Conteúdo editorial apoiado por
IM Trader

Opções com vencimentos semanais começam a ser negociadas na B3

Segundo a Bolsa, o objetivo do produto é começar a trazer a pessoa física ao mercado de opções

Carla Carvalho

Publicidade

Os investidores contam a partir desta segunda-feira (29) com uma novidade: as opções com vencimentos semanais. Populares no exterior, a nova modalidade vai permitir a compra e a venda de contratos de opções, com vencimentos todas as sextas-feiras, ao invés de uma vez por mês.

Inicialmente, porém, a B3 vai oferecer as opções para 15 ativos (veja a lista mais abaixo), que são os mais líquidos da Bolsa. Em uma segunda fase, ainda sem data certa para acontecer, haverá a ampliação da quantidade de ativos para negociação. 

Conforme a Bolsa, trata-se de uma iniciativa que visa popularizar essa modalidade de investimento no mercado brasileiro. A novidade foi bem-recebida por especialistas em derivativos financeiros.

Masterclass

As Ações mais Promissoras da Bolsa

Baixe uma lista de 10 ações de Small Caps que, na opinião dos especialistas, possuem potencial de valorização para os próximos meses e anos, e assista a uma aula gratuita

E-mail inválido!

Ao informar os dados, você concorda com a nossa Política de Privacidade.

“Esse é um produto que roda muito bem no exterior. Lá fora, é possível operar, por exemplo, opções de S&P 500, com boa liquidez, e algumas operações chegam a ter prazo de um dia”, diz Alexandre Cabral, professor de Finanças na Escola de Negócios Saint Paul.

Gustavo Biserra, analista da Nova Futura Investimentos, acrescenta que, por mais forte que seja o mercado de opções, o mecanismo é utilizado, sobretudo, para operações de hedge.

“Vencimentos mais curtos baixam o custo das opções, o que é uma vantagem para o investidor. Recentemente, montamos uma estrutura que poderia ter sido cerca de 70% mais barata se o vencimento da opção fosse semanal”, conta o analista.

Mas, para operar as opções semanais, é importante compreender em que momentos elas podem proporcionar ganhos. A seguir, entenda como funcionam e quais são os cuidados que o investidor precisa ter nas negociações com opções.

Funcionamento das opções

Quem compra uma opção, adquire o direito de comprar ou vender um ativo por um preço predeterminado. Para poder exercer esse direito, o investidor paga um valor chamado “prêmio”, como se fosse o seguro de um carro ou de outro bem. No vencimento da opção, o comprador decide se quer ou não exercer esse direito, pois ele não é obrigado a fazê-lo.

Por outro lado, quem vende uma opção, tem a obrigação de exercê-la se o comprador assim o exigir. Se a parte que comprou a opção resolver não reivindicar esse direito, o vendedor fica com o valor do prêmio para si.

Essa é a lógica, em resumo, do funcionamento das opções. 

O InfoMoney conta com esse guia, que traz em detalhes a mecânica, os termos técnicos e as estratégias para quem busca ingressar nesse tipo de investimento.

O que muda para o investidor?

Com vencimentos mais curtos, as opções conseguem captar determinados acontecimentos pontuais que podem influenciar o preço dos ativos. Na linguagem do mercado, prazos menores permitem “operar notícias” de diferentes formas.

Por exemplo, imagine que uma grande companhia esteja prestes a divulgar o seu balanço trimestral, e que as opiniões dos analistas estejam bastante divergentes quanto ao resultado.

“Momentos em que cada um fala uma coisa diferente no mercado são ideais para montar uma aposta. Se um grupo espera lucro e outro prejuízo, significa que alguém se posicionou para um dos dois lados. Dessa aposta, poderá vir um resultado muito bom ou muito ruim para um dos lados”, explica Cabral.

Fatos relevantes, assembleia de acionistas, resultados de balanços, relatórios de vendas, entre outras comunicações das empresas com o mercado, também podem mexer com o preço das opções. Ademais, indicadores macroeconômicos domésticos e no exterior, falas de executivos, dirigentes de bancos centrais, ministros ou políticos, também podem influenciar o valor das opções.

“Digamos que o investidor esteja esperando que o payroll venha com um resultado que não seja favorável para a sua carteira de ações, por exemplo. Nesse caso, ele pode tentar ganhar comprando uma put de BOVA11”, exemplifica Gustavo Biserra.

Vantagens das opções com vencimentos semanais 

Quanto menor o tempo de vigência (vencimento) do produto, mais barato ele tende a ser, pois o tempo de incerteza também será menor. Aqui, também podemos utilizar o exemplo do seguro, pois coberturas mais longas são mais caras. Com as opções, isso não é diferente.

