturalmente deve transferir valor da dívida para o patrimônio por meio do ciclo monetário mais flexível.

Em termos de avaliação, as ações estão sendo negociadas a 4,4 vezes o Valor da Firma (FV)/Ebitda e 11,9 vezes Preço/Lucro em 2024 (3,8 vezes o FV/Ebitda e 7,9 vezes P/L em 2025), o valuation proporciona uma margem de segurança, na opinião do banco. Por fim, O banco considera ainda a empresa bem posicionada para o novo Fies (Fundo de Financiamento ao Estudante de Ensino superior).

Para as outras empresas, o Citi acredita que a Yduqs (YDUQ3) registrará um bom resultado no 2T23, com crescimento sólido de receita e melhora das margem Ebitda (Ebitda sobre receita). O banco mantém recomendação de compra no nome.

Para Cogna (COGN3), o banco espera que a empresa continue a desfrutar tendências positivas na receita, embora com margens limitadas para expansão. O Citi “permanece à margem” em relação à COGN3 devido à visibilidade limitada e prêmio de valuation.

“Enquanto a receita pode permanecer fraca para a Ânima (ANIM3), a gestão continua a evoluir na implementação de suas diversas iniciativas de redução de custos e programa de gerenciamento de responsabilidades, o que pode ajudar a melhorar a lucratividade e acelerar a redução orgânica da alavancagem, enquanto movimentos inorgânicos permanecem como opção”, diz Citi. O banco também recomenda compra para ações da Ânima.