Para o investidor que ainda não conhece opções ou não tem muita experiência nesse mercado, os vencimentos mais curtos o ajudam, ainda, a sentir a característica do produto. À medida que a segurança aumenta, esse investidor, naturalmente, pode começar a fazer mais operações.

“Se tudo der errado, o investidor gastou pouco, e essa é uma grande vantagem das opções com vencimentos semanais. Veja só o sucesso dos minicontratos, que hoje têm muito mais liquidez do que os contratos cheios. Já vi vários pregões nos quais o volume de minicontratos chega a ser o triplo dos cheios”, observa Cabral.

Outro aspecto mencionado pelo professor é a melhora na liquidez que essas operações podem proporcionar a ações que, historicamente, têm menor volume de negociação. 

“Digamos que uma companhia com baixa liquidez vá divulgar o balanço, ou tem uma AGE marcada. Com as opções semanais, você pode operar somente aquela notícia, e isso pode aumentar o volume de negociações, mesmo que por um breve período”, acrescenta ele.

Ativos com opções semanais na bolsa

Inicialmente, a B3 disponibilizará opções semanais das seguintes ações e ETFs (Exchange Traded Funds):

Ticker de negociaçãoAtivo
ABEV3Ações ordinárias da Ambev
B3SA3Ações ordinárias da B3
BBAS4Ações ordinárias do Banco do Brasil
BBDC4Ações preferenciais do Bradesco
BHIA3Ações ordinárias do Grupo Casas Bahia
BOVA11ETF iShares Ibovespa Fundo de Índice
BOVV11ETF It Now Ibovespa
GGBR4Ações preferenciais da Gerdau
HAPV3Ações ordinárias da Hapvida
ITUB4Ações preferenciais do Itaú
MGLU3Ações preferenciais do Magazine Luiza
NTCO3Ações ordinárias da Natura
PETR4Ações preferenciais da Petrobras
SUZB3Ações ordinárias da Suzano
VALE3Ações ordinárias da Vale

(Fonte: B3)

Para Gustavo Biserra, a decisão de utilizar esses ativos no piloto das opções semanais foi acertada, justamente para que se possa ter uma percepção inicial do mercado.

“O investidor consegue entrar em ativos menos líquidos, mas dependendo do preço fica difícil desmontar a operação. Já os ativos escolhidos pela B3 são bem conhecidos e líquidos, por isso acho que a escolha foi boa”, diz o analista.

Pontos de atenção para o investidor e para as instituições financeiras

Se por um lado as opções semanais podem alavancar títulos com menor liquidez, o efeito pode ser contrário para os tickers mais negociados. 

Nesse sentido, ativos com grandes volumes no pregão, como Petrobras, Vale ou BOVA11 podem ter as atenções dos investidores divididas entre as opções tradicionais e as de vencimento semanal.

“A iniciativa está em linha com o que já é praticado lá fora, e veio para fortalecer a nossa Bolsa, proporcionando novas opções de investimentos. Mas pode ser, sim, que isso divida o mercado, e somente saberemos daqui a algum tempo”, observa Biserra.

B3 começa a operar contratos de opções com vencimentos semanais
B3 começa a operar contratos de opções com vencimentos semanais

O analista também chama atenção para a volatilidade dessas operações, que tendem a ser maiores devido ao prazo mais curto. 

“Dependendo do fato divulgado, o investidor tem chance de conseguir ganhos de 200%, 300% ou mais em opções curtas. Mas o risco também é grande e, por isso, é preciso conhecer muito bem essas operações”, alerta.

Acompanhamento

Biserra destaca ainda outro erro comum no mercado de opções: não acompanhar o vencimento da operação. Muitas vezes, acrescenta, o investidor está ganhando e esquece de exercer a opção no vencimento, ou deixa de vendê-la, “e o lucro vai todo embora”.

Cabral alerta para a importância de que seja feito um bom trabalho para divulgar o novo produto ao seu público-alvo. Isso porque as opções tradicionais estão no mercado há cerca de três décadas e, mesmo assim, ainda há muitos investidores que ainda não compreendem o momento em que a operação pode ser realizada, de forma vantajosa.

As opções semanais terão vencimentos todas as sextas-feiras, e não somente na terceira sexta do mês, como funcionava até então. 

Além disso, na fase inicial, haverá aberturas de vencimento de até dois meses, o que permite que se tenham cinco vencimentos abertos ao mesmo tempo.